segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Ore pelo Brasil

“E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. ” (2 Crônicas 7:14)

Após ser confirmado como o 42º Presidente da República, Jair M. Bolsonaro convocou a imprensa para seu discurso de vencedor das Eleições 2018. Porém, antes de discursar ele pediu para que o Senador Magno Malta fizesse uma oração. Essa oração foi feita ao vivo em cadeia nacional de rede de televisão. Muitos acharam maravilhosa esta cena. Porém, alguns descrentes não concordaram com a atitude do novo presidente.

Durante esses dias temos acompanhado notícias impactantes sobre o governo do Brasil. Ficamos preocupados, aflitos e aparentemente parece tudo um caos e de difícil solução. Mas, a verdade é que nós precisamos colocar nossa confiança em Deus. Aquele que pode mudar todas as coisas está com os ouvidos atentos às nossas orações. Mas, na prática, como podemos orar pelo Brasil?


O primeiro passo é entender que a oração pode mudar tudo. Isso porque nossas orações são poderosas diante de Deus. A oração é o que libera o poder e favor de Deus sobre uma situação. E em meio ao desconhecido, nós, como igreja, precisamos orar!

Deus sabe como levantar seu povo em meio às crises. Ele sabe como liberar justiça e triunfar sobre o mal. Nosso Deus não somente tem justiça como ele mesmo é a própria justiça para o Brasil. Diante disso, precisamos então nos unir em parceria com Deus e orarmos. Precisamos declarar suas promessas e verdades sobre nosso governo e povo.

Que ao orarmos pelo novo Presidente da República e pelo Brasil nosso coração venha se encher de compaixão ao nos lembrarmos das injustiças e de como sofremos as consequências da falta de retidão dos líderes. Por isso, devemos nos arrepender de nossas pequenas áreas de comprometimento em nossa própria vida. Além disso, devemos orar com um coração tenro e manso, buscando a misericórdia de Deus. Depois, devemos pedir por justiça e transformação, tendo como base a palavra de Deus em nossas orações.

“Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo ao qual escolheu para sua herança. (Salmos 33:12)

“E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve. ” (1João 5:14)

Imagine o que aconteceria se um grupo de pessoas se reunisse para orar pela nação semanalmente? E o que aconteceria se uma cidade fizesse isso? E uma nação? Que venhamos nos voltar ao Senhor de todo coração, crendo que há esperança! Nossa esperança está em Deus. Mesmo que aparentemente você não veja nada, creia que Deus está movendo as coisas e que sua justiça prevalecerá!

“Levanta-te, ó Deus, julga a terra, pois todas as nações te pertencem” (Salmos 82:8)

“Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade. Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador.” (1 Timóteo 2:1-3)

Senhor, nós clamamos a ti por Justiça. Oramos por aqueles que nos governam e pedimos que o Senhor torne o coração deles tenro e revele Jesus a eles. Nós te pedimos que se lembre de nós e venha ao nosso socorro com misericórdia e retidão. Em meio ao caos, colocamos nossa esperança somente em ti e confiamos em tua liderança sobre nós. 

Em nome de Jesus, amém!

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Deixando o passado para trás

"…se alguém está em Cristo, é nova criatura…" (2 Coríntios 5:17)

Pelo o que tudo indica, o Brasil caminha para uma mudança radical na sua estrutura de governo. Qualquer que seja o resultado das eleições, nós cristãos sabemos que não precisamos nos preocupar, porque não existe autoridade governamental que não proceda de Deus (Romanos 13:1). O nosso reino não é deste mundo, aqui não é a nossa morada eterna. O nosso Reino é espiritual, implantado em um novo céu e uma nova terra transformados por Jesus Cristo, com quem reinaremos para sempre. Lá, "Ele nos enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem prato, nem dor, porque as primeiras coisas passaram" (Apocalipse 21:4). O que precisamos nos preocupar é com nossas almas, que são eternas, e precisam ser transformadas.

