terça-feira, 16 de setembro de 2014

Tenham alegria!

Tenham sempre alegria, unidos com o Senhor! Repito: tenham alegria! (Filipenses 4:4)

O apóstolo Paulo fala sobre alegria e sobre o dever de alegrar-se constantemente. Este é um dos imperativos bíblicos sobre a alegria e não deixa lugar para o não alegrar-se, porque Paulo diz que todos devem se alegrar sempre - não às vezes, não periodicamente, não ocasionalmente. Paulo escreveu esta frase quando estava na prisão e nela tratou de vários assuntos solenes, como a possibilidade de que fosse martirizado, oferecido como um sacrifício. Contudo, ele disse aos moradores de Filipos que eles deveriam se alegrar, apesar das circunstâncias.

Isso nos traz de volta ao assunto de como podemos ser alegres, como uma questão de disciplina ou de vontade. Como é possível permanecermos alegres em todo o tempo? Paulo nos conta o segredo: “Tenham sempre alegria, unidos com o Senhor!”. O segredo para a alegria é a sua fonte, que é o Senhor. Se Cristo está em mim, e eu estou nele, esse relacionamento não é uma experiência ocasional. E isso é sempre a razão para alegria. Ainda que a pessoa não se alegre em circunstâncias quando está passando por aflição, tristeza ou dor, ela pode se alegrar no Senhor. Nós nos alegramos no Senhor; e, como ele nunca nos deixa nem nos abandona, podemos nos alegrar sempre.

A alegria é um dos frutos do Espírito. Frutos do Espírito são diferentes de dons do Espírito Santo. Os frutos são produzidos, enquanto os dons são recebidos. O Novo Testamento nos revela que o Espírito Santo distribui dons variados por razões diversas. Nem todos possuem o dom de ensino. Nem todos possuem o dom de contribuir. Nem todos possuem o dom de administrar. Mas, quando consideramos os frutos do Espírito, não podemos dizer que alguns têm o fruto do amor, da alegria, da paz, da paciência, da delicadeza, da bondade, da fidelidade, da humildade e do domínio próprio (Gálatas 5:22-23). Nós que confiamos em Deus temos de manifestar todos os frutos do Espírito. E, quanto mais crescemos na graça, tanto mais benignos devemos ser, tanto mais pacientes devemos ser, tanto mais fiéis devemos ser e, obviamente, tanto mais alegres devemos ser.

A vida não deve ser caracterizada por melancolia. Todos experimentamos dias maus, mas a característica básica de uma pessoa que confia em Deus é a alegria. Devemos ser as pessoas mais alegres no mundo, porque temos muitos motivos para sermos alegres. Essa é a razão por que Paulo não hesita em ordenar que seus leitores se alegrem.

Que Deus possa abrir a nossa mente para entendermos isso.