terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Está tudo bem!

Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. (Romanos 8:28)

"Está tudo bem!" Por que a maioria das pessoas respondem assim quando lhes perguntam como estão? Será que não são sinceras as pessoas que assim respondem mesmo quando a vida lhes parece um caos?

Para respondemos as questões, vamos considerar o pensamento proposto por R. C. Sproul em seu livro “A mão invisível”, p. 155-156: “Imaginemos se Cristo aparecesse diante de nós e anunciasse que daquele momento em diante nada de mal jamais nos aconteceria. Certamente nos sentiríamos aliviados. Um anúncio assim vindo de Cristo seria um grande passo para nos libertar dos ataques da ansiedade. A vida sem medos e ansiedades seria um prazer absoluto. A essência do medo e da ansiedade é a de que alguma coisa ruim nos aconteça, que venhamos a sofrer de algum tipo de mal físico, como doenças, ferimentos, acidentes, perda de bens ou finanças, etc., ou que soframos em consequência da ação moral maligna de alguém contra nós ou das consequências de nossos próprios atos. 

Viver em um ambiente no qual não há mal de nenhum tipo, físico ou moral, seria literalmente o ‘paraíso’. Mas, no presente momento, vivemos na terra. Estamos ainda no vale de lágrimas e andamos pelo vale da sombra da morte. Atravessamos esse vale temendo o mal, a despeito da coragem do salmista. Davi podia afirmar que não temia nenhum mal porque podia dizer também que Deus estava com ele. Era a certeza da presença de Deus que dissipava o seu temor. [...] Mas nós não vemos Jesus com nossos olhos nem ouvimos a sua voz com nossos ouvidos anunciando que deste dia em diante nenhum mal nos acometerá. Todavia, [...] temos a promessa de Cristo que nenhum mal nos assaltará. Como assim? Para responder a isso, temos de voltar a nossa atenção para um dos textos mais confortadores do Novo Testamento: ‘Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito’ (Romanos 8.28). Percebemos que aqui Paulo não diz que todas as coisas que nos acontecem são coisas boas. De fato, coisas más acontecem conosco. Coisas dolorosas. Coisas que esmagam o nosso espírito. Coisas que deixam feridas e cicatrizes. Coisas que evocam aflições e nos arrastam para dentro da casa do luto. Apesar disso, todas essas coisas que acontecem estão trabalhando para o nosso bem. Isso quer dizer que, no fim das contas, é bom que tais coisas aconteçam conosco.”

Por isso é que os crentes na Bíblia sempre respondem: Está tudo bem! Mesmo quando nada vai bem. Isso não é falta de sinceridade, mas uma demonstração de fé.