segunda-feira, 18 de março de 2019

Agitação e descanso

"[Jesus] lhes disse: Vinde repousar um pouco, à parte, num lugar deserto…" (Marcos 6:31)

O despertador toca. Parece muito cedo. Mas você tem um longo dia pela frente. Você tem trabalhos a fazer, compromissos a cumprir, pessoas que precisa cuidar, ou tudo isso e muito mais. Bem, você não está só. Todo dia, muitos de nós corremos de uma coisa à outra. Como alguém sagazmente sugeriu: “Quem muito faz, mais arruma para fazer.”

Quando os apóstolos voltaram de sua primeira viagem missionária, eles tinham muito a relatar. Mas Marcos não registrou a avaliação de Jesus sobre o trabalho dos discípulos; ao invés disso, se concentrou na preocupação do Mestre de que eles descansassem um pouco. Jesus disse: “…Vinde repousar um pouco, à parte, num lugar deserto…” (6:31).

Em última análise, encontramos o verdadeiro descanso ao reconhecermos a presença de Deus e confiarmos nele. Enquanto levamos nossas responsabilidades a sério, também reconhecemos que podemos relaxar nosso envolvimento com o trabalho e carreiras, nossas famílias e ministério, e entregá-los a Deus pela fé. Podemos separar um tempo cada dia para nos dessintonizar das distrações, afastar as inquietações tensas e com gratidão refletir sobre a maravilha do amor e da fidelidade de Deus.

Portanto, sinta-se livre para parar e tomar um fôlego. Tenha um descanso verdadeiro. — Poh Fang Chia

Deus nos criou com a necessidade do descanso.

sexta-feira, 1 de março de 2019

O que faria Jesus?

Pois amar a Deus é obedecer aos seus mandamentos. E os seus mandamentos não são difíceis de obedecer porque todo filho de Deus pode vencer o mundo. Assim, com a nossa fé conseguimos a vitória sobre o mundo. (1 João 5:3-4)

Estamos vivenciando o Carnaval 2019. Os meios de comunicação concentram os holofotes nas pessoas – famosas ou não – e nas diversas maneiras de se extravasar a envolvente alegria carnal. À medida que os anos passam, percebemos que cada vez mais pessoas procuram os divertimentos disponíveis nessa época ao redor do mundo, quase como uma obrigação para não ficar fora de moda. Isso é uma tentação? Ou não? Depende. 

"Eu não curto Carnaval porque é a festa das máscaras, e devemos viver na luz. Não curto, porque é a festa do nudismo e devemos viver com decência. Não curto, porque é a festa da bebedeira e devemos viver com sobriedade. Não curto porque é uma festa carnal e devemos viver no Espírito. Não curto porque o propósito dessa festa é agradar à carne e as obras da carne conduzem à condenação. Não curto, porque é a festa que termina em cinzas, enquanto a festa de Deus tem plenitude de vida agora e para sempre!" (H. D. Lopes)

Não tenho nada contra divertimento, mas o que faria Jesus em nossos passos?

Sabemos que a crença em Cristo nos assegura o céu na próxima vida. Mas muitas vezes esquecemos que Cristo também é quem nos livra de cedermos aos desejos carnais. É fácil cair na prática do auto esforço e começar a pensar que cabe a nós, de alguma forma, superar o nosso instinto pecaminoso. Então, não precisamos ter medo pois quando vier a tentação a gente tira de letra. Será?

Nós não vencemos o pecado pelo nosso próprio esforço, mas pela fé. O trecho bíblico acima diz que a fé é a chave para a vitória. E a chave para a fé é Cristo. O nosso alvo na vida deve ser Cristo. Devemos imitá-Lo em tudo que Ele fez aqui na terra e seguir os seus passos. Não devemos focar somente na Sua morte na cruz, mas em todo o Seu modo de vida. Em vez de somente lembrar que Cristo é o nosso Salvador, devemos também valorizar tudo o que Ele representa: a consagração, o modelo de vida, a perfeição, o amor, a morte, a ressurreição, a ascensão, a intercessão e a promessa de nos levar para o céu. Na verdade, Cristo é a nossa verdadeira vida e, quando Ele aparecer para buscar a Sua Igreja, os salvos se ajuntarão a Ele e tomarão parte na Sua glória.

Se nós negligenciamos a vida completa de Cristo e o Seu exemplo e nos concentrarmos apenas na parte do que Ele fez na cruz, nós não teremos uma vida cristã completa. Seremos crentes imaturos e não venceremos as tentações. Nós não temos uma fonte de energia dentro de nós mesmos para vencer o mundo. A força para superarmos os desejos mundanos é alcançada seguindo-se os passos do Senhor Jesus Cristo. E Ele deixou todo o Seu exemplo de vida escrito na Sua Palavra. Se O seguirmos, Ele nós dá a vitória que vence o mundo: a fé.

O que faria Jesus em seus passos? Peça a Deus a graça para lembrar todo dia que a vitória sobre o pecado, sobre a dúvida e sobre o desânimo é uma dádiva exclusiva da pessoa e da obra de Jesus Cristo.