segunda-feira, 1 de abril de 2019

Pequeno deslize

"Quem é o homem que ama a vida e quer longevidade para ver o bem? Refreia a língua do mal…" (Salmo 34:12,13)

A derrota de Napoleão na Rússia, há 200 anos, foi atribuída ao severo inverno russo, especificamente porque os seus cavalos estavam usando ferraduras de verão. Quando o inverno chegou, estes cavalos morreram porque escorregaram em estradas geladas ao puxarem os vagões de suprimento. O fracasso da cadeia de fornecimento de Napoleão reduziu seu forte exército de 400 mil para apenas 10 mil. Um pequeno deslize; um resultado desastroso!

Tiago descreveu como um deslize da língua pode fazer um grande estrago. Uma palavra errada pode alterar as carreiras ou os destinos das pessoas. A língua é tão tóxica que sobre ela, Tiago escreveu: “…nenhum dos homens é capaz de domar; é mal incontido, carregado de veneno mortífero” (3:8). O problema tem aumentado em nosso mundo contemporâneo como um e-mail descuidado ou uma postagem num site de mídia social que pode causar grande dano. Torna-se rapidamente viral e nem sempre pode ser recolhido.

O rei Davi estabeleceu o respeito ao Senhor com a maneira como usamos nossas palavras. Ele escreveu: “…eu vos ensinarei o temor do Senhor […]. Refreia a língua do mal e os lábios de falarem dolosamente (34:11,13). Ele decidiu: “…guardarei os meus caminhos, para não pecar com a língua; porei mordaça à minha boca…” (39:1). Senhor, ajuda-nos a fazer o mesmo. — C. P. Hia

Nossas palavras têm o poder de construir ou de destruir.

Nenhum comentário :

Postar um comentário