terça-feira, 3 de março de 2015

O segundo toque

Algumas pessoas trouxeram um cego e pediram a Jesus que tocasse nele. Ele pegou o cego pela mão e o levou para fora do povoado. Então cuspiu, passou a saliva nos olhos do homem, pôs a mão sobre ele e perguntou: — Você está vendo alguma coisa? O homem olhou e disse: — Vejo pessoas; elas parecem árvores, mas estão andando. Jesus pôs outra vez as mãos sobre os olhos dele. Dessa vez o cego olhou firme e ficou curado; aí começou a ver tudo muito bem. (Marcos 8:22-25)

Apesar de ter Cristo curado dezenas de cegos ao longo do Seu ministério, nenhum, todavia, se parece com este e com o modo como o Senhor o curou. A maneira como Jesus curou esse cego nos faz lembrar a ação do Espírito Santo no novo convertido.

Quando o evangelho é ouvido, a primeira função do Espírito Santo é dar vistas aos olhos cegos, que não podem contemplar a Deus e a Sua vontade. Nesta fase inicial, tendo recebido o primeiro toque, o novo crente passa a ver, porém, não claramente. Para se alcançar uma visão perfeita é preciso receber o segundo toque. De fato, a conversão acontece em três fases:

A primeira fase é o nascimento. Do mesmo modo que uma criança recém-nascida enxerga as cores e os traços anuviados, assim acontece com os recém-nascidos em Cristo Jesus. Ele começa a ver algo novo, mas de maneira obscurecida. O novo convertido passa a ter contato com a Palavra de Deus, porém não a entende perfeitamente.

Agora vem a segunda fase, ou a intermediária, muito importante. O cego passou a ver, mas via pessoas como árvores andando. Ele ainda tinha uma visão tosca. Ora, pessoas não parecem árvores, e árvores não andam. Apesar de meio “tola”, a resposta dele foi sincera. Ele reconheceu que precisava de algo mais. Ele precisava do segundo toque. 

Somente após o segundo toque é que a visão fica perfeita. E essa representa a terceira fase na conversão. É necessário que o novo convertido receba o segundo toque do Espírito Santo para que desenvolva a sua salvação. E como fez o cego, o cristão tem que olhar firme para Jesus. Por si só, ele jamais conseguirá avançar.

Quantas pessoas recebem o primeiro toque e param no meio do caminho, não pedem o auxílio do Espírito Santo para crescerem na graça e no conhecimento de Deus. Apesar de terem ouvido o evangelho, compreendido o amor de Deus, e até mesmo participarem de uma comunidade cristã, não têm, todavia, a percepção clara e nítida do propósito eterno de Deus para suas vidas. 

Todos nós precisamos ter a visão clara do propósito de Deus: “O fim principal do homem é glorificar a Deus e gozá-lo para sempre.” Se ainda não temos esta visão, é porque precisamos do segundo toque.