terça-feira, 10 de junho de 2014

Responsabilidade dos pais

É bom corrigir e disciplinar a criança. Quando todas as suas vontades são feitas, ela acaba fazendo a sua mãe passar vergonha” (Provérbios 29:15)

Como esperar que a criança criada sem limites tenha segurança e desenvolva seus próprios recursos, se os pais, amedrontados com a birra, já que perderam com a “Lei da Palmada” sua autonomia de criar seus filhos, acabam cedendo às suas vontades?

Dizer “NÃO” não significa rejeição ou agressão ao filho. Na verdade, o “NÃO” pode e deve ser uma demonstração de uma crença na capacidade e força dele. A noção de que se pode atender todas as necessidades da criança de forma a poupá-la de qualquer dor somente terá como resultado uma criança desadaptada e sem preparo para a vida em sociedade. Mas quando não funciona, resta aos pais a demonstração física do “NÃO”. E esta demonstração é exatamente a palmada.

Note-se que falamos em palmada. Não exaltamos o uso da força e da violência, mas o uso físico do “NÃO”.

Por exemplo, uma criança está no supermercado com seus pais e todas as balas, doces e brinquedos que vê, ela pede para que seja comprado. No primeiro NÃO que recebe começa a birra. Ela se joga ao chão e esperneia aos berros. Seus pais argumentam, dialogam, tentam fazê-la entender que naquele dia, naquela oportunidade por uma razão ou outra, não é possível. Se esta criança conhece seus limites, ela irá entender, caso contrário, a birra se transformará em pirraça e argumentos e diálogos não terão efeitos. O que fazer então? Permitir a pirraça até que ela se canse ou demonstrar a ela que está errado usando o argumento físico? E se esta ação resultar em uma palmada terá sido cometido um crime? Crime real é não proporcionar aos filhos condições morais de discernir o que é certo do que é errado. O crime é impedir os pais de educarem seus filhos.

É certo que os verdadeiros responsáveis pela educação dos filhos são os pais. Foge a qualquer propósito de um Governo ditar aos cidadãos, aos quais presta serviços – e nada mais que isso – como eles devem educar sua prole. Ao Estado cabe fornecer escola gratuita – alguns preferem que se deem subsídios aos pais, para que paguem escolas privadas. Aos pais compete a escolha da escola que melhor proporcione aquilo que eles entendem como um bom ensino, como a que se localize mais próxima de seus lares, ou a que tenha os melhores professores, o prédio mais bonito, entre outras coisas.

Sempre é bom recordar que a família é o lugar natural por excelência em que as relações de amor, de serviço e de doação mútua se descobrem, valorizam e aprendem. É nesse ambiente que o “ser animal”, que todos nós somos quando nascemos, tem facilidade para se tornar um verdadeiro ser humano, com todas as suas potencialidades bem desenvolvidas. Pais, irmãos, primos, tios, avós devem ser, portanto, a primeira grande escola da vida.