sábado, 14 de outubro de 2017

O círculo familiar

"Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne." (Gênesis 2:24)

Há um círculo sagrado em torno de cada família, que deve ser preservado. Nenhuma outra pessoa tem o direito de entrar nesse círculo. Marido e esposa devem ser tudo um para o outro. A esposa não deve ter segredos que guarde do marido e permita que outros conheçam, e o marido não deve igualmente ter segredos para com a esposa e torná-los conhecidos de outros. O coração da esposa deve ser a sepultura das faltas do marido, e o coração do marido a sepultura das faltas da esposa. Nunca devem, nem um nem outro, permitir gracejos à custa dos sentimentos do parceiro.

Não devem jamais, marido ou mulher, quer por brincadeira ou por qualquer outro meio, queixar-se um do outro para outras pessoas, pois da prática frequente desta imprudência, o que pode parecer uma brincadeira perfeitamente inocente acabará em conflito entre ambos e talvez em afastamento. Foi me mostrado que deve haver uma sagrada proteção em torno de toda família.

O círculo do lar deve ser considerado um lugar sagrado, símbolo do Céu, espelho em que nos refletimos. Podemos ter amigos e conhecidos, mas na vida do lar eles não devem interferir. Deve-se ter um forte senso de propriedade, experimentando-se sentimento de tranquilidade, repouso, confiança.

Os membros do círculo da família devem orar a Deus para que Ele lhes santifique a língua, os olhos e os ouvidos, e cada parte de seu corpo. Quando postos em contato com o mal, não é necessário ser vencidos pelo mal. Cristo tornou possível ao caráter ser perfumado com o bem. Muitos dizem que a família é uma instituição falida, mas isso não é verdade. O espírito do anticristo propõe a abolição da família porque ele sabe que a família é um projeto divino. Para isso, o anticristo usa o adultério, a prostituição, a intriga, a falta de domínio próprio e muitas outras armas largamente disseminadas na sociedade pós-moderna, tais como o homossexualismo, a pedofilia e a zoofilia. Mas não nos deixaremos contaminar por elas.

Quantos desonram a Cristo e dEle fazem uma falsa representação no lar! Quantos deixam de manifestar paciência, longanimidade, perdão, verdadeiro amor! Muitos têm seus gostos e desgostos e sentem-se em liberdade de manifestar sua disposição perversa, em vez de revelar a vontade, as obras, o caráter de Cristo. A vida de Jesus está repleta de bondade e amor. Estamos nós nos desenvolvendo segundo Sua divina natureza?

Façam os pais e mães solene promessa a Deus, a quem professam amar e obedecer, de que, por Sua graça, não contenderão entre si, nem permitirão que as armas do anticristo atinjam sua família, mas que em sua vida e temperamento manifestarão o espírito que desejam que seus filhos nutram.