segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Passaporte carimbado

Teus olhos viam meu embrião, e em teu livro foram registrados todos os meus dias; prefixados, antes mesmo que um só deles existisse! (Salmos 139:16)

Hoje é um dia de muita tristeza para nós. Deus chamou para si um irmão querido. Pai de uma família muito amada, a família Carizzi. Há quatro meses ele caíra de uma escada em sua casa e fraturara o crânio. Havia passado três meses em coma. Após longa recuperação, quando usara todos os recursos médicos possíveis, havia voltado para casa com intuito de ali terminar o tratamento longe de possíveis infecções hospitalares. Nós nos regozijávamos pela sua recuperação quando veio a falecer vítima de pneumonia. 

É comum nesta hora os parentes da pessoa falecida ouvirem: “foi da vontade de Deus”, “chegou a hora, todos temos a nossa hora”, ou “ninguém morre de véspera.” Na verdade, quando chega a hora, não há nada que possa impedir a nossa partida. Também ninguém pode antecipá-la. Por quê?

Porque nascemos com os dias contados. O nosso passaporte está carimbado com a data de entrada e a de saída. Deus conhece a quantidade de nossos dias desde antes de sermos concebidos, e sabe tudo o que fazemos no dia-a-dia, em minuto-a-minuto, pois a nossa história “está escrita” no Livro da Vida; cada um de nossos pensamentos, cada um de nossos passos, cada uma de nossas ações. Todas as coisas só acontecem de acordo com a vontade de Deus. Ele anda junto com todas as coisas que acontecem, sejam boas e ruins. Nenhuma coisa ruim acontece sem que Deus queira, porque Deus quer que aconteça para uma finalidade, quer a gente saiba ou não. Isso se chama Providência Divina.

Sem a convicção absoluta da Soberania de Deus é impossível entender a Providência de Deus. A Providência é uma doutrina pouco estudada por alguns motivos: primeiro, por motivos filosóficos. A partir do século 18, filósofos, historiadores e cientistas começaram a falar em “mãe natureza”. Dizem que todas as coisas naturais têm uma explicação natural; a natureza explica todas as coisas que acontecem na natureza, significando que Deus não precisa participar dessa história. Ou seja, a tal da mãe natureza substitui Deus. 

Há uma coisa mais forte do que isso, que é o humanismo no sentido de “o homem é o centro de todas as coisas”. E assim o homem se torna o soberano sobre a sua vontade, a sua vida, sem precisar de Deus. Aqueles que defendem essa história da mãe natureza e do humanismo acreditam num Deus Transcendente, ou seja, num Deus que chegou, criou todas as coisas, foi para o céu e lá ficou, deixando que “mãe natureza” cuide da criação. 

Não nos preocupam aqueles que pensam assim e vivem longe de Deus; nós nos preocupamos com aqueles que estão perto de nós, dentro da nossa Igreja, que acham que o homem toma as rédeas da situação e as decisões. Vejam os livros de auto-ajuda cristã. O que é auto-ajuda? É o poder de se ajudar a ser auto-suficiente. A auto-ajuda cristã é um paradoxo, porque, ou confiamos em Deus para nos ajudar ou achamos que nós mesmos podemos resolver nossos problemas. 

Além das questões filosóficas, há as históricas. No século 20, o século da tecnologia e da comunicação, exacerbou-se o que sabemos sobre as desgraças do mundo, o que levou muita gente a achar que Deus não estava mais no controle dos fatos, da história. A importância da doutrina da Providência é sabermos que Deus está no controle de tudo e de todos. E por mais que tenhamos cuidado com a nossa vida, sem a Providência Divina nós não sobreviveríamos. “Todos esperam em ti que lhes dês alimento no devido tempo. Tu lhes dás, e eles o recolhem; abres a mão, e eles se fartam de bens. Escondes a tua face, e eles se perturbam; se retiras o seu alento, perecem e voltam a seu pó. Quando envias o teu fôlego, eles são criados, e renovas a face da terra.” (Salmos 104:27-30)

É natural lutar pela vida. Perdê-la traz muita dor aos que ficam. O que nos consola é a certeza de que nos veremos no porvir, pois o nosso Deus providenciou um lugar para juntos vivermos a eternidade. Saber que nosso passaporte está carimbado só nos faz descansar na Soberania de Deus e depender de sua Providência.