segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Teimosia e persistência: Você sabe a diferença?

"O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do Senhor." (Provérbios 16:1)

Ano novo, vida nova, novos planos! Se continuarmos a fazer as mesmas coisas, não podemos esperar que a situação mude, pois chegaremos ao final do ano do mesmo jeito que iniciamos. O segredo é não confundir teimosia com persistência.

Há uma linha muito tênue, quase invisível, que divide a persistência da teimosia. Nem todos conseguem enxergá-la. Alguns, na verdade, parecem não querer enxergá-la. Esse provérbio pode ser usado como um excelente teste para saber em qual das duas categorias nos encaixamos. Primeiro, veja que o provérbio faz uma separação entre aquilo que é responsabilidade do ser humano e aquilo que é prerrogativa do Senhor. Ao ser humano cabe o privilégio (e às vezes a necessidade) de planejar o que pretende fazer, enquanto que ao Senhor cabe o direito de enviar a resposta por meio de lábios de quem ele quiser.

Já encontrei várias pessoas que não tinham atentado para o fato de o provérbio não dizer que "a resposta certa vem dos lábios do Senhor", mas "a resposta certa dos lábios vem do Senhor". Percebe a diferença na colocação das palavras? Esse pequeno detalhe é a chave para entender a mensagem do texto. O fato de termos o privilégio e a liberdade de planejar não limita ou condiciona a resposta que Deus enviará. Deus poderia, se ele quisesse, enviar a resposta aos nossos planos diretamente a nós, mas, ao fazer isso por meio de lábios de outros, ele nos sugere a submeter nossos planos à apreciação de terceiros.

É precisamente nesse ponto que identificamos quem é o teimoso e quem é o persistente. O teimoso não gosta de submeter seus planos à apreciação de outros, temendo ser dissuadido daquilo que ele já decidiu fazer. O persistente submete seus planos ao parecer de outros, desejando ser avaliado e até dissuadido, se for o caso. O teimoso tem dificuldade em aceitar, como resposta de Deus, aquilo que ameaça a execução de seus planos. O persistente faz tudo o que é solicitado, do modo como foi solicitado e na hora em que foi solicitado (daí a sua persistência), mas ele sabe quando é o momento de parar. O teimoso tem dificuldade em separar seus planos da sua própria pessoa; quando seus projetos são criticados, ele toma isso como crítica à sua pessoa. O persistente não desiste diante da necessidade contínua de revisar os seus planos a cada crítica que recebe.

Você costuma mostrar a outras pessoas o que você planejou, buscando receber um comentário ou crítica? Qual é a resposta mais provável que você daria, caso alguém lhe dissesse: “Você quer meu conselho? Larga mão disso”. Quanto daquilo que você planeja depende somente de você a execução?

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Lembre-se do embrulho

"Antes, a si mesmo se esvaziou [...] tornando-se em semelhança de homens." (Filipenses 2:7)

Em nossa casa, alguns costumes relacionados ao Natal são os mesmos a cada ano. Entre eles está o apelo de Marta, minha esposa, aos filhos e netos quando eles abrem seus presentes: "Guardem o papel, podemos usá-lo no próximo ano!" Marta adora dar belos presentes, mas ela também aprecia a embalagem. A apresentação faz parte da beleza do presente.

Isso me faz pensar no embrulho que Cristo escolheu quando veio como um presente redentor para nos resgatar de nossos próprios pecados. Jesus poderia ter vindo envolto em uma alucinante demonstração de poder, iluminando o céu com Sua presença em um show de glória celestial. Em vez disso, numa bela retrospectiva ao que diz o livro de Gêne­sis 1:26, Ele escolheu vir embrulhado "em semelhança de homens" (Filipenses 2:7).

Então por que este embrulho é tão importante? Porque, sendo como nós, Ele não ignora nossas lutas. Experimentou a solidão profunda e a traição de um amigo querido. Foi envergonhado publicamente, incompreendido e acusado falsamente. Em suma, Ele sente a nossa dor. Com base nisso, o escritor de Hebreus nos diz: "Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna" (Hebreus 4:16).

Quando você pensar no presente de Jesus neste Natal, lembre-se de ter o "embrulho" em mente! - JMS 

Não desconsidere o embrulho do melhor presente de Natal de todos os tempos.

Retirado do Pão Diário - volume 19

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Um Natal ucraniano


"Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem." (Lucas 2:14)

Ao comemorar o Natal, os ucranianos incluem muitos elementos maravilhosos, mas simples, à sua celebração. Às vezes tufos de feno são colocados sobre a mesa de jantar como um lembrete da manjedoura em Belém. Em outros momentos de sua celebração, evocam os eventos da noite em que o Salvador entrou no mundo. Fazem uma oração de Natal e, em seguida, o pai da família faz a saudação: "Cristo nasceu!" A família, então, responde: "Vamos glorificá-lo!"

Estas palavras me fazem imaginar a cena dos anjos do céu sobre Belém na noite em que Cristo nasceu. O anjo do Senhor declarou: "é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor" (Lucas 2:11). O exército celeste respondeu: "Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem" (v.14).

Estas duas mensagens dão um significado muito profundo a essa maravilhosa época do ano. O Salvador veio trazer perdão e esperança — e Ele é merecedor de toda a adoração que podemos lhe dar.

Que todos que conhecem a maravilha do dom da vida eterna possam se juntar às vozes das hostes angelicais, declarando: "Glória a Deus nas alturas!" —WEC

A glória espetacular do amor de Deus por nós nos foi revelada na vinda de Jesus.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Não quero ser indeciso

"Depois destas coisas veio a palavra do Senhor a Abrão numa visão, dizendo: Não temas, Abrão; eu sou o teu escudo, o teu galardão será grandíssimo." (Gênesis 15:1) 

Não são poucos os exemplos de pessoas de atitude na Bíblia. Posicionar-se e dar o primeiro passo em direção a missões desafiadoras não pareceu problema a Salomão, Joás, Daniel ou Paulo. Por que, então, temos tanta dificuldade em nos posicionar?

Sei que às vezes não estou suficientemente maduro para tomar uma decisão, pois não conheço bem os dois lados que chamam a minha atenção, que acenam para mim, que tentam me atrair. Porém, na maioria das vezes, a minha indecisão não é sinônimo de prudência. Ela existe por causa do medo, da tradição, do comodismo, da correnteza em sentido contrário, do engano, do acanhamento, da opinião pública, da preguiça.

A história do filho pródigo, na parábola de Jesus, sempre me impressionou. O evangelho registra que, em uma terra distante, o rapaz reconheceu seu erro e tomou a decisão de voltar para casa. O versículo seguinte mostra que a decisão era para valer, pois “‘levantando-se’, foi para seu pai” (Lc 15.20). Encanta-me a decisão tomada por Zaqueu logo após a conversa que Jesus teve com ele. Como o filho pródigo, o coletor de impostos se levantou e disse a Jesus: “Senhor, ‘de agora em diante’ eu darei a metade da minha riqueza aos pobres” (Lc 19.8).

Confesso que tenho uma ponta de inveja quando leio o discurso de Josué perante o povo indeciso quanto à escolha do caminho a seguir: “Quanto a mim, ouçam bem: Eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24.15).

Para que haja alguma mudança, para iniciar qualquer empreendimento, não posso ser indeciso. Exemplos não me faltam. A Bíblia me encoraja quando diz que Salomão “resolveu” edificar a casa ao nome do Senhor (2Cr 2.1), que Joás “resolveu” restaurar o mesmo templo (2Cr 24.4), que Daniel “resolveu” não contaminar-se com as iguarias da mesa de Nabucodonosor (Dn 1.8), que Paulo “resolveu” ir a Jerusalém, onde o esperavam sofrimentos e prisões (At 19.21).

Os heróis da fé são pessoas que não ficam paradas, deixando o tempo e as oportunidades passarem por conta da eterna indecisão. Por misericórdia, não quero mais atrasar o que é necessário, o que é certo, o que é bom para mim e para os outros, inclusive para minha família. Não quero ser culpado de alguma dor, infelicidade ou tragédia por falta de decisão da minha parte. Abraão não ficou a vida inteira decidindo se sairia ou não de Ur dos caldeus e se ofereceria ou não seu único e amado filho em sacrifício ao Senhor. Pela fé, fez ambas as coisas sem perder tempo (Hb 11.8, 17). Entre dois caminhos opostos a tomar, Moisés fez logo a sua escolha: abandonar a casa de Faraó, os prazeres transitórios do pecado e os tesouros do Egito, para ser maltratado junto com o povo de Deus (Hb 11.24-26).

Quero ter a firmeza de Paulo quando escreveu a Tito: “Resolvi passar o inverno lá [em Nicópolis]” (Tt 3.12). De hoje em diante, com o auxílio de Deus, será assim comigo.

Por Elben César, editor da Revista Ultimato, in memoriam

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Boa aparência

“...limpa primeiro o interior...” (Mateus 23:26)

“Seus cabelos são muito saudáveis", disse meu cabelereiro ao cortá-los. "Espero que seja porque você usa nossos produtos." "Não. Sinto muito", respondi. "Simplesmente uso qualquer produto barato e com perfume agradável." Mas acrescentei: "Eu também tento me alimentar bem. Acho que isso faz uma grande diferença."

