sexta-feira, 22 de abril de 2016

Bela, recatada e virtuosa

“Mulher virtuosa quem a achará? O seu valor muito excede ao de rubis.” (Provérbios 31:10)

Um artigo sobre a esposa do vice-presidente Michel Temer, Marcela Temer, publicado pela revista Veja e intitulado "Bela, recatada e do lar", provocou uma avalanche de reações na internet. Milhares de mulheres postaram fotos suas em momentos de diversão, ironizando o tom tradicionalista do perfil e afirmando que Marcela não as representaria. Mas para uma das principais pesquisadoras da história das mulheres brasileiras, a historiadora Mary Del Priore, as críticas refletem uma visão "intolerante" sobre o modo de vida de uma parcela significativa da população. Del Priore diz que Marcela Temer representa parte de um Brasil que muitos preferem deixar “invisível”.

Mas nós, que amamos o Senhor, pelo contrário, desejamos tornar bastante visível o perfil da mulher que agrada a Deus. A mulher virtuosa. Os termos “do lar” e “virtuosa”, segundo a perspectiva bíblica, podem ser considerados equivalentes. Não sei, e não posso afirmar, se Marcela é uma mulher virtuosa, pois não a conheço. Mas nada impede que uma mulher "do lar" seja "virtuosa".

Olhando em Provérbios 31:10, encontramos uma pergunta retórica: Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de finas joias. Nada mais poderia ser adicionado à beleza deste retrato bíblico de mulher virtuosa. Sua castidade, amor, diligência, eficiência, sinceridade e devoção, sua habilidade para os negócios, são belas características descritas em Provérbios 31:11-31.

Até o século 19, ser “do lar” era uma característica importante, voltar-se para as atividades domésticas, estar ocupada dentro de casa, essa é uma permanência que está presente até hoje. Embora o termo “do lar” possa ser visto com certo demérito por algumas pessoas, a sua substituição pelo termo “virtuosa” nos fará entender melhor o plano de Deus para as mulheres.

A mulher virtuosa serve bem sua família. Provérbios 31:11-15 exemplifica a mulher virtuosa. O seu marido tem absoluta confiança nela e não precisa recorrer a outras mulheres para satisfazer-se. Também diz que ela só faz o bem e nunca o mal, não apenas esporadicamente, mas todos os dias de sua vida. Trabalha alegremente em sua casa, preparando comidas nutritivas e saborosas para sua família. Levanta-se cedo para ter certeza que sua família será bem alimentada.

Estes versículos são usados com bastante frequência para descrever mulheres de negócios que, como muitas mulheres tribais, cuidam do jardim, compram e vendem algodão, lã ou linho; tecem e vendem o que produzem. O papel de uma mulher varia em diferentes partes do mundo, porém, estes versículos parecem incluir todos os estilos de vida, tornando possível toda mulher ser considerada virtuosa, se o seu trabalho for executado com a atitude apropriada.

A mulher virtuosa tem visão para os negócios. Em Provérbios 31:16-18 aprendemos que esta mulher consegue reconhecer um bom negócio quando o vê. Ela não se vangloria quando faz um bom trabalho, mesmo que tenha exigido muito esforço. A força de seu caráter é vista em sua atitude ao preocupar-se com o futuro e estabilidade de seu lar.

A mulher virtuosa é uma mulher capaz. Provérbios 31:19-24 menciona que sabe fazer roupas para sua família. Ela se preocupa com as pessoas necessitadas ao seu redor. Sua família não é apenas beneficiada com suas habilidades domésticas, suas próprias roupas mostram bom gosto e dignidade. Usa suas capacidades para obter ganhos extras.

A mulher virtuosa é uma mulher de bom caráter. Provérbios 31:25-31 destaca o seu caráter excepcional. Em sentido figurado, a Bíblia descreve esta como se ela estivesse adornada de força e dignidade. Por ser bem preparada, não teme o futuro e está plena de alegria e paz interior. A mulher virtuosa cuida da sua língua. Ela não fofoca, mas se expressa com bondade. Seus próprios filhos a elogiam para os amigos, e seu marido a exalta perante os outros. Esta passagem indica que há mulheres ao redor do mundo que praticam boas obras, mas a mulher virtuosa descrita, a todas supera, aos olhos de Deus.

A chave de toda a passagem se encontra nos versículos 30 e 31. Estes versículos são como um espelho, no qual cada uma das mulheres pode examinar-se. Somente algumas verão as suas vidas ali refletidas, no entanto verão a mulher que lutam para ser, uma mulher de beleza de espírito e serenidade de alma.

Se você pudesse olhar de relance no espelho de Provérbios 31, como seria sua imagem? A única maneira de ser verdadeira mulher virtuosa é conhecer o único e verdadeiro Deus, e a Jesus Cristo que foi enviado para ser o nosso Salvador. O segredo em ser uma mulher virtuosa fundamenta-se no constante relacionamento com o Senhor Jesus Cristo. A mulher que o conhece e ama, será louvada — quem sabe, não por este mundo, mas por Deus.

