quarta-feira, 10 de junho de 2015

A família de Elimeleque

"Este homem se chamava Elimeleque, e sua mulher, Noemi; os seus filhos se chamavam Malom e Quiliom..." (Rute 1.2)

Elimeleque era casado com Noemi e pai Quiliom. Era homem de posses na cidade de Belém. Em seus dias, houve fome em Belém, a casa do pão. Fugiu para Moabe, e nessa terra seus dois filhos se casaram com jovens moabitas, Rute e Orfa respectivamente. Mas, Moabe não foi refúgio para Elimeleque. Ele foi buscar abrigo e encontrou a doença. Foi buscar sobrevivência e encontrou a morte. Elimeleque e seus dois filhos morreram em Moabe, deixando Noemi viúva, idosa, pobre e desamparada em terra estrangeira.

Quando Noemi ouviu que Deus visitara sua terra com pão, retornou. Rute, motivada pelo amor, apegou-se a ela, sem qualquer esperança de receber algo em troca. Noemi, cujo significado é "alegria", amargurada com Deus, chega a Belém, troca de nome e passa a se chamar Mara, cujo significado é "amargura". 

Noemi levantou um monumento à sua dor. Nem sabia ela, porém, que no meio daquela providência carrancuda, Deus estava escrevendo o capítulo mais emocionante de sua história. Rute casou-se com Boaz, rico parente de Noemi. Noemi tornou-se avó de Obede, pai de Jessé, pai de Davi. Noemi fez parte da família do grande rei Davi e Rute se tornou ancestral do próprio Messias. O último capítulo de sua história ainda não está escrito. Não levante monumentos à sua dor!

Pastor Hernandes Dias Lopes