Quando penso nas coisas que fazemos para termos boa aparência física, lembro-me de algumas coisas que devemos fazer para termos boa aparência espiritual. Jesus tratou desta questão com os líderes religiosos de Jerusalém (Mateus 23). Eles seguiam um conjunto de regras religiosas bem elaboradas que iam muito além daquelas que Deus havia dado. Eles trabalhavam muito para ter boa aparência entre seus semelhantes, para provar que eram melhores que outros. Mas seu trabalho árduo não impressionava a Deus. Jesus lhes disse: "...porque limpais o exterior do copo e do prato, mas estes, por dentro, estão cheios de rapina e intemperança!" (v.25). O que os fariseus faziam para ter boa aparência aos olhos dos outros, na verdade, revelava que eles não eram nada bons.

Cada cultura valoriza diferentes tradições e comportamentos religiosos, mas os valores divinos transcendem culturas. E o que Deus valoriza não é medido pelo que os outros veem. Ele valoriza um coração limpo e motivações puras. A saúde espiritual se expressa de dentro para fora. —JAL

Podemos ter boa aparência externa, mas as aparências enganam.

Retirado do Pão Diário

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Saída

“Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças...” (1 Coríntios 10:13)

Quando estive em Londres, recentemente, decidi pegar o metrô até o lugar onde queria chegar. Paguei então a tarifa e desci às profundezas de Londres para apanhar o trem. Mas sair da estação pode ser uma experiência assustadora para quem não está familiarizado com o sistema. Se você não encontrar a saída, pode facilmente ficar perdido nos túneis.

Estar sozinho em um metrô com poucas pessoas é um sentimento inquietante, então acredite em mim: você não vai gostar de se perder. É desnecessário afirmar que fiquei contente quando encontrei a placa que dizia, “SAÍDA” e segui caminho até encontrar segurança.

Paulo nos lembra de que, quando estamos vulneráveis a cair no pecado, o Senhor afirma: “...Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento...” (1 Coríntios 10:13). É fácil presumir que Deus não está conosco quando somos tentados a pecar. Mas este versículo nos garante que Ele está presente e não simplesmente parado à toa. Pelo contrário, Ele está provendo de modo ativo uma saída para que possamos suportar.

Então, na próxima vez em que você se sentir tentado, lembre-se de que você não está desamparado. Há uma “saída” providenciada divinamente! Procure a placa e siga-a até encontrar segurança. - JMS

Deus está trabalhando ativamente para manter você longe do perigo de perder-se no pecado. 

Retirado do Pão Diário - Volume 19

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Assim como está

“...porque foste morto e com o teu sangue [nos] compraste para Deus...” (Apocalipse 5:9)

Uma casa colocada à venda “assim como está” geralmente significa que o vendedor não pode ou não quer gastar mais qualquer valor para reparar a casa ou melhorar o seu visual. Qualquer conserto necessário ou melhorias desejadas são responsabilidade do comprador quando a venda estiver efetuada. “Assim como está” equivale a dizer: “Comprador tome cuidado. A casa pode precisar de investimentos adicionais significativos.”

É digno de nota que Jesus ao morrer pagou o mais alto preço por todos nós, independentemente de nossa condição. O livro de Apocalipse 5 descreve uma cena no céu onde apenas “o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi” é digno de ler e selar o rolo (vv.3-5). Ele aparece como um cordeiro e se torna objeto de louvor em uma nova canção, “...porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra” (vv.9,10).

Jesus Cristo deliberadamente nos comprou para Deus com Seu sangue. Fomos comprados “assim como estamos”, com falhas, com defeitos, carentes de transformação. Por fé estamos agora sob Sua propriedade, no processo de reforma para a glória de Deus. Que maravilhoso! Deus nos conhecia, nos amava e nos comprou exatamente como somos. —DCM

Deus nos conhece por dentro e por fora. Nenhuma restauração é complicada demais para Ele.

Retirado do Pão Diário – Uma meditação para cada dia do ano – Volume 19

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Tende bom ânimo

"Tenho-vos dito estas coisas, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis tribulações; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16:33)

O conceito sobre felicidade se torna muito claro quando estudamos as características principais de pessoas cronicamente infelizes, de acordo com a pesquisadora Sonja Lyubomirsky, da revista Psychology Today, da Universidade da Califórnia. A nossa capacidade para sermos felizes está na disposição de mudar os nossos hábitos. Se isso é verdade e é, há esperança para todos nós. Mas muitas pessoas por pouca coisa não conseguem atravessar a pinguela entre a infelicidade e a felicidade.

Tendo em vista o excelente artigo de Tamara Star, extraído de The Huffington Post, publicado originalmente por Dally Transformations, com tradução e adaptação de Portal Raízes, mostrando 7 características principais de pessoas cronicamente infelizes, escrevo alguns comentários baseados em textos bíblicos para mostrar que o nosso Criador é o maior interessado na felicidade humana. 

Segundo o artigo, “existem certos traços e hábitos que parecem dominar cronicamente as pessoas infelizes.” É verdade que todos nós temos dias, semanas, meses e até anos ruins, “principalmente quando caímos na armadilha” dos maus hábitos de pessoas infelizes. A distância entre uma vida infeliz e uma vida feliz está no tempo em que permanecemos nos maus hábitos.

A crença de que a vida é muito difícil e que por isso deve ficar desanimada é o pior hábito de pessoas infelizes. Jesus Cristo disse: "Tenho-vos dito estas coisas, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis tribulações; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16:33)

“Pessoas felizes sabem que a vida pode ser difícil, mas se dispõem a atravessar os tempos difíceis com uma atitude sábia de não se colocar no papel de vítima. É comum assumirem a responsabilidade por se meterem em confusão. Entretanto, se concentram em sair dela o mais rápido possível,” confiando na palavra de Jesus Cristo de que o bom ânimo é condição primordial para vencer as tribulações.

Apresentar “firmeza para encarar o problema em vez de reclamar das circunstâncias é o sintoma de uma pessoa feliz. As pessoas infelizes se consideram vítimas e ficam presas com uma reclamação recorrente: ‘Olha o que aconteceu comigo’. As pessoas infelizes jamais buscam um caminho alternativo.”

Os infelizes acreditam que a maioria das pessoas não é confiável. É fato que o mundo está cheio de pessoas corrompidas, mas se quisermos obedecer a Cristo devemos ama-las, e não sermos maliciosos. O apóstolo Paulo deixou isso bem claro: "...mas agora despojai-vos também de tudo isto: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca;" (Colossenses 3:8)

Claro que “confiança é importante. A maioria das pessoas felizes confia na outra. Acreditam no bem que as pessoas podem fazer. E são amáveis com todas. Por isso se tornam especialistas em construir um espírito de comunidade em torno de si.”

Por outro lado, as pessoas infelizes desconfiam da maioria que conhecem e dizem que as estranhas não são confiáveis. Infelizmente essa é uma postura que, além de clara desobediência à Palavra de Deus, lentamente fecha a porta a qualquer conexão externa e frustra todas as chances de se construir novas amizades.

As pessoas infelizes preferem “se concentrar apenas no que está errado neste mundo e não reconhecem o que é certo. Há muita coisa errada neste mundo. Nem é preciso argumentar sobre elas. Mas as pessoas infelizes fecham os olhos para o que está certo e se concentram exclusivamente no que está errado. E quando se deparam com coisas boas respondem com um duvidoso ‘Sim, mas…’.”

Para deixar de ser infeliz, a pessoa deve se atentar nas coisas espirituais, que são eternas. "Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós cada vez mais abundantemente um eterno peso de glória; não atentando nós nas coisas que se veem, mas sim nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, enquanto as que se não veem são eternas.” Pois "...está escrito: As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam." (1 Coríntios 2:9)

“As pessoas felizes estão cientes das mazelas que acontecem no mundo, mas estabelecem um ponto de equilíbrio em sua preocupação para enxergar também o que é certo”, não abrindo mão das bênçãos prometidas por Deus, tanto nesta vida, quanto na eternidade. O mais apropriado, neste caso, é chamar isso de “manter os dois olhos bem abertos - o carnal e o espiritual”. “Pessoas infelizes tendem a fechar os olhos para as coisas boas com medo de que possam se distrair do que está errado.” Pessoas felizes preferem manter os olhos espirituais em perspectivas. Elas sabem que em todos os lugares há problemas, mas também fixam os olhos da fé nas coisas boas que Jesus Cristo prometeu: "O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância." (João 10:10)

As pessoas infelizes vivem a se comparar com os outros e alimentam o ciúme o tempo todo. Essa é outra desobediência à Palavra de Deus que nos ordena a amar o próximo, se alegrando com a felicidade dele. Disse Jesus: "...Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo." (Mateus 22:37-39)

“As pessoas infelizes acreditam que a boa sorte de outra pessoa rouba a sua própria sorte. Acreditam que não existe bondade ao seu redor e constantemente compara o seu destino com o dos outros. Isso as leva ao ciúme e ao ressentimento”, além da desobediência à Bíblia Sagrada.

