segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Um lugar firme para ficar

"Tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama; colocou-me os pés sobre uma rocha…" (Salmo 40:2)

Uma moradora da comunidade Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), a cabeleireira Antonia de Oliveira trabalhava no salão que ela tem em casa quando uma vizinha veio avisar que um barragem de rejeitos da Vale estava se rompendo, na sexta-feira passada (25). Com o filho Artur, de três anos, e a sobrinha Lariele, 20, ela não viu outra saída a não ser correr para um lugar seguro.

Para tentar sobreviver, escapou por uma ladeira. "Saí correndo desesperada, morro acima, com o filho nas costas. Parecia que a gente corria, corria demais e não saía do lugar, parecia que não ia dar tempo. Era desespero total".

Os dias em que vivemos podem parecer tão turbulentos quanto os de hoje em Brumadinho. Como aquelas pessoas sobreviventes desse desastre, precisamos de um lugar seguro para nos ajudar a atravessar as tempestades da vida. 

Davi, quando escreveu o Salmo 40, havia passado por uma situação de desespero, mas ele enfrentou o perigo e celebrou o caráter de Deus por lhe dar um lugar firme para ficar. Ele declarou: “Tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama; colocou-me os pés sobre uma rocha e me firmou os passos” (Salmo 40:2). Davi vivenciou conflito, o fracasso pessoal e conflitos familiares; ainda assim, Deus lhe deu um lugar para firmar-se. E, Davi cantou “…um hino de louvor ao nosso Deus…” (v.3).

Em tempos de dificuldade, nós também podemos buscar em nosso poderoso Deus a estabilidade que só Ele concede. Seu cuidado fiel nos inspira a dizer com Davi: “São muitas, Senhor, Deus meu, as maravilhas que tens operado e também os teus desígnios para conosco” (v.5).

Que Deus socorra as vítimas do desastre de Brumadinho.

Quando o mundo à nossa volta está desmoronando, Cristo é a rocha sólida em que nos firmamos.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Marcar passo

"…dos que em ti esperam, ninguém será envergonhado…" (Salmo 25:3)

Estamos vivenciando momento de muita ansiedade e afobamento na política brasileira. É muito importante que mantenhamos a calma, confiantes na providência soberana de Deus. Temos que ter o cuidado para não repassarmos adiante em nossas redes sociais informações inverídicas ou enviesadas e manipuladas, muitas delas sem fundamento, divulgadas com o único objetivo de desmoralizar os políticos que estão empenhados em restabelecer a ordem moral e econômica na nossa Nação. Não podemos prejulgar as pessoas e nem afirmar generalizações do tipo "todo político é bandido", porque isso não é verdade. Vamos manter as orações no sentido de que os magistrados desse país, únicos que têm competência legal para isto, julguem sabiamente cada caso de corrupção que tanto tem envergonhado o nosso povo.


Tomemos por exemplo a disciplina dos quarteis. A ordem militar “marcar passo” significa marchar sem sair do lugar. É uma pausa ativa no movimento para a frente, permanecendo mentalmente preparado e esperando com expectativa a próxima ordem.

Na linguagem do dia a dia, o termo marcar passo significa “movimento sem progresso, sem chegar a lugar algum, nada fazendo de importante, enquanto se espera.” Essa expressão pode transmitir a sensação de ócio, de espera sem sentido, mas nem sempre é assim.

Em contraste, a palavra para esperar na Bíblia muitas vezes significa “olhar ansiosamente para, ter a expectativa de”. O salmista, ao enfrentar grandes dificuldades, escreveu: “Deus meu, em ti confio; não seja eu envergonhado, nem exultem sobre mim os meus inimigos. Com efeito, dos que em ti esperam, ninguém será envergonhado… (Salmo 25:2,3).

Muitas vezes, não temos escolha sobre o que temos de esperar — um diagnóstico médico, uma resposta da entrevista de emprego, a volta de um ente querido, a boa administração pública da Nação — mas podemos decidir de que maneira vamos esperar. Ao invés de ceder ao medo ou apatia, podemos continuar a “marchar no lugar”, buscando a força de Deus e direção a cada dia.

“Faze-me, Senhor, conhecer os teus caminhos, ensina-me as tuas veredas. Guia-me na tua verdade e ensina-me, pois tu és o Deus da minha salvação, em quem eu espero todo o dia” (vv.4,5).

Esperar no Senhor é exercer a confiança prática e atuante, não apenas teórica.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Uma lição aprendida

"…porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação." (Filipenses 4:11)

Maria ficou viúva e, em seguida, adoeceu. Sua filha, então, a convidou para ir morar na nova “casa da vovó”, que construíra nos fundos da sua para recebê-la. Isso implicou em deixar amigos e o restante da família a muitos quilômetros, mas ela alegrou-se pela provisão de Deus.

Seis meses em sua nova vida, e a alegria e o contentamento ameaçaram escapar quando sentiu-se tentada a resmungar e duvidar de que a mudança fosse realmente o plano divino. Ela sentia falta de seus amigos cristãos, e sua nova igreja estava longe demais para ela ir sozinha.

Maria leu algo que Charles Spurgeon escreveu: “…o contentamento é uma das flores do céu, e deve ser cultivado”. E Paulo escreveu: ‘…porque aprendi a viver contente’, como se ele antes não soubesse. Ela concluiu que se um evangelista fervoroso como Paulo, confinado na prisão, abandonado por amigos, e enfrentando a execução, poderia aprender o contentamento, ela também poderia.

“Percebi que enquanto não aprendesse esta lição, não desfrutaria do que Deus tinha planejado”, disse ela. “Assim, confessei minha murmuração e pedi o Seu perdão. Logo depois, uma senhora aposentada me perguntou se eu gostaria de ser sua parceira de oração, e outros me ofereceram carona à igreja. Minhas necessidades por um “amigo de alma” e maior mobilidade foram maravilhosamente supridas.” — Marion Stroud

Deus nem sempre mudará as circunstâncias, mas nos transformará se estivermos dispostos.

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Fortalecendo o coração

"…porquanto o que vale é estar o coração confirmado com graça…" (Hebreus 13:9)

Este início de ano é muito comum as academias de ginásticas estarem cheias. As pessoas sempre fazem um compromisso novo no dia do Ano Novo, um deles é voltar a exercitar fisicamente. As academias de modo geral são locais agradáveis e aconchegantes, frequentado por aqueles que gostam de socializar enquanto malham. Muitas delas têm aparelhos de última geração, é cheia de homens e mulheres sérios, comprometidos em alcançar um corpo escultural. Porém, quando paro para observá-los, eu os vejo como pessoas tensas e cansadas. Eles aparentam ser fortes, mas me questiono se o coração deles está se fortalecendo com graça.

O coração é um músculo — aquele que mantém os outros músculos funcionando. É bom modelar e tonificar os outros músculos, mas o essencial é fazer aquilo que mantém o coração forte.

Acontece o mesmo com o nosso coração espiritual. Fortalecemos e tonificamos o coração por meio da Palavra da verdade ao receber sua mensagem de bondade e graça de Deus. Manter o nosso coração espiritual forte e saudável deve ser a nossa máxima prioridade — acima de todas as outras.

Paulo concordaria: “…Exercita-te, pessoalmente, na piedade. Pois o exercício físico para pouco é proveitoso, mas a piedade para tudo é proveitosa, porque tem a promessa da vida que agora é e da que há de ser” (1 Timóteo 4:7,8).

O treinamento de Deus é planejado para aumentar a nossa fé.