segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Tende bom ânimo

"Tenho-vos dito estas coisas, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis tribulações; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16:33)

O conceito sobre felicidade se torna muito claro quando estudamos as características principais de pessoas cronicamente infelizes, de acordo com a pesquisadora Sonja Lyubomirsky, da revista Psychology Today, da Universidade da Califórnia. A nossa capacidade para sermos felizes está na disposição de mudar os nossos hábitos. Se isso é verdade e é, há esperança para todos nós. Mas muitas pessoas por pouca coisa não conseguem atravessar a pinguela entre a infelicidade e a felicidade.

Tendo em vista o excelente artigo de Tamara Star, extraído de The Huffington Post, publicado originalmente por Dally Transformations, com tradução e adaptação de Portal Raízes, mostrando 7 características principais de pessoas cronicamente infelizes, escrevo alguns comentários baseados em textos bíblicos para mostrar que o nosso Criador é o maior interessado na felicidade humana. 

Segundo o artigo, “existem certos traços e hábitos que parecem dominar cronicamente as pessoas infelizes.” É verdade que todos nós temos dias, semanas, meses e até anos ruins, “principalmente quando caímos na armadilha” dos maus hábitos de pessoas infelizes. A distância entre uma vida infeliz e uma vida feliz está no tempo em que permanecemos nos maus hábitos.

A crença de que a vida é muito difícil e que por isso deve ficar desanimada é o pior hábito de pessoas infelizes. Jesus Cristo disse: "Tenho-vos dito estas coisas, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis tribulações; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16:33)

“Pessoas felizes sabem que a vida pode ser difícil, mas se dispõem a atravessar os tempos difíceis com uma atitude sábia de não se colocar no papel de vítima. É comum assumirem a responsabilidade por se meterem em confusão. Entretanto, se concentram em sair dela o mais rápido possível,” confiando na palavra de Jesus Cristo de que o bom ânimo é condição primordial para vencer as tribulações.

Apresentar “firmeza para encarar o problema em vez de reclamar das circunstâncias é o sintoma de uma pessoa feliz. As pessoas infelizes se consideram vítimas e ficam presas com uma reclamação recorrente: ‘Olha o que aconteceu comigo’. As pessoas infelizes jamais buscam um caminho alternativo.”

Os infelizes acreditam que a maioria das pessoas não é confiável. É fato que o mundo está cheio de pessoas corrompidas, mas se quisermos obedecer a Cristo devemos ama-las, e não sermos maliciosos. O apóstolo Paulo deixou isso bem claro: "...mas agora despojai-vos também de tudo isto: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca;" (Colossenses 3:8)

Claro que “confiança é importante. A maioria das pessoas felizes confia na outra. Acreditam no bem que as pessoas podem fazer. E são amáveis com todas. Por isso se tornam especialistas em construir um espírito de comunidade em torno de si.”

Por outro lado, as pessoas infelizes desconfiam da maioria que conhecem e dizem que as estranhas não são confiáveis. Infelizmente essa é uma postura que, além de clara desobediência à Palavra de Deus, lentamente fecha a porta a qualquer conexão externa e frustra todas as chances de se construir novas amizades.

As pessoas infelizes preferem “se concentrar apenas no que está errado neste mundo e não reconhecem o que é certo. Há muita coisa errada neste mundo. Nem é preciso argumentar sobre elas. Mas as pessoas infelizes fecham os olhos para o que está certo e se concentram exclusivamente no que está errado. E quando se deparam com coisas boas respondem com um duvidoso ‘Sim, mas…’.”

Para deixar de ser infeliz, a pessoa deve se atentar nas coisas espirituais, que são eternas. "Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós cada vez mais abundantemente um eterno peso de glória; não atentando nós nas coisas que se veem, mas sim nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, enquanto as que se não veem são eternas.” Pois "...está escrito: As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam." (1 Coríntios 2:9)

“As pessoas felizes estão cientes das mazelas que acontecem no mundo, mas estabelecem um ponto de equilíbrio em sua preocupação para enxergar também o que é certo”, não abrindo mão das bênçãos prometidas por Deus, tanto nesta vida, quanto na eternidade. O mais apropriado, neste caso, é chamar isso de “manter os dois olhos bem abertos - o carnal e o espiritual”. “Pessoas infelizes tendem a fechar os olhos para as coisas boas com medo de que possam se distrair do que está errado.” Pessoas felizes preferem manter os olhos espirituais em perspectivas. Elas sabem que em todos os lugares há problemas, mas também fixam os olhos da fé nas coisas boas que Jesus Cristo prometeu: "O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância." (João 10:10)

As pessoas infelizes vivem a se comparar com os outros e alimentam o ciúme o tempo todo. Essa é outra desobediência à Palavra de Deus que nos ordena a amar o próximo, se alegrando com a felicidade dele. Disse Jesus: "...Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo." (Mateus 22:37-39)

“As pessoas infelizes acreditam que a boa sorte de outra pessoa rouba a sua própria sorte. Acreditam que não existe bondade ao seu redor e constantemente compara o seu destino com o dos outros. Isso as leva ao ciúme e ao ressentimento”, além da desobediência à Bíblia Sagrada.