“Pessoas felizes sabem que a sua boa sorte e as circunstâncias são meros sinais de que qualquer pessoa pode desejar e alcançar a felicidade”, desde que a busque corretamente seguindo os princípios bíblicos. As pessoas felizes e prósperas descansam e confiam verdadeiramente em Deus e não ficam atoladas pensando que a boa sorte de uma pessoa limita o resultado final na gangorra da vida.

As pessoas infelizes querem manter o controle de tudo com esforço exagerado e se esquecem de que Deus está no controle de todas coisas com sua infinita soberania e graça.

“Existe uma enorme diferença entre controle e esforço para alcançar os objetivos. As pessoas felizes diariamente adotam medidas para cumprir suas metas, mas percebem, no final, que há muito pouco controle sobre o que vida lança no seu caminho.” Elas sabem que quando algo atravessa o seu caminho, elas têm a quem recorrer com a seguinte oração do profeta Samuel: "Porque tu, Senhor, és a minha candeia; e o Senhor alumiará as minhas trevas. Pois contigo passarei pelo meio dum esquadrão; com o meu Deus transporei um muro. Quanto a Deus, o seu caminho é perfeito, e a palavra do Senhor é fiel; é ele o escudo de todos os que nele se refugiam. Pois quem é Deus, senão o Senhor? e quem é rocha, senão o nosso Deus? Deus é a minha grande fortaleza; e ele torna perfeito o meu caminho. Faz ele os meus pés como os das gazelas, e me põe sobre as minhas alturas. Ele instrui as minhas mãos para a peleja, de modo que os meus braços podem entesar um arco de bronze. Também me deste o escudo da tua salvação, e tua brandura me engrandece. Alargaste os meus passos debaixo de mim, e não vacilaram os meus artelhos." (2 Samuel 22:29-37)

As pessoas infelizes e incrédulas “se esforçam ao máximo para controlar os resultados e se desmoronam quando a vida joga em seu caminho uma chave” necessária para abrir a porta. Diante do medo e insegurança, não conseguem abrir a porta. Pessoas felizes e crédulas “podem ser focadas, mas têm a capacidade de ir com o fluxo e não se esmorecem quando a vida mostra um obstáculo. E conseguem abrir a porta”, pois têm uma fonte de segurança que é a Palavra de Deus.

A chave lançada no caminho “dá passagem a uma porta de luz para o fim a ser alcançado. Mesmo assim, as pessoas felizes se preparam para o que pode acontecer sem se desmoronar quando os melhores planos ruírem. Porque isso pode acontecer. Ir com no fluxo da vida e acreditar em uma nova chance” dada por Deus “é o plano B das pessoas felizes.”

As pessoas infelizes olham para o futuro com preocupação e medo. Esta é outra desobediência da Palavra de Deus que tem um castigo muito forte na vida dessas pessoas. "Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus." (Filipenses 4:6-7) Essa é a recomendação bíblica que os incrédulos ignoram.

“Há muito espaço de aluguel nos ouvidos das pessoas infelizes. E os seus pensamentos se enchem com o que pode dar errado em vez de pensar no que pode dar certo. Já as pessoas felizes” acreditam na Palavra e “se permitem sonhar acordadas sobre o que gostariam de realizar na vida.”

As “pessoas felizes também experimentam medo e preocupação, mas fazem uma distinção importante entre sentir e viver”, acreditar e não acreditar em Deus. “Quando o medo ou a preocupação entra na mente de uma pessoa feliz ela se pergunta sobre a possibilidade de uma ação que possa evitar que o seu medo ou preocupação aconteça.” A Palavra recomenda que "antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças". “Pessoas infelizes preenchem esses espaços com constante preocupação, medo do futuro” e busca em outras fontes de energia que não provêm do Deus Criador.

As conversas das pessoas infelizes “estão cheias de reclamações e, não raro, carregadas de fofocas.” Mas a Palavra de Deus ensina o contrário: "Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças; porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco." E aqui voltamos ao versículo de Colossenses 3:8 que diz: "mas agora despojai-vos também de tudo isto: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca;"

“As pessoas infelizes vivem ancoradas na reclamação e gostam de viver no passado. O que lhes aconteceu e as dificuldades da vida são o centro de suas conversas. Quando esgotam as coisas que têm a dizer, se voltam para a vida de outras pessoas. O que popularmente é considerado como fofocas.”

“Pessoas felizes vivem no agora e sonham com o futuro. São capazes de sentir” o agir de Deus “em todos os quadrantes. Sempre são estimuladas com algo em que estão trabalhando, se sentem gratos” a Deus “pelo que conseguiram e sonham com as imensas possibilidades da vida.”

“Óbvio que nenhum de nós é perfeito. É provável que, em alguns momentos, vamos nadar em águas” turbulentas, “mas o que importa é por quanto tempo nós ficamos lá e a forma como trabalhamos no sentido de levarmos os problemas para longe de nós.” Confiar primeiramente em Deus e praticar bons “hábitos diariamente é o que define as pessoas felizes. As pessoas infelizes não se comportam assim. Sempre lamentam as oportunidades perdidas colocando a culpa no outro.”

Por fim, mesmo que caiamos, voltemos novamente e repitamos o trajeto. Assim como o flamboyant, essa árvore maravilhosa que mostramos aqui, que apesar da idade, e não obstante o clima seco e causticante de Brasília, nos meses de agosto e setembro floresce sempre com bom ânimo e mostra suas lindas flores, é na perseverança que está toda a diferença entre uma pessoa feliz, realizada e uma que se considera infeliz e frustrada.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Olhe para o alto

"Por isso, restabelecei as mãos descaídas e os joelhos trôpegos." (Hebreus 12:12)

"A igreja, dotada com a justiça de Cristo, é Sua depositária, nela se devendo revelar as riquezas de Sua misericórdia, Sua graça em plena e final manifestação. Cristo considera Seu povo, em sua pureza e perfeição, como a recompensa de Sua humilhação, e o suplemento de Sua glória – sendo Ele mesmo o grande Centro, de quem toda a glória irradia."

Todo o Céu se interessa na obra que está sendo feita no mundo, que é preparar homens e mulheres para a futura vida imortal. É desígnio divino que instrumentos humanos se sintam honrados ao serem chamados a cooperar com Cristo na salvação de pessoas. [...] Devem olhar para a obra de Deus como uma atividade sagrada e santa e levar-lhe cada dia ofertas de alegria e gratidão, em retribuição ao poder de Sua graça pela qual são habilitados a progredir na vida espiritual. […]

Não há necessidade de que alguém se deixe vencer pelas tentações de Satanás, violentando assim sua consciência e entristecendo o Santo Espírito de Deus. Na Palavra de Deus, foram feitas todas as provisões para que o auxílio divino seja dispensado a cada um que se esforce por vencer. […]

Na vida religiosa de cada pessoa que aspira à vitória, sobrevêm incidentes terrivelmente embaraçosos e difíceis; mas o conhecimento da Escritura a ajudará a evocar as animadoras promessas de Deus que lhe fortalecerão o coração e robustecerão a fé no poder do Todo-poderoso. Lê-se nela: […] “Para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo” […] (1 Pedro 1:7). A prova da fé é mais preciosa do que o ouro. Todos devem saber que isso constitui uma parte da disciplina na escola de Cristo. […]

Reúna todas as suas energias para elevar os olhos e não deixá-los pousar nas dificuldades. Assim fazendo, você jamais fraquejará em sua vida. Em breve, haverá de ver a Jesus por trás da nuvem, estendendo a mão para ajudá-lo; e tudo o que restará fazer será estender-lhe sua fé simples, e permitir-Lhe que o guie. […] Um grande nome entre os seres humanos é como letras rabiscadas na areia; mas um caráter puro é de duração eterna. Deus dotou você de inteligência e raciocínio para compreender Suas promessas; e Jesus quer ajudá-lo a formar um caráter sólido e equilibrado (Testemunhos Para a Igreja, vol. 5, p. 573, 574, 578, 579).

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Acesso a Deus

"Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo Céu, para comparecer, agora, por nós, diante de Deus." (Hebreus 9:24)

Nos tribunais do Céu, Cristo está a interceder por Sua igreja, advogando a causa daqueles cujo preço de redenção Ele pagou com o próprio sangue. Séculos e eras nunca poderão diminuir a eficácia de Seu sacrifício expiatório.

O pecado de Adão e Eva provocou terrível separação entre Deus e a humanidade. Cristo Se interpõe entre o ser humano caído e Deus, dizendo: “Você ainda pode vir ao Pai; há um plano elaborado, pelo qual Deus pode ser reconciliado com a humanidade, e a humanidade com Deus. Por meio de um Mediador, você pode aproximar-se de Deus.” Agora, Ele permanece como seu Mediador. É o grande Sumo Sacerdote que está pleiteando em seu favor. Você deve apresentar seu caso ao Pai por meio de Jesus Cristo e, assim, ter acesso a Deus.