Chris Baker é um tatuador que transforma símbolos de dor e escravidão em obras de arte. Muitos de seus clientes são ex-membros de gangues e vítimas de tráfico humano, que foram marcados com nomes, símbolos ou códigos de identificação. Chris os transforma em belas obras de arte tatuando novas imagens por cima deles.


Jesus faz à alma o que Chris Baker faz à pele — Ele nos recebe como somos e nos transforma. A Bíblia diz: “…se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas” (2 Coríntios 5:17). Antes de conhecer Cristo, seguimos nossos desejos aonde quer que nos levem, e nossos estilos de vida refletem isso. Quando nos arrependemos e começamos a andar com Cristo, as paixões e as armadilhas que antes dominavam a nossa vida se tornam “a vida antiga” (1 Coríntios 6:9-11), que desaparece quando somos transformados: “…tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo…” (2 Coríntios 5:18).

Ainda assim, a vida como uma “nova pessoa” nem sempre é fácil. Pode levar tempo para desligar-se de velhos hábitos. Podemos lutar com ideias que eram fundamentais para o nosso velho modo de vida. Contudo, ao longo do tempo, o Espírito Santo de Deus age em nós, dando-nos força interior e compreensão do amor de Cristo. Como belas novas criações de Deus, estamos livres para deixar o passado para trás. — Jennifer Benson Schuldt

Para desfrutar do futuro, aceite o perdão de Deus pelo que já passou.

sábado, 13 de outubro de 2018

Controle das palavras

"Põe guarda, Senhor, à minha boca; vigia a porta dos meus lábios." (Salmo 141:3)

Quando Rebeca estava no palco para palestrar em uma conferência, sua primeira frase ao microfone ecoou pela sala. Foi um pouco perturbador ouvir suas próprias palavras voltarem; ela teve de se adaptar ao sistema de som com defeito e tentar ignorar o eco de todas as palavras que dizia. 


Imagine como seria ouvir tudo que dizemos repetido! Não seria tão ruim nos ouvirmos repetindo: “Eu te amo”, “Eu estava errado”, “Obrigado, Senhor” ou “Estou orando por você”. Mas nem todas as nossas palavras são bonitas, suaves ou gentis. E quanto às explosões de raiva ou aos comentários humilhantes que ninguém quer ouvir uma vez, muito menos duas vezes — palavras que realmente preferiríamos? 

Como o salmista Davi, ansiamos pelo controle do Senhor sobre as nossas palavras. Ele orou: “Põe guarda, Senhor, à minha boca; vigia a porta dos meus lábios” (Salmo 141:3). Felizmente, o Senhor quer fazer isso. Ele pode nos ajudar a controlar o que dizemos. Ele pode guardar os nossos lábios. 

Enquanto aprendemos a nos adaptar ao nosso próprio sistema de som prestando muita atenção ao que dizemos e orando sobre as palavras que falamos, o Senhor nos ensinará com paciência e até mesmo nos capacitará a ter autocontrole. E, o melhor de tudo, Ele nos perdoa quando falhamos e se agrada do nosso desejo por Sua ajuda. — Anne Cetas 

Parte do autocontrole é o controle da boca.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Envio a você flores brancas

"Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste." (Mateus 5:48)

"Após as eleições as reuniões de famílias serão audiências de conciliações." "Por causa da política, os presentes de amigos ocultos deste final de ano correm o risco de virem acompanhados de flores brancas." Essas frases foram copiadas das redes sociais, parecem estranhas, mas expressam perfeitamente a realidade dos nossos dias de política acirrada. 

