terça-feira, 2 de setembro de 2014

União civil e casamento

Disse o Senhor: — Tenham muitos filhos, e que os descendentes de vocês se espalhem por toda a terra. (Gênesis 9:7)

União civil é uma união similar ao casamento. Começando pela Dinamarca em 1989, as uniões civis, com diferentes nomes, foram estabelecidas por lei em vários países desenvolvidos para dar aos casais de pessoas do mesmo sexo direitos e responsabilidades similares aos do casamento civil de pessoas de sexos opostos. Em alguns países, as uniões civis são abertas também a casais de sexos opostos.

Por ser similar, e exatamente por isso, a união civil não é casamento. Diferentemente da união civil, casamento não é invenção humana que pode ser definida conforme os caprichos egoístas dos homens. O casamento foi criado por Deus. Ele é o autor dessa instituição e a nós humanos cabe o dever de aceitá-lo conforme idealizado no Jardim do Éden: entre homem e mulher (Gênesis 2:24). Não se pode usurpar o termo “casamento” para aplicá-lo a uma união civil, qualquer que seja. Desrespeitar esse princípio é roubar a ideia original de Deus e transformá-la numa ideia humana. É plagio. Os que fazem isso destroem a comunhão com o Criador e interrompem as suas bênçãos.

Por ser uma criação humana, a união civil é realizada diante dos homens. Já o casamento requer a presença divina. Os dois conceitos podem ser similares, jamais iguais. Confundir as duas coisas como se fossem uma só é dar margem a discussões inúteis. Quando realizada com pessoas do mesmo sexo, a união civil é chamada de união homo afetiva, união estável para casais do mesmo sexo ou união civil homossexual. Essa união pode até ser realizada diante de um líder religioso; ser aceita pela sociedade, ou ser reconhecida pelo Estado; entretanto, não será abençoada por Deus, simplesmente porque é impossível o Criador abençoar atos humanos realizados em desacordo com a sua Palavra (Malaquias 2:2).

Além de outros fins, Deus criou o casamento para que os homens fossem férteis e pudessem se multiplicar, se espalhar pela terra e proliferem nela (Gêneses 9:7). Essa ordenança é impossível de ser cumprida em uma união de pessoas do mesmo sexo. Os que agem assim estão em desobediência à Bíblia Sagrada.

Entretanto, mesmo em desacordo com a Palavra, aqueles que se unem por meio de uma união civil homossexual não devem ser objetos de discriminação. Deus ama a todos – homens e mulheres – e não faz acepção de pessoas (Atos 10:34). Mas os que quiserem receber a bênção divina precisam agir como o Senhor Deus ordenou. Devem obedecer a todas as suas leis e mandamentos, como estão escritos na Palavra. Assim serão bem sucedidos aonde quer que forem e em tudo o que fizerem (1 Reis 2:3).