Cristo Jesus é apresentado como estando continuamente junto ao altar, oferecendo a cada momento sacrifício pelos pecados do mundo. Ele é ministro do verdadeiro tabernáculo, o qual o Senhor fundou, não o ser humano. As sombras típicas do tabernáculo judaico não têm mais qualquer virtude. Uma expiação típica diária e anual não mais deve ser feita, porém o sacrifício expiatório por meio de um mediador é essencial, por causa da prática constante do pecado. Jesus está oficiando na presença de Deus, oferecendo Seu sangue derramado, como tendo sido um cordeiro morto.

Mont Royal, Montreal, Canadá - Foto Elbem César
Os serviços religiosos, as orações, o louvor e a confissão penitente dos pecados sobem dos verdadeiros crentes como incenso para o santuário celestial; porém, ao passar pelos corruptos canais da humanidade ficam tão poluídos que, a menos que purificados pelo sangue, jamais podem ser de valor perante Deus. Todo incenso dos tabernáculos terrestres deve estar misturado com as gotas purificadoras do sangue de Cristo. Ele segura diante do Pai o incensário dos Seus méritos, no qual não há mancha de corrupção terrena. Ele acolhe em Seu incensário as orações, o louvor, as confissões de Seu povo e, com isso, mistura Sua imaculada justiça. Então, perfumado com os méritos da propiciação de Cristo, o incenso sobe perante Deus completa e plenamente aceitável, como se partissem do alto de uma montanha.

Que todos possam ver que sobre o incandescente fogo da justiça de Cristo tudo deve ser posto em obediência, em penitência, em louvor e agradecimento (A Maravilhosa Graça de Deus, p. 151, 152).

sábado, 14 de outubro de 2017

O círculo familiar

"Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne." (Gênesis 2:24)

Há um círculo sagrado em torno de cada família, que deve ser preservado. Nenhuma outra pessoa tem o direito de entrar nesse círculo. Marido e esposa devem ser tudo um para o outro. A esposa não deve ter segredos que guarde do marido e permita que outros conheçam, e o marido não deve igualmente ter segredos para com a esposa e torná-los conhecidos de outros. O coração da esposa deve ser a sepultura das faltas do marido, e o coração do marido a sepultura das faltas da esposa. Nunca devem, nem um nem outro, permitir gracejos à custa dos sentimentos do parceiro.

Não devem jamais, marido ou mulher, quer por brincadeira ou por qualquer outro meio, queixar-se um do outro para outras pessoas, pois da prática frequente desta imprudência, o que pode parecer uma brincadeira perfeitamente inocente acabará em conflito entre ambos e talvez em afastamento. Foi me mostrado que deve haver uma sagrada proteção em torno de toda família.

O círculo do lar deve ser considerado um lugar sagrado, símbolo do Céu, espelho em que nos refletimos. Podemos ter amigos e conhecidos, mas na vida do lar eles não devem interferir. Deve-se ter um forte senso de propriedade, experimentando-se sentimento de tranquilidade, repouso, confiança.

Os membros do círculo da família devem orar a Deus para que Ele lhes santifique a língua, os olhos e os ouvidos, e cada parte de seu corpo. Quando postos em contato com o mal, não é necessário ser vencidos pelo mal. Cristo tornou possível ao caráter ser perfumado com o bem. Muitos dizem que a família é uma instituição falida, mas isso não é verdade. O espírito do anticristo propõe a abolição da família porque ele sabe que a família é um projeto divino. Para isso, o anticristo usa o adultério, a prostituição, a intriga, a falta de domínio próprio e muitas outras armas largamente disseminadas na sociedade pós-moderna, tais como o homossexualismo, a pedofilia e a zoofilia. Mas não nos deixaremos contaminar por elas.

Quantos desonram a Cristo e dEle fazem uma falsa representação no lar! Quantos deixam de manifestar paciência, longanimidade, perdão, verdadeiro amor! Muitos têm seus gostos e desgostos e sentem-se em liberdade de manifestar sua disposição perversa, em vez de revelar a vontade, as obras, o caráter de Cristo. A vida de Jesus está repleta de bondade e amor. Estamos nós nos desenvolvendo segundo Sua divina natureza?

Façam os pais e mães solene promessa a Deus, a quem professam amar e obedecer, de que, por Sua graça, não contenderão entre si, nem permitirão que as armas do anticristo atinjam sua família, mas que em sua vida e temperamento manifestarão o espírito que desejam que seus filhos nutram.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Pais, depende de vocês

"Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele." (Provérbios 22:6)

Pais, vocês têm responsabilidades que ninguém pode levar em seu lugar. Enquanto viverem, são responsabilizados por Deus quanto a guardar o caminho do Senhor. Os pais que fazem da Palavra de Deus seu guia, e que compreendem quanto seus filhos dependem deles na formação do caráter, darão a eles um exemplo que lhes seja seguro seguir.

Os pais e mães são responsáveis pela saúde, a constituição, o desenvolvimento do caráter de seus filhos e, por mais polêmico que seja, pela opção sexual deles. A ninguém mais deveria ser deixada a realização dessa obra. Ao se tornarem pais, recai sobre vocês a tarefa de cooperar com o Senhor na educação dos filhos em princípios sadios, não os deixando à mercê de ideologias mundanas hoje impostas nas escolas.

Por exemplo, na época dos nossos filhos a ideologia de gênero só tinha valor até o nascimento da criança. Nós decorávamos os quartos deles em cor neutra, pois não sabíamos se seria menino ou menina. Assim como hoje, a parte mais emocionante da gestação era saber o sexo do bebê. Deus, em sua infinita sabedoria, não tirou - e nunca vai tirar -  essa emoção do coração dos pais. A partir do nascimento, a orientação sexual deve seguir o gênero que Deus naturalmente determinou, homem ou mulher. 

É triste perceber que muitos pais têm deposto a responsabilidade que Deus lhes deu com respeito aos filhos nas mãos de estranhos! Estão desejosos de que outros trabalhem por seus filhos e os libertem de todo o peso na questão.

Por alguma razão, muitos pais não apreciam dar a seus filhos instrução religiosa. Eles deixam que os filhos procurem adquirir na igreja o conhecimento que eles deveriam comunicar conforme a responsabilidade que têm diante de Deus. Esses pais necessitam compreender que Deus deseja que eduquem, disciplinem e instruam seus filhos, pondo sempre diante deles o fato de que estão formando caráter para a vida presente e a futura.

Não recai sobre os professores da igreja a obra de indicar a seus filhos o caminho que devem seguir. Nem muito menos sobre a escola secular tomada por ideologias mundanas. Essas instituições podem ajudá-los em seu trabalho, mas não podem tomar seu lugar. Deus deu a todos os pais e mães a responsabilidade de levar os filhos a Jesus, ensinando-lhes como orar e crer na Palavra de Deus.

Na educação de seus filhos, não ponham de lado as grandes verdades da Bíblia, na suposição de que a escola e a igreja farão a obra por vocês negligenciada. A Bíblia não é intocavelmente sagrada e sublime que não possa ser aberta diariamente e estudada diligentemente.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Viver num mundo corrompido - Introdução

“Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo.” (João 16.33)

O mundo tem exercido uma influência negativa sobre a vida das pessoas que tem afetado o modo de pensar, falar, sentir, vestir e se relacionar de cada uma delas. Quando falo de mundo, falo de um sistema imoral e totalmente corrompido em seus valores. Estamos vivendo dias muito difíceis sobre a face da terra. O inimigo não quer de maneira alguma perder o domínio sobre as pessoas e tem feito tudo para manter a mente delas influenciada por ele, utilizando os métodos mais sutis para dominá-las.

Há uma grande guerra sendo travada no mundo espiritual e muitas vezes não percebemos o que está acontecendo. Quais são os métodos mais usados pelo inimigo nesta guerra? Basta analisar com senso crítico as mensagens que têm sido insistentemente veiculadas dentro de nossas casas por meio de reportagens, filmes, sites, novelas, músicas e tantas outras coisas, que muitas das vezes incitam a violência, o roubo, a maledicência, o homossexualismo, a prostituição, os adultérios e as rebeliões. Se cedermos a essas influências, seremos semelhantes ao mundo e deixaremos de cumprir o propósito para o qual Deus nos chamou.

O discípulo de Cristo que não se deixa influenciar por essas coisas, que deseja viver sob a perspectiva de Deus, muitas vezes é confrontado nos seus valores, num sentido pejorativo, ridicularizado e debochado com o fim de diminuí-lo diante das pessoas e de si mesmo. O grande desafio da nossa geração é saber como confrontar o mundo e permanecer firme. Como viver na contramão dessa realidade imoral e perversa. Como remar contra essa maré carregada de perversões.

Podemos, como discípulo de Jesus, mesmo sendo tentados, resistir às influências e aos ataques do mundo, não permitindo que eles sobrepujem aos valores aprendidos na Palavra. Para isso devemos tomar posições e ter atitudes corretas em relação ao mundo, sabendo o que diz a Palavra de Deus.

