domingo, 26 de janeiro de 2020

Crescendo à semelhança de Cristo

"Sabemos que Deus faz com que todas as coisas concorram para o bem daqueles que o amam, dos que são chamados segundo o seu propósito". (Romanos 8:28)

Esse versículo é muito citado quando enfrentamos adversidades. Mas muitas vezes deixamos de notar que versículo seguinte nos ajuda a compreender o que é o "bem" de que falo o versículo 28. O versículo 29 começa com a palavra "pois", indicando tratar-se de uma continuação e amplificação do pensamento do versículo 28. Diz ele: "Pois os que conheceu por antecipação, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos".

O bem para o qual Deus opera em nossa vida é a conformidade à imagem do seu Filho. Portanto, esse bem não é necessariamente nosso conforto ou felicidade presentes, mas, sim, a conformidade a Cristo em medida sempre crescente para a eternidade.

Vemos essa mesma ideia em Hebreus 12:10: "Pois eles [nossos pais] nos disciplinaram durante pouco tempo, como bem lhes parecia, mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para sermos participantes da sua santidade". Compartilhar da santidade divina é expressão equivalente a ser conformado à semelhança de Cristo. Deus sabe com exatidão o que pretende que nos tornemos e sabe com exatidão que circunstâncias, boas e ruins, são necessárias para produzir esse resultado em nossa vida.

Se parar e pensar no assunto, você perceberá que a maioria dos traços de caráter piedosos só pode ser desenvolvida por meio da adversidade. Deus, em sua infinita sabedoria, sabe exatamente de que adversidade necessitamos para crescer mais e mais à semelhança do seu Filho.

Na adversidade estamos crescendo à semelhança de Cristo.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

A cura para a ansiedade

"Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições…" (Filipenses 4:6)

Muitas pessoas ficam entusiasmadas com o ano novo. Algumas fazem mudanças nos planos. Outras resolvem reformar a casa, comprar um móvel novo, trocar um quadro de lugar... A verdade é que os desafios e incógnitas que nos esperam em um novo ano nos deixam às vezes ansiosos. Enquanto pensamos na lista de coisas por fazer, devemos nos lembrar das palavras escritas pelo apóstolo Paulo: “sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica” (v.7).

Se alguém pudesse estar ansioso sobre o desconhecido e desafios, teria sido Paulo. Ele naufragou, foi espancado e preso. Em sua carta à igreja de Filipos, ele encorajou seus amigos que também estavam enfrentando incógnitas, dizendo-lhes: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições…” (v.6).

As palavras de Paulo nos encorajam. A vida é cheia de incertezas — venham elas como uma grande transição da vida, problemas familiares, de saúde ou financeiros. Continuamos aprendendo que Deus se importa. Ele nos convida a abandonar os nossos medos do desconhecido, entregando-os a Ele. Quando o fazemos, Ele, que sabe todas as coisas, promete que a Sua paz, “que excede todo o entendimento, guardará” nosso coração e mente em Cristo Jesus (v.7). 

O cuidado de Deus por nós traz paz à mente.