Muitos amigos e parentes, na ânsia de tentarem convencer uns aos outros de que o seu candidato é o melhor para governar o país, acabam ofendendo o próximo com suas palavras fortes e não pouco grosseiras. Por isso, devemos o quanto antes reconhecer o nosso erro e pedir perdão. Não só isso, mas devemos pedir a Deus que nos dê um coração devoto à piedade de forma que possamos amar uns aos outros para que haja unidade, mesmo na diversidade, transmitindo nossas palavras de forma carinhosa e, se possível, "conquistarmos" o coração do irmão, sem ofendê-lo. 

Eu mesmo, que participo bastante das redes sociais, posso eventualmente ter ofendido alguém, pelo que deixo aqui desde já o meu pedido de perdão. É preciso continuarmos em paz, não com o mundo pecaminoso que jamais estaremos, mas com os irmãos na fé, sob a graça de Deus. Envio a você flores brancas significando o perdão, a paz, a inocência, a pureza, e a lealdade.



Durante anos, considerei o Sermão do Monte (Mateus 5–7) um modelo para o comportamento humano, um padrão inatingível para qualquer um. Como consegui perder o verdadeiro significado? Jesus não falou aquelas palavras para nos frustrar, mas para nos dizer como Deus é. 

Por que devemos amar os nossos inimigos? Porque o nosso Pai misericordioso faz o Seu sol se levantar sobre os maus e os bons. Por que ajuntar tesouros no céu? Porque o Pai vive lá e nos recompensará generosamente. Por que viver sem medo e preocupação? Porque o mesmo Deus que veste os lírios e a erva do campo prometeu cuidar de nós. Por que orar? Se um pai terreno dá ao seu filho pão ou peixe, quanto mais o Pai celestial dará coisas boas aos que o pedem? 

Jesus proferiu o Sermão do Monte não só para explicar o ideal de Deus pelo qual nunca devemos parar de lutar, mas também para mostrar que, nesta vida, jamais atingiremos esse ideal. 

Diante de Deus, todos nós estamos no mesmo patamar: assassinos e birrentos, adúlteros e luxuriosos, ladrões e cobiçosos. Estamos todos desesperados e esse é o único estado apropriado a um ser humano que quer conhecer a Deus. Depois de ter caído do ideal absoluto, não temos onde cair senão na rede de segurança da graça absoluta. — Philip Yancey 

Somente Deus pode transformar uma alma pecaminosa numa obra de arte da graça do perdão.

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Vida honrosa

"…sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus…" (1 Pedro 2:9) 

O mundo nunca foi e nunca será um paraíso por causa da natureza caída do homem. Segundo João 16:33, paraíso só no céu, quando os homens salvos serão restaurados de sua natureza pecaminosa, creia você ou não. O que difere um povo desenvolvido de outro é a educação e o grau de civilização. Quando um povo conhece os seus deveres e seus direitos igualmente, esse povo vive bem. Se não conhece, não há sistema político ou ideologia humana que resolva. Só Jesus Cristo é a solução.


Num famoso discurso, um respeitado líder e estadista chamou a atenção de sua nação ao declarar que a maioria dos Membros do Parlamento (MPs) de seu país era bastante desonrosa. Citando corrupção, atitudes pomposas, linguajar chulo e outros vícios, ele os repreendeu e os exortou a se corrigirem. Como esperado, eles não aceitaram bem os comentários e o criticaram. 

Nós, que seguimos Cristo, podemos não ser servidores públicos em cargos de liderança, mas somos “…raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo […] de Deus…” (1 Pedro 2:9). Como tal, o nosso Senhor nos chama a estilos de vida que o honrem. 

Pedro deu conselhos práticos sobre isso. Ele nos exortou a nos abstermos “…das paixões carnais, que fazem guerra contra a alma” (v.11). Embora não tenha usado a palavra honrosa, ele nos chamou para um comportamento digno de Cristo. 

Paulo expressou-se assim: “…tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento” (Filipenses 4:8). De fato, essas são as características de comportamento que honram o nosso Senhor. — acharles 

Honramos o nome de Deus quando o chamamos de nosso Pai e vivemos como Seus filhos.