Nos textos abaixo seguem quatro dicas que nos ajuda a viver num mundo corrompido sem nos corrompermos.

Mensagem pregada pelo Pr. Marcelo Coelho Fernandes

Viver num mundo corrompido – Dica 1

Eis a primeira dica de um total de quatro que nos ajudarão a viver num mundo corrompido sem nos corrompermos.

Para viver num mundo corrompido sem se corromper…

Desapegue

Entenda que sua VIDA não PERTENCE mais ao mundo.

“Eles não são do mundo, como também eu não sou.” (João 17.16)

Jesus, para demonstrar a nossa total separação do mundo, usou como exemplo ele mesmo. Isso basta. O que Jesus quer nos ensinar aqui é que estamos no mundo, mas não somos do mundo e não devemos viver como o mundo vive em seu modelo de vida. Apesar de estarmos no mundo não somos daqui. Um cristão nascido de novo tem a sua conduta de vida completamente diferente daqueles que ainda não experimentaram um novo nascimento. O apóstolo Paulo destaca que não podemos nos conformar com este mundo:

“E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12.2)

Há duas palavras que regem esse versículo – conformação e transformação. Ou seja, fôrma e Metamorfose. Paulo diz: e não vos conformeis com este mundo. O mundo tem uma fôrma. Essa fôrma é elástica e flácida. A fôrma do mundo é a fôrma do que é imoral e destruidor. O discípulo é alguém que não põe o pé nessa fôrma. Não se amolda ao formato do mundo, mas se transforma pela renovação da sua mente. A fôrma do mundo é um esquema que muda todo dia. Ao invés de entrarmos nessa fôrma para sermos conformados a ela, devemos ser transformados de dentro para fora, pela renovação da nossa mente. Ao invés de viver pelos padrões de um mundo em desacordo com Deus, os discípulos de Jesus são exortados a deixar que a renovação de sua mente, pelo poder do Espírito Santo, transforme sua vida harmonizando-a com a vontade de Deus. Certo pregador disse algo interessante:

“Não devemos ser como o camaleão que assume as cores daquilo que o cerca.”

Em vez de adotar o padrão exterior e transitório deste mundo, devemos como discípulos de Jesus ser transformados em nossa natureza íntima. As cores desse mundo não podem roubar a beleza da essência que existe dentro de nós. O discípulo real não deve conformar-se com o mundo porque a fôrma do mundo muda todo dia. O errado ontem é certo hoje. O repudiado ontem é aplaudido hoje. O vergonhoso ontem é praticado à luz do dia hoje. Nós, porém, seguimos um modelo absoluto e imutável. Esse modelo é Jesus!

Viver num mundo corrompido – Dica 2

Eis a segunda dica de um total de quatro que nos ajudarão a viver num mundo corrompido sem nos corrompermos.

Para viver num mundo corrompido sem se corromper…

Incomode

Saiba que sua VIDA EM CRISTO incomodará o mundo.

“Se vocês pertencessem ao mundo, ele os amaria como se fossem dele. Todavia, vocês não são do mundo, mas eu os escolhi, tirando-os do mundo; por isso o mundo os odeia.” (João 15.19)

Porque não somos do mundo e fomos escolhidos para sermos de Cristo, o mundo nos encara como estrangeiros e nos odeia, assim como odiou a Cristo. O próprio Jesus afirmou aos seus seguidores:

“E sereis odiados por todos por causa do meu nome…” (Mateus 10.22)

Por causa do nome de Cristo somos rejeitados. A separação do mundo causa rejeição por este mesmo mundo. O mundo nos odeia, porque os valores de Deus diferem dos valores mundanos. O mundo preferiria que fôssemos como ele. Como não somos, ele nos odeia e nos insulta. Por isso saiba que sua vida em Cristo incomodará o mundo ao seu redor. Há uma verdade escrita pelo apóstolo Pedro que também não podemos esquecer:

“No passado vocês já gastaram tempo suficiente fazendo o que agrada aos pagãos. Naquele tempo vocês viviam em libertinagem, na sensualidade, nas bebedeiras, orgias e farras, e na idolatria repugnante. […] Eles acham estranho que vocês não se lancem com eles na mesma torrente de imoralidade, e por isso os insultam.” (1ª Pedro 4.3-4)

Viver num mundo corrompido – Dica 3

Eis a terceira dica de um total de quatro que nos ajudarão a viver num mundo corrompido sem nos corrompermos.

Para viver num mundo corrompido sem se corromper…

Influencie

Observe ATENTAMENTE quem INFLUENCIA você.

Você influencia ou é influenciado? Quem exerce influência sobre você? Pessoas de Deus ou pessoas do mundo? Olha para esse conselho bíblico:

“Bem aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores nem se assenta na roda dos escarnecedores.” (Salmo 1.1)

Sabendo isso, devemos tomar decisões baseadas na fé que temos, eliminando tudo o que é mundano, que nos influencia e nos afasta de Deus, selecionando, em primeiro lugar, o tipo de pessoas que podem exercer influência sobre nós.

Segundo o salmista, pessoas ímpias, pecadoras, escarnecedoras de Deus não podem exercer sobre nós influência alguma. Isso não significa que nos isolaremos do mundo, dos pecadores, das pessoas sem Cristo, mas sim que não nos deixaremos atrair nem influenciar pelo seu estilo de vida. Ao contrário, eles é que devem notar nosso novo estilo de vida. E o nosso estilo de vida precisa ser o estilo de vida de Jesus. Quando meu estilo de vida for parecido com o de Jesus, onde eu chegar, ali estará uma influência poderosa e transformadora. Guarde o que vou dizer a você:

“Seguir a Cristo, não somente implica em segui-lo aonde ele vai, mas também demanda ser o que ele é.”

Por isso observe atentamente que tem influenciado a sua vida. Com quem você tem andado? Quem são suas companhias? Quem são seus melhores amigos e influenciadores? Nossos relacionamentos são responsáveis diretamente pelo nosso crescimento e empoderamento, ou pela estagnação e retrocesso! Precisamos nos atentar sempre para onde vamos, mas também precisamos cuidar com quem vamos. Por isso, cuide de seus relacionamentos! Eles podem ser uma influência positiva ou negativa em sua vida! Está Escrito:

“Aquele que anda com os sábios será cada vez mais sábio, mas o companheiro dos tolos acabará mal.” (Provérbios 13.20)

Viver num mundo corrompido – Dica 4

Eis a quarta dica de um total de quatro que nos ajudarão a viver num mundo corrompido sem nos corrompermos.

Para viver num mundo corrompido sem se corromper…

Testemunhe

Faça a DIFERENÇA no DESTINO ETERNO das pessoas.

“Lembrem-se disto: Quem converte um pecador do erro do seu caminho, salvará a vida dessa pessoa e fará que muitíssimos pecados sejam perdoados.” (Tiago 5.20)

Ninguém tem uma mensagem tão relevante e de tanto impacto quanto aquele que vive plenamente de acordo com os valores de Deus. Se você vive de acordo com os preceitos, valores, princípios de Deus, você é portador da maior mensagem do mundo. O nosso testemunho de vida fará sempre toda a diferença neste mundo. Você é a resposta de Deus para um mundo corrompido. Você é o plano de Deus para que o mundo conheça o amor do Pai.

No Brasil poucas pessoas não sabem quem é Jesus. O problema é a imagem que fazem Dele. De quem é a responsabilidade se a imagem de Jesus é distorcida por aí? Daqueles que deveriam fazer diferença com a sua própria vida e não estão fazendo. As pessoas só mudarão o seu destino eterno, quando virem o nosso destino mudado.

“Deixe Deus começar a mudança em você para que o seu redor seja mudado.”

