segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Fé ruim, fé boa

"…não duvidou, […] da promessa de Deus; mas, pela fé, se fortaleceu, dando glória a Deus." (Romanos 4:20) 

As pessoas dizem: “Você precisa ter fé.” Mas o que isso quer dizer? Qualquer fé é boa?

“Acredite em você mesmo e em tudo o que você é,” escreveu um pensador há um século. “Saiba que há algo em seu interior maior do que qualquer obstáculo.” Por mais agradável que isso soe, se desmorona quando se choca com a realidade. Precisamos de uma fé em algo maior do que nós mesmos.


Deus prometeu a Abraão que ele teria uma multidão de descendentes (Gênesis 15:4,5), dessa forma, Abraão enfrentou um grande obstáculo — estava velho e sem filhos. Quando ele e Sara se cansaram de esperar que Deus cumprisse tal promessa, tentaram sobrepor esse obstáculo por conta própria. Como resultado, fenderam sua família e criaram muita discórdia desnecessária (Gênesis 16; 21:8-21).

Nada que Abraão fez com suas próprias forças funcionou. Mas no fim das contas, ele ficou conhecido como um homem de tremenda fé. Paulo escreveu que: “Abraão, esperando contra a esperança, creu, para vir a ser pai de muitas nações, segundo lhe fora dito: Assim será a tua descendência” (Romanos 4:18). Esta fé, disse Paulo: “…lhe foi também [imputada] para justiça” (v.22).

A fé deste homem estava em algo bem maior do que ele mesmo — no único Deus. É o objeto de nossa fé que faz toda a diferença. — Tim Gustafson

Nossa fé é boa se estiver alicerçada na pessoa de Jesus.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Quando restam perguntas

"Mas ele sabe o meu caminho; se ele me provasse, sairia eu como o ouro." (Jó 23:10)

Enquanto equipes buscam sobreviventes do rompimento de uma barragem da mineradora Vale em Brumadinho (MG), técnicos começam a se debruçar sobre as causas da tragédia. Eles listaram perguntas que ainda não foram respondidas pela empresa e por autoridades - e cujas respostas ajudarão a compreender os motivos do desastre e a medir seus impactos. Muitas delas serão respondidas, mas sempre restarão perguntas cujas respostas somente fluirão de uma fonte sobrenatural.

Em 2014, uma nave experimental em teste se desintegrou e caiu em área deserta. O copiloto morreu; o piloto sobreviveu milagrosamente. Os investigadores logo determinaram o que acontecera, mas não o porquê. O título de um artigo de jornal começava com: “Restam perguntas.” 

Na vida, podemos ter pesares para os quais não há explicação adequada. Alguns são catástrofes com efeitos de longo alcance; outros, tragédias pessoais que alteram nossa vida individual e as famílias. Queremos saber o porquê, contudo encontramos mais perguntas do que respostas. No entanto, mesmo quando lutamos com o motivo, Deus nos alcança com Seu amor infalível.

Ao perder seus filhos e sua riqueza em um só dia (Jó 1:13-19), Jó se afundou em raivosa depressão e resistiu a toda tentativa de explicação por parte de seus amigos. Contudo, manteve a esperança de, algum dia, ter uma resposta de Deus. Mesmo em trevas, Jó pôde dizer: “[Deus] sabe o meu caminho; se ele me provasse, sairia eu como o ouro” (23:10).

O autor Oswald Chambers disse: “Algum dia, virá um toque pessoal e direto de Deus, quando toda lágrima e perplexidade, opressão e angústia, sofrimento e dor, erro e injustiça terão explicação total, extensa e avassaladora.”

Hoje, diante das perguntas não respondidas da vida, podemos encontrar ajuda e esperança no amor e nas promessas de Deus. — David C. McCasland

Diante de perguntas não respondidas, encontramos ajuda e esperança no amor de Deus.