domingo, 17 de maio de 2015

A família de Jacó

"Ora, Israel amava mais a José que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice..." (Gênesis 37.3)

A história é nossa pedagoga ou nossa coveira. Quando não aprendemos com ela, somos castigados a repetirmos seus erros. Jacó não aprendeu como erro de seus pais e repetiu a transgressão deles. Teve muitos filhos, mas dentre todos, demonstrou predileção por José. Isso isolou José de seus irmãos e abriu um poço de ódio no coração deles, a ponto de não suportarem sua presença. O resultado foi uma ação covarde com José. Jogaram-no num poço e depois arrancaram-no de lá para vendê-lo como escravo para o Egito. Ainda, mentiram para Jacó, dizendo que ele tinha sido despedaçado por uma fera selvagem. 

Jacó chorou por José vinte e dois anos enquanto seus irmãos esconderam esse pecado e foram açoitados pelo chicote da culpa, sem qualquer descanso para a alma. Mesmo diante de uma providência tão carrancuda, Deus traçava um plano glorioso e mostrava nele sua face sorridente. José saiu de uma imunda prisão para se tornar governador do Egito, o maior império do mundo. 

José abriu os celeiros do Egito para matar a fome do mundo e com isso veio a ser chamado o Salvador do mundo. Deus transformou o que os irmãos de José fizeram contra ele em bênção e isso foi a razão de toda a família de Jacó não perecer pela fome. Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus!

Pastor Hernandes Dias Lopes