segunda-feira, 1 de junho de 2015

A família de Davi

"Reconheceu Davi que o Senhor o confirmara como rei sobre Israel e que exaltara o seu reino por amor do seu povo" (2 Samuel 5.12)

Davi foi o maior rei de Israel. Governou quarenta anos e tornou notório seu nome e seu reino. Foi um hábil administrador, um estadista incomum, um guerreiro audacioso e um estrategista singular. Davi acumulou riqueza e glória. Porém, esse homem segundo o coração de Deus, um dia adulterou com a mulher de seu soldado Urias e arruinou sua casa. Pagou um alto preço pelo adultério. Amnon, seu filho primogênito, apaixonou-se loucamente por sua irmã Tamar e a violentou. Absalão, filho de Davi, irmão de Tamar, arquitetou debaixo dos olhos do rei, o assassinato de Amnon e o levou a cabo. 

Davi persegue seu próprio filho, que busca asilo político fora de Israel e durante onze anos, pai e filho ficam estremecidos. Depois de tanto tempo de silêncio, Absalão conspira contra Davi, para tirar-lhe a vida e tomar-lhe o trono. Agora, Davi precisa fugir de Jerusalém para não ser morto pelo próprio filho que buscava seu perdão. 

Nessa inglória luta, Absalão é morto e Davi chora amargamente, confessando tardiamente seu amor pelo filho. Paixão, estupro, traição, assassinato, conspiração e derramamento de sangue acontecem na casa do rei Davi. Oh, como o pecado é falacioso. O pecado é um embuste. Promete prazer e dá desgosto; promete liberdade e escraviza; promete vida e mata!

Pastor Hernandes Dias Lopes