sábado, 28 de abril de 2018

Há beleza nas suas cicatrizes

"Ele fica perto dos que estão desanimados e salva os que perderam a esperança." (Salmos 34:18 - NTLH)

Durante a trajetória da nossa vida sempre teremos momentos bons e ruins para recordar. Às vezes passamos por dias tão difíceis, que acreditamos que somos os únicos a enfrentar determinada situação.

No meio cristão existe pressão para que você seja uma pessoa forte, alguém que não se abata, e que nunca fica triste. Talvez seja por isso que a Igreja esteja tão falha em relação à santidade, pois Deus só aperfeiçoa o seu poder em nós quando somos fracos. Assumir as nossa falhas e nos orgulhar das nossas cicatrizes pode ser algo muito difícil e demorado, mas vale a pena.

A vida inteira ensinaram a esconder nossas marcas. Cristo escolheu morrer numa cruz e fez questão de deixar as marcas causadas por essa escolha. Já parou para pensar por que? Porque através da sua dor a nossa dor é curada. Através das suas cicatrizes nós somos consolados e temos esperança em Jesus.

Talvez você tenha agido como um super crente durante todo esse tempo, achando que isso serve de inspiração para as pessoas quererem estar por perto, quando na verdade isso as afasta de você. E elas, ao invés de serem motivadas a terem um relacionamento com Deus, sente-se inferiores, achando que nunca vão conseguir ter a mesma intimidade com Deus que você tem.

Jesus veio para mostrar que Deus age na vulnerabilidade, pois mesmo sendo Rei, o Leão da tribo de Judá, ele se entregou como Cordeiro pelos nossos pecados, para que nós pudéssemos amá-lo enquanto damos a vida pelos nossos irmãos como cordeiros vulneráveis mostrando nossas cicatrizes, não fingindo serem super cristãos, mas agindo com humildade, reconhecendo que não temos nada de bom, e tudo que temos vem unicamente de Deus.


Existe beleza nas suas cicatrizes. Elas fazem as pessoas entenderem que não é mérito humano ser amado por Deus, mas que o Senhor nos ama mesmo assim, e que não há jeito de apagar o sacrifício que foi feito na cruz, nos deixando uma única opção: ter a vida que Jesus propõe a nós.