“Pessoas felizes sabem que a sua boa sorte e as circunstâncias são meros sinais de que qualquer pessoa pode desejar e alcançar a felicidade”, desde que a busque corretamente seguindo os princípios bíblicos. As pessoas felizes e prósperas descansam e confiam verdadeiramente em Deus e não ficam atoladas pensando que a boa sorte de uma pessoa limita o resultado final na gangorra da vida.

As pessoas infelizes querem manter o controle de tudo com esforço exagerado e se esquecem de que Deus está no controle de todas coisas com sua infinita soberania e graça.

“Existe uma enorme diferença entre controle e esforço para alcançar os objetivos. As pessoas felizes diariamente adotam medidas para cumprir suas metas, mas percebem, no final, que há muito pouco controle sobre o que vida lança no seu caminho.” Elas sabem que quando algo atravessa o seu caminho, elas têm a quem recorrer com a seguinte oração do profeta Samuel: "Porque tu, Senhor, és a minha candeia; e o Senhor alumiará as minhas trevas. Pois contigo passarei pelo meio dum esquadrão; com o meu Deus transporei um muro. Quanto a Deus, o seu caminho é perfeito, e a palavra do Senhor é fiel; é ele o escudo de todos os que nele se refugiam. Pois quem é Deus, senão o Senhor? e quem é rocha, senão o nosso Deus? Deus é a minha grande fortaleza; e ele torna perfeito o meu caminho. Faz ele os meus pés como os das gazelas, e me põe sobre as minhas alturas. Ele instrui as minhas mãos para a peleja, de modo que os meus braços podem entesar um arco de bronze. Também me deste o escudo da tua salvação, e tua brandura me engrandece. Alargaste os meus passos debaixo de mim, e não vacilaram os meus artelhos." (2 Samuel 22:29-37)

As pessoas infelizes e incrédulas “se esforçam ao máximo para controlar os resultados e se desmoronam quando a vida joga em seu caminho uma chave” necessária para abrir a porta. Diante do medo e insegurança, não conseguem abrir a porta. Pessoas felizes e crédulas “podem ser focadas, mas têm a capacidade de ir com o fluxo e não se esmorecem quando a vida mostra um obstáculo. E conseguem abrir a porta”, pois têm uma fonte de segurança que é a Palavra de Deus.

A chave lançada no caminho “dá passagem a uma porta de luz para o fim a ser alcançado. Mesmo assim, as pessoas felizes se preparam para o que pode acontecer sem se desmoronar quando os melhores planos ruírem. Porque isso pode acontecer. Ir com no fluxo da vida e acreditar em uma nova chance” dada por Deus “é o plano B das pessoas felizes.”

As pessoas infelizes olham para o futuro com preocupação e medo. Esta é outra desobediência da Palavra de Deus que tem um castigo muito forte na vida dessas pessoas. "Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus." (Filipenses 4:6-7) Essa é a recomendação bíblica que os incrédulos ignoram.

“Há muito espaço de aluguel nos ouvidos das pessoas infelizes. E os seus pensamentos se enchem com o que pode dar errado em vez de pensar no que pode dar certo. Já as pessoas felizes” acreditam na Palavra e “se permitem sonhar acordadas sobre o que gostariam de realizar na vida.”

As “pessoas felizes também experimentam medo e preocupação, mas fazem uma distinção importante entre sentir e viver”, acreditar e não acreditar em Deus. “Quando o medo ou a preocupação entra na mente de uma pessoa feliz ela se pergunta sobre a possibilidade de uma ação que possa evitar que o seu medo ou preocupação aconteça.” A Palavra recomenda que "antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças". “Pessoas infelizes preenchem esses espaços com constante preocupação, medo do futuro” e busca em outras fontes de energia que não provêm do Deus Criador.

As conversas das pessoas infelizes “estão cheias de reclamações e, não raro, carregadas de fofocas.” Mas a Palavra de Deus ensina o contrário: "Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças; porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco." E aqui voltamos ao versículo de Colossenses 3:8 que diz: "mas agora despojai-vos também de tudo isto: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca;"

“As pessoas infelizes vivem ancoradas na reclamação e gostam de viver no passado. O que lhes aconteceu e as dificuldades da vida são o centro de suas conversas. Quando esgotam as coisas que têm a dizer, se voltam para a vida de outras pessoas. O que popularmente é considerado como fofocas.”

“Pessoas felizes vivem no agora e sonham com o futuro. São capazes de sentir” o agir de Deus “em todos os quadrantes. Sempre são estimuladas com algo em que estão trabalhando, se sentem gratos” a Deus “pelo que conseguiram e sonham com as imensas possibilidades da vida.”

“Óbvio que nenhum de nós é perfeito. É provável que, em alguns momentos, vamos nadar em águas” turbulentas, “mas o que importa é por quanto tempo nós ficamos lá e a forma como trabalhamos no sentido de levarmos os problemas para longe de nós.” Confiar primeiramente em Deus e praticar bons “hábitos diariamente é o que define as pessoas felizes. As pessoas infelizes não se comportam assim. Sempre lamentam as oportunidades perdidas colocando a culpa no outro.”

Por fim, mesmo que caiamos, voltemos novamente e repitamos o trajeto. Assim como o flamboyant, essa árvore maravilhosa que mostramos aqui, que apesar da idade, e não obstante o clima seco e causticante de Brasília, nos meses de agosto e setembro floresce sempre com bom ânimo e mostra suas lindas flores, é na perseverança que está toda a diferença entre uma pessoa feliz, realizada e uma que se considera infeliz e frustrada.