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Congregar é preciso

“Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns, antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.” (Hebreus 10:25)

De acordo com o texto, existe um costume em alguns de não congregar e isto não deve ser imitado. Ao contrário devemos estar sempre falando uns com os outros para nos estimular ou admoestar a congregar. A Bíblia também usa a expressão “…tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima…” 

Em outras palavras está dizendo que quanto mais se aproxima o Dia da volta de Cristo, mais devemos nos empenhar em congregar. Isto porque quanto mais o Dia se aproxima mais aumenta a pressão no mundo, pois o diabo sabe que seu tempo está diminuindo. 

E essa pressão que o mundo nos impõe também afeta o comportamento dos nossos filhos, muitos deles acabam se envolvendo com vícios. E vícios são os que não faltam neste mundo. Nossos filhos precisam crer em Deus, mas também precisam praticar a fé.

Estudo afirma que não é somente `crer´; a prática da religiosidade é que está relacionada à menor propensão aos vícios.

Uma pesquisa recente desenvolvida por pesquisadores de diferentes centros de estudos nos Estados Unidos (Boston Medical Center, Systems & Psychosocial Advances Research Center, entre outros), constatou o que o bom senso já era capaz de supor. Frequentar atividades religiosas desde a infância é um dos hábitos mais eficazes para evitar o uso de drogas ou abuso de álcool na adolescência e juventude.

A pesquisa foi liderada pela doutora Michelle Porche e publicada num congresso acadêmico sobre superação de vícios, na Chester University, Reino Unido. Os pesquisadores concluíram que uma infância religiosa contribui para que o futuro jovem não tenha comportamentos de risco e acrescenta que "a religiosidade pode ser especialmente protetora durante o período de transição da adolescência à fase adulta".

Não basta, contudo, simplesmente "crer", destaca a pesquisa. A religiosidade prática, que inclui a participação frequente em celebrações, cultos ou missas, por exemplo, é o que está relacionada ao desenvolvimento de hábitos mais saudáveis e menor propensão aos vícios. "Uma maior assistência à igreja nesses períodos da vida [infância e adolescência] pode proteger o jovem do uso precoce de álcool e contra o desenvolvimento de problemas relacionados com o alcoolismo", diz o texto da pesquisa.

O levantamento usou como amostra 900 jovens de 18 a 29 anos. Nas conclusões, os pesquisadores propõem que as igrejas intensifiquem seu trabalho com jovens nos temas álcool e drogas, além de sugerir que os profissionais de saúde que lidam com dependentes químicos adotem elementos de prática espiritual com os pacientes que não se opuserem.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Injustiça

Eles nada sabem nem entendem, vagueiam em trevas; vacilam todos os fundamentos da terra. (Salmos 82:5)

A pessoa queixava-se do veredicto. O juiz tinha dado a guarda de seu único filho para o marido. Estava arrasada e não sabia aonde procurar ajuda.

“É injusto – reclamava a mulher – O juiz fez isso por causa da influência da família de meu esposo que tem muito poder na cidade.”

Pode ser que assim seja. Pode também ter sido um erro por falta de informação. As injustiças parecem ser a lei desta vida. O texto de hoje fala de juízes que “vendiam”, a justiça. O salmista os descreve como gente sem escrúpulos, em cuja vida, não existia o temor de Deus.

Embora o texto refere-se exclusivamente as pessoas que administravam a justiça naqueles dias, a advertência é válida para o ser humano de hoje, a despeito da profissão ou ofício. Gente sem Deus andará em trevas e quem anda envolvido pelas sombras, vagueia e comete injustiça. Não tem rumo, tropeça, cai, se levanta, torna a cair. Não tem consciência de sua realidade. Pretende saber de onde vem e para onde vai, mas caminha sem rumo. Acertando umas vezes e errando, na maioria.

“Nada sabem”, afirma o salmista, referindo-se a estas pessoas para quem Deus não passa de um mero detalhe. O verbo saber nesse verso vem da expressão hebraica "jokmaj" que significa critério, bom senso, equilíbrio, juízo.

A maior parte dos problemas do ser humano se originam na falta de sabedoria. Na vida familiar, profissional ou financeira, a falta de critério leva a criatura a viver “em trevas”, tentando achar o caminho, mas ferindo-se e ferindo as pessoas ao seu redor.

Por isso hoje, antes de tomar alguma decisão transcendental, ou antes de iniciar suas atividades diárias, lembre o conselho de Tiago que disse: “Se porém, alguém de vós necessita de sabedoria, peça a Deus que a todos dá liberalmente.” (Tiago 1:5)

Não comece o dia sem Deus, não tome decisões sem seu conselho, porque a pessoa que vive sem Deus vagueia em trevas e comete injustiça.