sexta-feira, 26 de novembro de 2021

Falar sobre Deus

"Gravem estas minhas palavras no coração e na mente. Amarrem-nas às mãos e prendam-nas à testa como lembrança." (Deuteronômio 11:18)

Um estudo realizado em 2018 descobriu que a maioria dos americanos não gosta de falar sobre Deus. Apenas 7% dos entrevistados afirmaram que falam sobre assuntos espirituais regularmente. Os cristãos não são diferentes. Somente 13% dos frequentadores regulares de igrejas dizem ter uma conversa espiritual uma vez por semana. Talvez não o surpreenda que as conversas espirituais estejam em declínio. Falar sobre Deus pode ser perigoso. Seja pelo clima político polarizado, pois a discordância pode causar brechas num relacionamento, ou porque uma conversa espiritual pode fazer você perceber uma mudança necessária em sua vida. Essas conversas podem parecer de alto risco.


Mas, nas instruções dadas ao povo de Deus, os israelitas, no livro de Deuteronômio, o ato de falar sobre Deus podia ser algo normal e natural do dia a dia. Eles deviam gravar Suas palavras e exibi-las em lugares onde pudessem ser sempre vistas. A lei dizia para ensinar as instruções de Deus aos seus filhos em todo o tempo “quando estiverem em casa e quando estiverem caminhando, quando se deitarem e quando se levantarem” (v.19).

Deus nos chama para conversar. Aproveite a oportunidade, confie no Espírito e tente transformar suas conversas em algo mais profundo. Deus abençoará nossas comunidades ao falarmos sobre Suas palavras e as praticarmos.

Por Amy Peterson

sábado, 6 de novembro de 2021

Uma luz na escuridão

"Aqui no mundo vocês terão aflições, mas animem-se, pois eu venci o mundo." (João 16:33)

No livro These are the generations (Estas são as gerações), o Sr. Bae descreve a fidelidade de Deus e o poder do evangelho para adentrar nas trevas. Seu avô, pais e a própria família foram perseguidos por compartilhar sua fé em Cristo. Mas, quando o Sr. Bae foi preso por contar a um amigo sobre Deus, sua fé cresceu. Ocorreu o mesmo com os pais dele ao serem sentenciados a um campo de concentração, eles continuaram a compartilhar o amor de Cristo mesmo naquele local. A promessa em João 1:5 “A luz brilha na escuridão, e a escuridão nunca conseguiu apagá-la” tornou-se verdade para o Sr. Bae.


Antes da prisão e crucificação, Jesus advertiu os Seus discípulos sobre o que enfrentariam: seriam rejeitados por pessoas que fariam “isso porque nunca conheceram nem o Pai nem a [Ele]” (16:3). Mas Jesus ofereceu-lhes conforto: “Aqui no mundo vocês terão aflições, mas animem-se, pois eu venci o mundo” (v.33).

Embora muitos cristãos não tenham sofrido a perseguição que a família do Sr. Bae suportou, podemos esperar enfrentar problemas. Mas não precisamos ceder ao desânimo ou ao ressentimento. Temos um Encorajador — o Espírito Santo, que Jesus nos enviou. Podemos buscá-lo pedindo orientação e conforto (v.7). O poder da presença de Deus pode nos manter firmes em tempos sombrios.

Por Linda Washington

Pai Celestial, por Tua graça, protege os Teus filhos que sofrem perseguições.