sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Fuja para a vida

Fuja das paixões da mocidade e procure viver uma vida correta, com fé, amor e paz, junto com os que com um coração puro pedem a ajuda do Senhor. (2 Timóteo 2:22)

Aqueles que gostam de chegar cedo para curtir uma praia e montam sua barraca perto das ondas sabem muito bem o que vai acontecer mais tarde: A maré irá subir e logo terão que se afastar para não serem arrastado pelas águas. O problema é que só encontrarão lugar atrás dos que chegaram depois. 

Existe um ditado que diz: se você não vai para frente, significa que você está indo para traz. Isso vale para a vida espiritual. Quando não progredimos, perdemos terreno.

Assim como devemos nos afastar para não sermos engolidos pelas águas da praia, devemos também fugir das paixões carnais para continuarmos vivos na fé. Não somente fugir, mas perseguir a justiça, a fé, o amor e a paz.

A palavra “fugir” implica correr o mais rápido que puder para longe de algo que possa ser prejudicial. É exatamente isso que Paulo está aconselhando fazer quando confrontados com “paixões da mocidade”, ou com atitudes que não glorificam a Deus. Da mesma forma, a palavra “perseguir” implica seguir de perto algo com o objetivo de captura-lo. Esta é a maneira que Deus quer que nós aproximemos dele – sempre nos esforçando para chegar a conhecê-lo melhor por meio de sua Palavra, seus mandamentos, e assim crescer na fé.

Quanto mais buscarmos os desejos divinos e a nossa aproximação com Cristo, mais rapidamente nos afastaremos das ações que não glorificam e honram a Deus. 

É uma escolha excludente, ou seja, fujamos para a vida – logicamente significa fugir da morte eterna – ou permaneçamos estacionados espiritualmente, sujeitos ao envolvimento contínuo com o pecado. Não podemos viver um estilo de vida que glorifique a Deus e continuar sendo arrastado por práticas prejudiciais ao crescimento espiritual. 

Em última análise, fugir para a vida – ou crescer espiritualmente – resume se a cada pequena escolha que fazemos. Com a força de Deus podemos negar desejos carnais, e optar por fazer a coisa espiritualmente correta.

Que o nosso relacionamento com Deus nos capacite a encontrar a rota de fuga das práticas contaminadas desse mundo e o caminho da vida eterna.