Enquanto eles não virem Cristo refletido em nossa vida, eles nunca saberão o que é experimentar o amor de Jesus. O apóstolo Paulo tinha essa consciência de que, para mudar o destino das pessoas, sua vida precisava refletir a vida de Cristo. Foi por isso que Paulo disse:

“Sejam meus imitadores, como sou de Cristo.” (1ª Coríntios 11.1)

Ao viver uma vida semelhante à de Cristo, sua vida fará uma grande diferença na vida de outras pessoas. Por isso, faça diferença neste mundo corrompido buscando anunciar as outras pessoas o evangelho da graça. Não importa as oposições que você terá que enfrentar. Não esmoreça! Permaneça firme em seu propósito! Mesmo vivendo em meio a muitas perseguições, o apóstolo Paulo afirmou:

“Embora eu seja o menor dos menores de todos os santos, foi-me concedida esta graça de anunciar aos gentios as insondáveis riquezas de Cristo.” (Efésios 3.8)

Paulo enfrentou grandes tribulações e oposições quando evangelizava os povos da Ásia. Mas tinha a convicção da verdade que pregava e isso não lhe permitia desanimar. Ele mesmo se sentia pequeno, mas sabia que o evangelho é grande, valioso e poderoso para mudar o destino eterno das pessoas.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Os pedidos de uma criança

"Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele." (Provérbios 22:6)


Não tenham medo de serem firmes comigo. Prefiro assim. Isto faz com que eu me sinta mais seguro.
Não deixem que eu adquira maus hábitos. Dependo de vocês para saber o que é certo ou errado.
Não me corrijam com raiva, nem na presença de estranhos. Aprenderei muito mais se me falarem com calma e em particular.
Não me protejam das consequências de meus erros. Às vezes eu preciso aprender pelo caminho áspero.
Não levem muito a sério as minhas pequenas dores. Necessito delas para poder amadurecer.
Não me estraguem. Sei que não devo ter tudo o que peço. Só estou experimentando vocês.
Não sejam irritantes ao me corrigirem. Se assim o fizerem, eu poderei fazer o contrário do que me pedem.
Não me façam promessas que não poderão cumprir depois. Lembrem-‐se que isto me deixa profundamente desapontado.
Não ponham à prova a minha honestidade. Sou facilmente levado a dizer mentiras. Não me apresentem um Deus carrancudo e vingativo. Isso me afastaria Dele.
Não desconversem quando faço perguntas, senão serei levado a procurar respostas na rua todas as vezes que não as tiver em casa.
Não se mostrem para mim como pessoas infalíveis. Ficarei extremamente chocado quando descobrir um erro em vocês.
Não digam simplesmente que meus receios e medos são bobos. Ajudem-me a compreendê-los e vencê-los.
Não digam que não conseguem me controlar. Eu me julgarei mais forte do que vocês.
Não me tratem como uma pessoa sem personalidade. Lembrem-se que eu tenho meu próprio modo de ser.
Não vivam me apontando os defeitos das pessoas que me cercam. Isso irá criar em mim, mais cedo ou mais tarde, o espírito de intolerância.
Não se esqueçam que eu gosto de experimentar as coisas por mim mesmo.  Não queiram ensinar tudo para mim.
Não tenham vergonha de dizer que me amam. Eu necessito desse carinho e amor para poder transmiti-los a vocês e aos outros.
Não desistam nunca de me ensinarem o bem, mesmo quando eu parecer não estar aprendendo.
Insistam através do exemplo e, no futuro, vocês verão em mim, o fruto do que plantaram.

(Autor desconhecido)

domingo, 27 de agosto de 2017

Soli Deo gloria


"E, elevando-o, mostrou-lhe, num momento, todos os reinos do mundo. Disse-lhe o diabo: Dar-te-ei toda esta autoridade e a glória destes reinos, porque ela me foi entregue, e a dou a quem eu quiser. Portanto, se prostrado me adorares, toda será tua. Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele darás culto." ( Lucas 4:5-8)

"Essa tentação aparece por último no relato de Mateus, e não sabemos a razão para essa inversão de ordem. A tentação tinha o objetivo de levar Jesus a estabelecer um poderoso império mundial, mas ao custo de adorar a Satanás. Jesus rejeitou essa tentação citando as Escrituras. Satanás podia lhe oferecer as nações gentias porque detinha poder e influência sobre elas, especialmente por meio da idolatria. Contudo, uma das tarefas principais de Jesus era justamente quebrar esse poder e influência de Satanás sobre essas nações." (Bíblia de Estudo de Genebra, nota de rodapé.)

Há uma reflexão interessante que podemos extrair desse trecho bíblico. Satanás prega a prosperidade. E ele faz isso de diversas formas: nos púlpitos, nos livros, nas escolas dominicais, nos seminários, na televisão, rádio, internet, etc... Eu posso imaginar Satanás provocando Jesus da seguinte forma: "Você não sabe que Deus te ama? Você não sabe que Deus te quer como um Rei e que tu és o seu herdeiro? Você não acha que Deus quer você como o gestor da sua grandeza e riqueza? É exatamente isso que Satanás tem falado aos ouvidos de muitos crentes hoje em dia.

Muitas vezes pensamos que vivemos problemas financeiros que tem levado à estagnação e mesmo ao colapso de várias sociedades. Mas o que temos é um problema de adoração coletiva. Hoje estamos mentalizando e até ensinando aos nossos jovens uma mentira deslavada: "Você merece boas roupas, um carro novo e uma casa grande. Você merece coisas boas." Isso que estamos fazendo, em parte, procede do diabo. Com que base bíblica podemos pensar e ensinar assim? Era, porventura, Jesus um homem rico, tinha uma casa grande e um carro agradável?

Satanás usou todos os meios possíveis para convencer Jesus que a prosperidade era algo bom. Hoje ele diz coisas desse tipo: "Vou dar-te tudo de bom que há no mundo. Vou dar-te poder, fama, dinheiro. Quantas pessoas você quer influenciar? Queres governar um estado, um país? Queres ser presidente dos Estados Unidos da América? Qual a beleza da casa que queres? Qual o tamanho da casa de campo, de praia? Qual o luxo do carro? Qual a altura da cadeira que tu queres se sentar no teu trabalho? Quão alto queres estar para que todos os seres humanos te possam ver?"

Quem de nós nunca nos sentimos tentados assim como Jesus? Alguns de nós podem pensar: "Mas é mau ter uma casa, um carro ou um trabalho?" Não. Mas se é Satanás que te dá essa casa, esse carro ou esse trabalho, digo com certeza que é mau. Ou você acha que dinheiro desonesto é dado por Deus? Portanto, cuidado com a forma como você ganha o seu dinheiro! 

O que Satanás disse a Jesus foi algo do tipo: "Queres glória, fama e poder? Podes tê-lo sem a cruz. Posso dar-te uma coroa sem cruz, um reino sem um túmulo. Só precisas adorar-me."

Hoje dizemos que não adoramos Satanás, mas sempre que caímos em tentação estamos adorando Satanás. A adoração não é apenas o que fazemos aos domingos. É o que fazemos ao longo da semana. Onde colocamos o nosso olhar é um ato de adoração. O que dizemos é um ato de adoração. O que fazemos é um ato de adoração. Sempre que tiramos dinheiro da nossa carteira ou usamos o nosso cartão de crédito estamos realizando um ato de adoração. Cabe a nós decidirmos se esse ato é a favor de Deus ou contra Ele. Toda a nossa vida é um ato de adoração.

Hoje muitos homens e mulheres dizem: "Eu amo Jesus e o dinheiro. Eu amo Jesus e a comida. Eu amo Jesus e os jogos. Eu amo Jesus e as drogas. Eu amo Jesus e o conforto. Eu amo Jesus e a posição social. Eu amo Jesus, mas que mal há em experimentar um pouco da glória deste mundo? Ou então diz: "Eu não me identifico com nada desse mundo, porque eu amo Jesus." Mas ama a religião e se sente orgulhoso porque acha que pode se auto justificar diante de Deus.

Enquanto estivermos pensando assim, significa que mordemos a isca de Satanás e fomos presos pelo anzol da idolatria.

Mas devemos responder a esta tentação usando as palavras de Jesus: "Está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele darás culto." (Deuteronômio 6:13)

Somente a Deus toda a glória!

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Quando o medo se instala...

"Respondeu-lhe Pedro: Senhor! se és tu, manda-me ir ter contigo sobre as águas. Disse-lhe ele: Vem. Pedro, descendo do barco, e andando sobre as águas, foi ao encontro de Jesus. Mas, sentindo o vento, teve medo; e, começando a submergir, clamou: Senhor, salva-me. Imediatamente estendeu Jesus a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste? " (Mateus 14:28-31)

A maioria das pessoas hoje em dia está com o coração aflito, preocupado, triste, angustiado. Mas Jesus não quer que fiquemos assim! Há muitas preocupações que estão roubando a nossa paz, mas Jesus já pagou o preço na cruz para conseguirmos nos libertar delas.

Isso não quer dizer que você e eu não teremos problemas na vida. O próprio Cristo disse que teríamos aflições no mundo, mas Ele venceu tudo por nós e por isso não devemos nos entregar ao fracasso e desânimo.

Veja o exemplo do discípulo Pedro:

Quando Jesus estava caminhando sobre as águas e o convidou para ir até Ele, um milagre aconteceu, pois Pedro deu vários passos no mar sem se afundar. Mas quando a vitória parecia certa e o seu coração estava alegre; os ventos fortes e a tempestade o fizeram afundar, pois ele tirou os olhos de Jesus. Pedro perdeu o foco da bênção e começou a se concentrar nos problemas ao seu redor. Isso fez com que o medo dominasse seu coração, e quando o medo se instala, a fé se cala.

Meu querido irmão e irmã, entenda uma coisa: o diabo não fica satisfeito em te ver indo em direção a Jesus. Ele é o seu adversário, por isso tenta de todas as maneiras te derrubar. Mas se você continuar seguindo pela fé, Jesus estará lá na frente te esperando!

Veja a continuação da história de Pedro:

"...Sentindo o vento forte, (Pedro) teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me! E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste?" (v.30,31).

