segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Acesso a Deus

"Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo Céu, para comparecer, agora, por nós, diante de Deus." (Hebreus 9:24)

Nos tribunais do Céu, Cristo está a interceder por Sua igreja, advogando a causa daqueles cujo preço de redenção Ele pagou com o próprio sangue. Séculos e eras nunca poderão diminuir a eficácia de Seu sacrifício expiatório.

O pecado de Adão e Eva provocou terrível separação entre Deus e a humanidade. Cristo Se interpõe entre o ser humano caído e Deus, dizendo: “Você ainda pode vir ao Pai; há um plano elaborado, pelo qual Deus pode ser reconciliado com a humanidade, e a humanidade com Deus. Por meio de um Mediador, você pode aproximar-se de Deus.” Agora, Ele permanece como seu Mediador. É o grande Sumo Sacerdote que está pleiteando em seu favor. Você deve apresentar seu caso ao Pai por meio de Jesus Cristo e, assim, ter acesso a Deus.

Cristo Jesus é apresentado como estando continuamente junto ao altar, oferecendo a cada momento sacrifício pelos pecados do mundo. Ele é ministro do verdadeiro tabernáculo, o qual o Senhor fundou, não o ser humano. As sombras típicas do tabernáculo judaico não têm mais qualquer virtude. Uma expiação típica diária e anual não mais deve ser feita, porém o sacrifício expiatório por meio de um mediador é essencial, por causa da prática constante do pecado. Jesus está oficiando na presença de Deus, oferecendo Seu sangue derramado, como tendo sido um cordeiro morto.

Mont Royal, Montreal, Canadá - Foto Elbem César
Os serviços religiosos, as orações, o louvor e a confissão penitente dos pecados sobem dos verdadeiros crentes como incenso para o santuário celestial; porém, ao passar pelos corruptos canais da humanidade ficam tão poluídos que, a menos que purificados pelo sangue, jamais podem ser de valor perante Deus. Todo incenso dos tabernáculos terrestres deve estar misturado com as gotas purificadoras do sangue de Cristo. Ele segura diante do Pai o incensário dos Seus méritos, no qual não há mancha de corrupção terrena. Ele acolhe em Seu incensário as orações, o louvor, as confissões de Seu povo e, com isso, mistura Sua imaculada justiça. Então, perfumado com os méritos da propiciação de Cristo, o incenso sobe perante Deus completa e plenamente aceitável, como se partissem do alto de uma montanha.

Que todos possam ver que sobre o incandescente fogo da justiça de Cristo tudo deve ser posto em obediência, em penitência, em louvor e agradecimento (A Maravilhosa Graça de Deus, p. 151, 152).

sábado, 14 de outubro de 2017

O círculo familiar

"Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne." (Gênesis 2:24)

Há um círculo sagrado em torno de cada família, que deve ser preservado. Nenhuma outra pessoa tem o direito de entrar nesse círculo. Marido e esposa devem ser tudo um para o outro. A esposa não deve ter segredos que guarde do marido e permita que outros conheçam, e o marido não deve igualmente ter segredos para com a esposa e torná-los conhecidos de outros. O coração da esposa deve ser a sepultura das faltas do marido, e o coração do marido a sepultura das faltas da esposa. Nunca devem, nem um nem outro, permitir gracejos à custa dos sentimentos do parceiro.

Não devem jamais, marido ou mulher, quer por brincadeira ou por qualquer outro meio, queixar-se um do outro para outras pessoas, pois da prática frequente desta imprudência, o que pode parecer uma brincadeira perfeitamente inocente acabará em conflito entre ambos e talvez em afastamento. Foi me mostrado que deve haver uma sagrada proteção em torno de toda família.

O círculo do lar deve ser considerado um lugar sagrado, símbolo do Céu, espelho em que nos refletimos. Podemos ter amigos e conhecidos, mas na vida do lar eles não devem interferir. Deve-se ter um forte senso de propriedade, experimentando-se sentimento de tranquilidade, repouso, confiança.

