sexta-feira, 11 de julho de 2014

O deus futebol

Disse Jesus: — Vocês são o sal para a humanidade; mas, se o sal perde o gosto, deixa de ser sal e não serve para mais nada. É jogado fora e pisado pelas pessoas que passam. (Mateus 5:13)

O Brasil é conhecido como o país do futebol. Imagina uma Copa no país do futebol. Que Copa, que glória! De fato, pelas conquistas futebolísticas que possui, o Brasil tem muito do que se gloriar. 

Mas quando se fala da Copa, é impossível os brasileiros não se lembrarem dos protestos contra os gastos exorbitantes na construção dos estádios. Igualmente, não se podem esquecer de que os recursos seriam melhor aproveitados se fossem direcionados para áreas carentes como a da saúde, da educação e da segurança. Abafar as debilidades da nação, só porque o país está sendo mostrado para o mundo, é uma tremenda hipocrisia. Infelizmente, o país do futebol é também o país da corrupção, da prostituição, da falcatrua e da falsa espiritualidade. 

Desde a antiguidade, em vez de procurarem melhorar a vida da população, governos ineficientes sempre preferiram promover entretenimentos para o povo, fazendo-o se esquecer dos seus problemas. O futebol tornou-se um deus, o ópio do povo. 

Nessa embriaguez nacional é que políticos e grandes corporações aproveitam para explorar. Esse deus tem cegado o entendimento a ponto de várias pessoas chorarem copiosamente diante de uma derrota, como se perder uma partida de futebol fosse o fim do mundo. Quem dera as pessoas chorassem assim de arrependimento pelos pecados! Oxalá essa energia fosse direcionada para a busca do conhecimento de Deus e de sua Palavra. A igreja, também rendida, perde o seu gosto, e para nada mais serve, pois jamais cumprirá sua missão de ser o sal para a humanidade fechando as portas e colocando telões para as pessoas se prostrarem diante do deus futebol.

O que mudaria na vida do brasileiro a conquista do Hexa, a não ser o aumento do orgulho e da vaidade? Em poucos meses isso também nada significaria, pois não passa de uma alegria fugaz. Não é ganhando a Copa que o Brasil vai ver seus problemas solucionados. Não é sediando qualquer competição esportiva que o país se torna mais rico e desenvolvido. A mudança vem por meio da aquisição de conhecimento. Pessoas inteligentes e bem instruídas transformam a nação e o mundo. 

Melhor seria se o Brasil fosse conhecido como o país da educação, da tecnologia, de políticos íntegros e honestos, do desenvolvimento, da saúde, do avivamento espiritual, de igrejas e pastores sérios e de um único Senhor, Jesus. 

“Brasil olha pra cima, existe uma chance de ser novamente feliz. Brasil, há uma esperança! Volta teus olhos pra Deus, o Justo Juiz!” (João Alexandre)