Jesus estendeu a mão para Pedro e o segurou, mas logo em seguida o chamou de "homem de pouca fé". Eu acredito que isso não foi uma crítica. Jesus estava querendo dizer que Pedro poderia ter ido muito além se não duvidasse! E é isso que Ele te diz hoje: "Meu filho(a), não desanime. Continue vivendo pela fé, sem focar nos problemas à sua volta, pois Eu tenho uma grande recompensa para você!"

Deus te abençoe.

Pr. Antônio Junior

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Escolha com sabedoria

Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? (Mateus 16:26) 
Deus quer que os jovens se tornem pessoas de espírito zeloso, a fim de estarem preparados para a ação em Seu nobre trabalho e serem aptos a assumir responsabilidades. Deus chama jovens de coração incorruptível, fortes, valorosos e determinados a combater corajosamente na luta que se acha diante deles, a fim de glorificarem a Deus e beneficiarem a humanidade. Se a juventude fizesse da Bíblia o seu estudo, acalmasse seus impetuosos desejos e ouvisse a voz de seu Criador e Redentor, não só estaria em paz com Deus, mas ela própria se acharia enobrecida e elevada. É de interesse eterno para você, meu jovem amigo, atender às instruções da Palavra de Deus, pois elas são de inestimável importância para você.

Rogo-lhe que seja prudente e considere qual será o resultado de levar vida desregrada, não regida pelo Espírito de Deus. “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia para a sua própria carne colherá corrupção” (Gl 6:7, 8). Por amor de sua salvação, por amor de Cristo, que deu a Si mesmo para salvá-lo da ruína, pare agora no começo de sua vida e pese bem suas responsabilidades, suas oportunidades e suas possibilidades. Deus lhe deu oportunidade de ter um alto destino. Sua influência pode pesar na balança em favor da verdade de Deus; você pode ser um cooperador dEle na grande obra da redenção humana. […]

Se os jovens pudessem apreciar o alto destino a que são chamados! Considere bem os caminhos de seus pés. Comece sua obra com elevado e santo propósito e esteja decidido, mediante o poder da graça divina, a não se desviar do caminho da retidão. Se começar a ir em direção errada, cada passo será cheio de perigo e desastre, e continuará a afastar-se da verdade, da segurança e do sucesso. Você precisa que o intelecto seja fortalecido; e as energias morais, vivificadas pelo poder divino.

A causa de Deus requer as mais elevadas capacidades do ser e, em muitos campos, há urgente necessidade de jovens com a habilidade de escrever. Há necessidade de pessoas a quem se possa confiar o trabalho em extensos campos que hoje estão prontos para a colheita. Jovens de aptidões comuns, que se entreguem completamente a Deus e não sejam contaminados por vícios e impurezas, terão sucesso e serão habilitados a fazer um grande trabalho para Deus.

domingo, 25 de junho de 2017

Mães, não se preocupem

"Então, dirigindo-se aos seus discípulos, Jesus os exortou: “Portanto, vos afirmo: não andeis preocupados com a vossa própria vida, quanto ao que haveis de comer, nem muito menos com o vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Porquanto a vida é mais preciosa do que o alimento, e o corpo, mais importante do que as roupas. Observai os corvos, os quais não semeiam, nem ceifam, não possuem armazéns nem celeiros; contudo, Deus os alimenta. Quanto mais valeis vós do que as aves! Quem de vós, por mais ansioso que possa estar, é capaz de prolongar, por um pouco que seja, a duração da sua vida? Considerando que vós não podeis fazer nada em relação às pequenas coisas da vida, por que vos preocupais com todas as outras?" (Lucas 12.22-26) 

Que mãe não se preocupa com seus filhos? Faz parte da descrição do serviço toda mãe se preocupar se os seus estão seguros e sadios, se terão um bom emprego, estabilidade emocional, com quem vão casar e, entre as mães cristãs, se creem em Cristo - para remissão dos pecados e vida eterna - e se o terão como prioridade em suas vidas. Não é novidade, mãe que é mãe se preocupa. 

E nestes dias, onde a lista de preocupações cresce consideravelmente, Cristo lhes diz: Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir. A vida é mais importante do que a comida, e o corpo, mais do que as roupas (v. 22 e 23). 

A preocupação, que pode ser uma ansiedade mascarada, vem do nosso medo e do desejo de estar no controle, e o único meio de vencê-la é trazê-la para a luz. 

Lembre-se que a duração de nossas vidas já foi determinada pelo Senhor (Salmos 139.6). Não é algo que podemos controlar. Jesus nos afirma que por mais que nos preocupemos, nem uma hora sequer podemos acrescentar à nossa vida (v. 26). Logo, quem de vocês pode garantir que seus filhos não sofrerão acidentes? Quem de vocês pode proteger seus filhos deste mundo violento? Quem de vocês pode garantir vida eterna aos seus filhos? Atender a realidade que só o Senhor governa e garante a segurança dos seus é um passo muito importante para a santificação. 

É de fato um nobre desejo querer que seus filhos vivam para o Senhor, mas, ao mesmo tempo, também querer que eles não experimentem dor é complicado. Observe o seguinte: Não existe vida sem dor para os servos do Senhor (Jó 15.20). Se você deseja que seu filho ame e obedeça nosso Pai, proclamando Cristo a todos que estão por perto, haverá de entender que eles certamente passarão por tribulações. E isso dói, é verdade, mas não podemos pensar somente no presente (1 Pedro 4.13).

Precisamos confiar em Deus, pois Ele cuida de nós. Nosso Pai cuida de cada um de seus filhos mais do que você ou eu possa cuidar. Ainda que sejamos enviados como ovelhas entre lobos (Mateus 10.16), Deus, o Bom Pastor, nos guia no caminho correto e, se perdidos, Ele é capaz de nos trazer de volta para o caminho, durante todo o caminho. Não se preocupe. Não é bom saber que você pode confiar no Senhor? 

Mãe, seu objetivo não é apenas proteger seus filhos dos perigos deste mundo caído, mas é ser instrumento nas mãos do Senhor para que seu filho se conforme a imagem de Cristo. Para tal, o Senhor certamente usará algumas aflições, sofrimentos e tribulações para imprimir o caráter de Cristo em seu filho e em você (Tiago 1.2-4). 

"O Senhor não sabe apenas o que é melhor para você e seus filhos, mas Ele é o melhor para você e seus filhos em todas as circunstâncias." (Gloria Furman) 

Sem. André Dantas, Igreja Presbiteriana Nacional 

sábado, 17 de junho de 2017

A obediência é fruto do amor

"Aquele que tem os Meus mandamentos e os guarda, esse é o que Me ama." (João 14:21)

Que os que se sentem inclinados a fazer alta profissão de santidade se contemplem no espelho da lei de Deus. Ao constatarem o vasto alcance de seus apelos e compreenderem que ela atua como vigia dos pensamentos e intenções do coração, será possível presumir que não estão sem pecado. […]

Há os que professam possuir santidade, que se declaram santos do Senhor, que consideram como um direito as promessas de Deus, ao mesmo tempo que recusam obediência aos mandamentos de Deus. Esses transgressores da lei reivindicam tudo quanto é prometido aos filhos de Deus; mas isso é presunção da parte deles, pois João nos diz que o verdadeiro amor a Deus se revelará na obediência a todos os Seus mandamentos. Não basta crer na teoria da verdade, fazer uma profissão de fé em Cristo, crer que Jesus não é um impostor e que a religião da Bíblia não é uma fábula artificialmente composta. “Aquele que diz: Eu O conheço”, escreveu João, “e não guarda os Seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade. Aquele, entretanto, que guarda a Sua palavra, nele, verdadeiramente, tem sido aperfeiçoado o amor de Deus. Nisto sabemos que estamos nEle” (1Jo 2:4, 5). […]

João não ensinou que a salvação deveria ser adquirida pela obediência, mas que a obediência é fruto da fé e do amor. “Sabeis também que Ele Se manifestou para tirar os pecados”, disse, “e nEle não existe pecado. Todo aquele que permanece nEle não vive pecando; todo aquele que vive pecando não O viu, nem O conheceu” (1Jo 3:5, 6). Se estivermos em Cristo, se o amor de Deus estiver no coração, nossos sentimentos, pensamentos e ações estarão em harmonia com a vontade de Deus. O coração santificado está em harmonia com os preceitos da lei de Deus.

Muitos há que, embora procurando obedecer aos mandamentos de Deus, têm pouca paz ou alegria. Essa falha em sua experiência é o resultado da falta de exercitar a fé. Andam como se pisassem uma terra salina, um ressequido deserto. Pedem pouco, quando deviam pedir muito, pois não há limite para as promessas de Deus. Essas pessoas não representam corretamente a santificação que vem pela obediência à verdade. O Senhor quer que todos os Seus filhos e filhas sejam felizes, obedientes e desfrutem paz. Pelo exercício da fé, o crente toma posse dessas bênçãos. Pela fé, cada deficiência de caráter pode ser reparada; todas as contaminações, purificadas; cada falta, corrigida; e toda boa qualidade, desenvolvida.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Tenham filhos, meus filhos, porque vale a pena!

