sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Muito melhor

"…[tenho] o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor." (Filipenses 1:23)

Uma sirene tocava fora da casa de um menino. Não conhecendo o som, ele perguntou a sua mãe o que era. Ela explicou que a sirene servia para alertar as pessoas sobre uma tempestade perigosa. E explicou que, se as pessoas não se escondessem, poderiam morrer em consequência do furacão. O menino respondeu: “Mamãe, por que isso é ruim? Se morremos, não encontramos Jesus?” 


As crianças nem sempre entendem o que significa morrer. Mas Paulo, que tinha uma vida inteira de experiência, escreveu algo semelhante: “…[tenho] o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor” (Filipenses 1:23). O apóstolo estava sob prisão domiciliar no momento, mas sua declaração não fora por desespero. Ele se regozijava porque o seu sofrimento estava promovendo a difusão do evangelho (vv.12-14).

Então, por que Paulo ficaria dividido entre o desejo de vida e de morte? Porque continuar a viver significaria “trabalho frutífero”. Mas ele sabia que, se morresse, desfrutaria de um tipo especial de proximidade com Cristo. Estar ausente do nosso corpo é estar em casa com o Senhor (2 Coríntios 5:6-8).

As pessoas que creem no poder salvífico da morte e ressurreição de Jesus estarão com Ele para sempre. Já se disse: “Tudo está bem quando acaba no céu”. Quer vivamos ou morramos, nós ganhamos, pois “…o viver é Cristo, e o morrer é lucro” (Filipenses 1:21). — Jennifer Benson Schuldt

Crer na morte e ressurreição de Jesus traz a certeza da vida eterna com Ele.