quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Meu primeiro dia com câncer

Nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança. (Romanos 5:3)

Hoje, dia 10/12/2014, fui diagnosticado com neoplasia maligna do cólon (Câncer). No momento da notícia comecei a tremer dos pés à cabeça, mas com o apoio da minha família consegui pelo menos terminar de ouvir o que o médico tinha a comunicar. O mal está localizado, ou seja, não há metástase, fato que muda o tratamento de paliativo para de cura. Com a direção divina sobre as mãos dos médicos, e por meio da cirurgia sigmoidectomia por laparoscopia, a lesão será extirpada. Dependendo do resultado da biópsia, não precisarei submeter-me ao tratamento quimioterápico.

Meu coração está muito grato a Deus. Recebo com bastante submissão o desafio de enfrentar esse mal. Segundo o médico, é o tipo de câncer do aparelho digestivo mais fácil de ser tratado. Quando descoberto no início, como é o meu caso, a chance de cura é de 100%.

Conforme compartilhava com amigos, Deus me dá uma chance de crescer um pouco mais na fé. (Mais uma, pois já tive outras experiências maravilhosas com ele). Por meio de provações como essa o Senhor nos faz mais perseverante na oração. É em momento assim que nos agarramos a ele, que prontamente nos aceita pela fé tão somente nele. Consequentemente, temos paz por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. Foi Cristo quem nos deu, por meio da nossa fé, esta vida na graça de Deus. E agora continuamos firmes nessa graça e nos alegramos na esperança de participar da glória de Deus.

Nos alegramos nos sofrimentos, pois sabemos que os sofrimentos produzem a paciência, a paciência traz a aprovação de Deus, e essa aprovação cria a esperança. Essa esperança não nos deixa decepcionados, pois Deus derramou o seu amor no nosso coração, por meio do Espírito Santo, que ele nos deu. (Romanos 5:1-3)

Amigo, conto muito com suas orações. No começo, o choque é grande, mas em momentos assim é que precisamos de um ombro amigo que nos ajude a colocar em prática a nossa fé. Precisamos exalar o perfume de Deus – a sua graça infinita. Acontecimentos assim nos fazem acordar para a realidade da vida e lembrar que somos pó. Não temos medo, porque o amor de Deus espanta todo medo.

Deus tem poder para reverter toda tribulação em bênção. Não podemos perder a esperança, pelo contrário, devemos trazer à memória tudo aquilo que nos dá esperança. E a nossa esperança está em uma vida gloriosa com Cristo. É na tribulação que extraímos a essência da genuína alegria, que nos proporciona de fato a vida abundante prometida pelo Senhor.

No final do dia, para surpresa minha, tive a imensa alegria de ouvir na porta de minha casa belos cânticos da serenata de natal entoados pelas vozes brilhantes dos queridos amigos do Coro IPN. Que força grandiosa recebida em um momento tão propício! Louvo a Deus pelo carinho de vocês!
  
Querido leitor, talvez você esteja em um vale escuro, com o corpo surrado pela doença e com as lágrimas rolando pelo seu rosto. Não perca a fé, e nem a esperança! O sol voltará a brilhar. As nuvens escuras passarão, e um tempo novo, de refrigério da parte do Senhor, virá sobre a sua vida. Tenha fé!