"Se eu pudesse dar só um conselho para os meus amigos, seria esse: tenham filhos. Pelo menos um. Mas se possível, tenham 2, 3, 4... Irmãos são a nossa ponte com o passado e o porto seguro para o futuro. Mas tenham filhos.

Filhos nos fazem seres humanos melhores.

O que um filho faz por você nenhuma outra experiência faz. Viajar o mundo te transforma, uma carreira de sucesso é gratificante, independência é delicioso. Ainda assim, nada te modificará de forma tão permanente como um filho.

Esqueça aquela história de que filhos são gastos. Filhos te tornam uma pessoa com consumo consciente e econômica: você passa a comprar roupas na Renner e não na Calvin Klein, porque no fim, são só roupas. E o tênis do ano passado, que ainda tá novinho e confortável, dura 5 anos... Você tem outras prioridades e só um par de pés.

Você passa a trabalhar com mais vontade e dedicação, afinal, existe um pequeno ser totalmente dependente de você, e isso te torna um profissional com uma garra que nenhuma outra situação te daria. Filhos nos fazem superar todos os limites.

Você começa a se preocupar em fazer algo pelo mundo. Separar o lixo, trabalho comunitário, produtos que usam menos plástico... Você é o exemplo de ser humano do seu filho, e nada pode ser mais grandioso que isso.

Sua alimentação passa a importar. Não dá pra comer chocolate com coca-cola e oferecer banana e água pra ele. Você passa a cuidar melhor da sua saúde: come o resto das frutas do prato dele, planta uma horta pra ter temperos frescos, extermina o refrigerante durante a semana. Um filho te dá uns 25 anos a mais de longevidade.

Você passa a acreditar em Deus e aprende como orar. Na primeira doença do seu filho você, quase como instinto, dobra os joelhos e pede a Deus que olhe por ele. E assim, seu filho te ensina sobre fé e gratidão como nenhum padre/pastor/líder religioso jamais foi capaz.

Você confronta sua sombra. Um filho traz a tona seu pior lado quando ele se joga no chão do mercado porque quer um pacote de biscoito. Você tem vontade de gritar, de bater, de sair correndo. Você se vê agressivo, impaciente e autoritário. E assim você descobre que é só pelo amor e com amor que se educa. Você aprende a respirar fundo, se agachar, estender a mão para o seu filho e ver a situação através de seus pequenos olhinhos.

Um filho faz você ser uma pessoa mais prudente. Você nunca mais irá dirigir sem cinto, ultrapassar de forma arriscada ou beber e assumir a direção, pelo simples fato de que você não pode morrer (não tão cedo)... Quem é que criaria e amaria seus filhos da mesma forma na sua ausência?! Um filho te faz mais do que nunca querer estar vivo.

Mas, se ainda assim, você não achar que esses motivos valem a pena, que seja pelo indecifrável que os filhos têm.

Tenha filhos para sentir o cheiro dos seus cabelos sempre perfumados, para ter o prazer de pequenos bracinhos ao redor do seu pescoço, para ouvir seu nome (que passará a ser mãmã ou pápá) sendo falado cantado naquela vozinha estridente.

Tenha filhos para receber aquele sorriso e abraço apertado quando você chegar em casa e sentir que você é a pessoa mais importante do mundo inteirinho pra aquele pequeno ser. Tenha filhos para ganhar beijos babados com um hálito que listerine nenhum proporciona. Tenha filhos para vê-los sorrirem como você e caminharem como o pai, e entenda a preciosidade de se ter uma parte sua solta pelo mundo. Tenha filhos para re-aprender a delícia de um banho cheio de espuma, de uma bacia de água no calor, de rolar com o cachorro, de comer manga sem se limpar.

Tenha filhos.

Sabendo que muito pouco você ensinará. Tenha filhos justamente porque você tem muito a aprender. Tenha filhos porque o mundo precisa que nós sejamos pessoas melhores ainda nessa vida."

Bruna Estrela

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Sobre a oração

Ora, havia um oficial do rei, cujo filho estava doente em Cafarnaum. João 4:46

Não entristeçais o Espírito Santo com o seu pecado, pois ele é quem intercede por você junto a Deus com gemidos inexprimíveis.

O Salvador sabia que o pai havia estabelecido, em seu espírito, condições quanto a crer nEle. A menos que sua petição fosse atendida, não O havia de aceitar como o Messias.

No entanto, o nobre possuía certo grau de fé; pois viera pedir aquilo que lhe parecia ser a mais preciosa de todas as bênçãos. Jesus tinha um dom ainda maior para conceder. Desejava não somente curar a criança, mas tornar o nobre e sua casa participantes das bênçãos da salvação e acender uma luz em Cafarnaum, que em breve se tornaria o cenário das obras de Cristo.

O nobre desejava conhecer mais de Cristo. Ao ouvir-Lhe posteriormente os ensinos, ele e todos os de sua casa se tornaram Seus discípulos. Sua dor foi santificada, para conversão de toda a família. Divulgaram-se as novas do milagre; e, em Cafarnaum, onde tantas de Suas poderosas obras foram realizadas, foi preparado o caminho para o ministério pessoal de Cristo.

Aquele que abençoou o nobre de Cafarnaum também quer nos abençoar. Assim como o aflito pai, somos muitas vezes levados a buscar a Jesus pelo desejo de algum bem terrestre; e da obtenção de nossas petições fazemos depender nossa confiança em Seu amor. O Salvador anela dar-nos maiores bênçãos do que Lhe pedimos; e retarda o deferimento de nossos pedidos, a fim de nos mostrar o mal que existe em nosso coração e nossa profunda necessidade de Sua graça. Deseja que renunciemos ao egoísmo que nos leva a buscá-Lo. Confessando nosso desamparo e necessidade, devemos entregar-nos inteiramente a Seu amor.

Antes de crer, o nobre queria ver atendida sua oração, mas teve que aceitar a palavra de Jesus, de que seu pedido estava atendido, e a bênção, concedida. Nós também devemos aprender essa lição. Não porque vejamos ou sintamos que Deus nos ouve, mas simplesmente porque cremos. Temos que confiar em Suas promessas. Quando a Ele nos chegamos com fé, toda súplica alcança o coração de Deus. Ao pedir Suas bênçãos, devemos acreditar que as receberemos e dar-Lhe graças porque as temos recebido. Então iremos ao cumprimento de nossos deveres, certos de que a bênção terá lugar quando mais necessitarmos dela. Quando aprendermos a fazer isso, saberemos que nossas orações são atendidas. Deus fará por nós “infinitamente mais do que pedimos ou pensamos”, “segundo as riquezas da Sua glória” (Ef 3:20, 16) e “segundo a eficácia da força do Seu poder” (Ef 1:19)

terça-feira, 25 de abril de 2017

Só Jesus pode dar paz

"Deixo-vos a paz, a Minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo." (João 14:27)

Quando recebemos a Cristo no coração, como hóspede permanente, a paz de Deus, que excede a todo entendimento, guarda nosso coração e espírito em Cristo Jesus. A vida do Salvador na Terra, embora passada em meio de conflito, foi uma vida de paz. Por mais que os irados inimigos O estivessem sempre perseguindo, Ele disse: “Aquele que Me enviou está comigo, não me deixou só, porque Eu faço sempre o que Lhe agrada” (Jo 8:29). Nenhuma tempestade de ira humana ou diabólica poderia perturbar a calma daquela perfeita comunhão com Deus. E Ele nos diz: “Deixo-vos a paz, a Minha paz vos dou” (Jo 14:27); “Tomai sobre vós o Meu jugo e aprendei de Mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso” (Mt 11:29). Levai comigo o jugo do serviço, para a glória de Deus e o erguimento da humanidade, e achareis suave o jugo, e leve o fardo.

É o amor do próprio eu que destrói nossa paz. Enquanto o eu está bem vivo, estamos continuamente prontos a preservá-lo de mortificação e insulto; mas, se está morto, e nossa vida escondida com Cristo em Deus, não levaremos a sério as desatenções e indiferenças. Seremos surdos às censuras, e cegos à zombaria e ao insulto. […]

A felicidade derivada de fontes terrenas é tão mutável e depende das circunstâncias; a paz de Cristo, porém, é constante e permanente. Ela não depende de qualquer circunstância da vida, da quantidade de bens mundanos ou do número de amigos. Cristo é a fonte da água viva, e a felicidade que dEle procede não pode jamais falhar.

A mansidão de Cristo, manifestada no lar, tornará felizes os membros da família; ela não provoca disputas, não dá respostas iradas, mas acalma o temperamento irritado e difunde uma suavidade que se faz sentir por todos os que se acham dentro do aprazível ambiente. Sempre que é nutrida, torna as famílias da Terra uma parte da grande família do Céu.

Muito melhor é sofrermos sob falsa acusação do que impor a nós mesmos a tortura da vingança sobre nossos inimigos. O espírito de ódio e vingança teve sua origem em Satanás e só pode trazer mal sobre aquele que o nutre. Humildade de coração, aquela mansidão que é o fruto de permanecer em Cristo, é o verdadeiro segredo da bênção.