domingo, 31 de maio de 2015

A Igreja perseguida

"Grandes multidões o acompanhavam, e ele, voltando-se, lhes disse: Se alguém vem a mim e não aborrece a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs e ainda a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. E qualquer que não tomar a sua cruze vier após mim não pode ser meu discípulo." (Lucas 14.25-27) 

Portas Abertas nos informa que "em quatro anos de guerra civil na Síria, pelo menos 63 igrejas foram destruídas ou danificadas, segundo o Syrian Network for Human Rights (Rede Síria pelos Direitos Humanos, tradução livre). "Os cristãos e as igrejas sofreram como todo o povo sírio. Mísseis, armas químicas e bombas não diferenciam cristãos de não cristãos", disse o porta-voz da Rede Síria, Dr. Wael Aleji. 

Segundo a Veja, recentemente o Estado Islâmico executou 30 cristãos etíopes. Vários cristãos tem morrido por não negarem a sua fé. 

Os relatos que lemos acima traduzem o que nos diz Lucas sobre o quanto custa seguir a Cristo, custa a própria vida. Quem não renuncia a si mesmo não pode seguir a Cristo. A salvação é de graça, mas o discipulado custa caro! Prega-se hoje uma graça barata, graça assim definida por Dietrich Bonhoeffer: "a graça barata é a graça sem discipulado, a graça sem a cruz, a graça sem Jesus Cristo vivo, encarnado." 

Hoje em alguns redutos, ser evangélico é sinônimo de prosperidade e ausência de sofrimento. As pessoas aderem à fé cristã, não pela transformação de vida que Jesus pode lhes proporcionar, mas pelo que Jesus lhes pode dar. 

Ser discípulo é difícil, nos diz C. S. Lewis: "Jesus diz: DÊ-ME TUDO! Não quero tanto do seu tempo e tanto do seu trabalho; é a você que eu quero. Não vim atormentar o seu "eu natural", vim matá-lo. As meias medidas não adiantam. Não quero cortar um ramo aqui e outro acolá, quero abater a árvore toda. Não quero tratar do dente, nem por uma coroa, nem fazer uma obturação; quero extraí-1o. Jesus está dizendo: Não deixe nada sem me ceder. Dar-lhe-ei em troca um outro eu. Na verdade, dar-lhe-ei a mim mesmo; A minha própria vontade tornar-se-á a sua." 

Na igreja pós-moderna, da graça barata, os religiosos querem tudo de Deus, enquanto o verdadeiro Evangelho exige o contrário, ele requer tudo de nós! 

Martinho Lutero nos diz que "na verdade, quanto mais cristã se tornar uma pessoa, mais estará sujeita ao mal, ao sofrimento e à morte, a exemplo de Cristo." 

Assim somos constrangidos a dizer como Paulo: "Não mais eu vivo, mas Cristo vive em mim." O discípulo é alguém que vive não para satisfazer seu ego, mas para satisfazer a Cristo. 

Mas mesmo em meio às tribulações podemos louvar à Cristo que sempre nos conduz em vitória. Podemos confiar nas palavras de Jesus quando nos diz: "no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." Podemos ter esperança como o apóstolo Paulo: "porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós."

Que Deus nos dê a graça de sermos discípulos, que a tudo renunciaram por amor a Jesus. Que Deus abençoe e fortaleça fé da igreja perseguida e de todos aqueles que sofrem por amor ao Evangelho. 

Rev. Marcos Alexandre R. G. Faria 
IPN 2015 - Construindo Vidas 

1. https://www.portasabertas.org.br/noticias/2015/05/pelo menos 63 igrejas foram atacadas na guerra civil na siria 
2. http://veja.abril.com.brinoticia/mundo/estado-islamico-executa-30-cristaos-etiopes-em-novo-video. 
3. http://blog.comshalom.orgicarmadelio/40407-cristaos-sao-crucificados-na-siria-por-nao-renunciar-fe-crista