Os membros do círculo da família devem orar a Deus para que Ele lhes santifique a língua, os olhos e os ouvidos, e cada parte de seu corpo. Quando postos em contato com o mal, não é necessário ser vencidos pelo mal. Cristo tornou possível ao caráter ser perfumado com o bem. Muitos dizem que a família é uma instituição falida, mas isso não é verdade. O espírito do anticristo propõe a abolição da família porque ele sabe que a família é um projeto divino. Para isso, o anticristo usa o adultério, a prostituição, a intriga, a falta de domínio próprio e muitas outras armas largamente disseminadas na sociedade pós-moderna, tais como o homossexualismo, a pedofilia e a zoofilia. Mas não nos deixaremos contaminar por elas.

Quantos desonram a Cristo e dEle fazem uma falsa representação no lar! Quantos deixam de manifestar paciência, longanimidade, perdão, verdadeiro amor! Muitos têm seus gostos e desgostos e sentem-se em liberdade de manifestar sua disposição perversa, em vez de revelar a vontade, as obras, o caráter de Cristo. A vida de Jesus está repleta de bondade e amor. Estamos nós nos desenvolvendo segundo Sua divina natureza?

Façam os pais e mães solene promessa a Deus, a quem professam amar e obedecer, de que, por Sua graça, não contenderão entre si, nem permitirão que as armas do anticristo atinjam sua família, mas que em sua vida e temperamento manifestarão o espírito que desejam que seus filhos nutram.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Pais, depende de vocês

"Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele." (Provérbios 22:6)

Pais, vocês têm responsabilidades que ninguém pode levar em seu lugar. Enquanto viverem, são responsabilizados por Deus quanto a guardar o caminho do Senhor. Os pais que fazem da Palavra de Deus seu guia, e que compreendem quanto seus filhos dependem deles na formação do caráter, darão a eles um exemplo que lhes seja seguro seguir.

Os pais e mães são responsáveis pela saúde, a constituição, o desenvolvimento do caráter de seus filhos e, por mais polêmico que seja, pela opção sexual deles. A ninguém mais deveria ser deixada a realização dessa obra. Ao se tornarem pais, recai sobre vocês a tarefa de cooperar com o Senhor na educação dos filhos em princípios sadios, não os deixando à mercê de ideologias mundanas hoje impostas nas escolas.

Por exemplo, na época dos nossos filhos a ideologia de gênero só tinha valor até o nascimento da criança. Nós decorávamos os quartos deles em cor neutra, pois não sabíamos se seria menino ou menina. Assim como hoje, a parte mais emocionante da gestação era saber o sexo do bebê. Deus, em sua infinita sabedoria, não tirou - e nunca vai tirar -  essa emoção do coração dos pais. A partir do nascimento, a orientação sexual deve seguir o gênero que Deus naturalmente determinou, homem ou mulher. 

É triste perceber que muitos pais têm deposto a responsabilidade que Deus lhes deu com respeito aos filhos nas mãos de estranhos! Estão desejosos de que outros trabalhem por seus filhos e os libertem de todo o peso na questão.

Por alguma razão, muitos pais não apreciam dar a seus filhos instrução religiosa. Eles deixam que os filhos procurem adquirir na igreja o conhecimento que eles deveriam comunicar conforme a responsabilidade que têm diante de Deus. Esses pais necessitam compreender que Deus deseja que eduquem, disciplinem e instruam seus filhos, pondo sempre diante deles o fato de que estão formando caráter para a vida presente e a futura.

Não recai sobre os professores da igreja a obra de indicar a seus filhos o caminho que devem seguir. Nem muito menos sobre a escola secular tomada por ideologias mundanas. Essas instituições podem ajudá-los em seu trabalho, mas não podem tomar seu lugar. Deus deu a todos os pais e mães a responsabilidade de levar os filhos a Jesus, ensinando-lhes como orar e crer na Palavra de Deus.

Na educação de seus filhos, não ponham de lado as grandes verdades da Bíblia, na suposição de que a escola e a igreja farão a obra por vocês negligenciada. A Bíblia não é intocavelmente sagrada e sublime que não possa ser aberta diariamente e estudada diligentemente.