terça-feira, 2 de abril de 2013

Traídos pela paixão

Vigiem e orem para que não sejam tentados. É fácil querer resistir à tentação; o difícil mesmo é conseguir. (Mateus 26:41) 

A Bíblia relata a história de Sansão e Dalila. Sansão foi um dos heróis do povo hebreu. Deus havia prometido que lhe daria força física para derrotar os inimigos de seu povo enquanto permanecesse fiel aos princípios divinos. Mas Sansão confiou em sua força, desviou-se dos caminhos da santidade e começou a brincar com a tentação. Ao apaixonar-se por Dalila, uma mulher do povo inimigo, acabou sendo seduzido, e a ela revelou o segredo da sua força. Sansão não conseguiu resistir à beleza de Dalila e, traído pela paixão, o forte homem se tornou fraco, virou motivo de zombaria dos seus oponentes e morreu frustrado, frustrando seus compatriotas.

Aqueles que tentam resistir à tentação sabem o quão forte ela é. Nós só vamos descobrir a força desse impulso quando tivermos que lutar contra ele. Mesmo assim, podemos ser traídos pelas nossas próprias paixões. E temos muitas. Pode ser a realização de um sonho de consumo que nos deixa endividados; podem ser as nossas palavras e gestos mal interpretados; pode ser o desprezo da pessoa a quem amamos; podem ser os nossos impulsos sexuais. Enfim, muitas são as paixões que podem se tornar verdadeiras tentações. E quanto mais confiamos na nossa capacidade de dominá-las, mais ficamos vulneráveis a elas. 

Apesar de ser homem como nós, Cristo não se rendeu a qualquer paixão. Ele conheceu na pele o que significa enfrentar todas elas. Ele é um herói realista e completo, por isso tem muito a nos ensinar com suas palavras. Jesus Cristo pode resistir à tentação porque, mesmo encarnado, não perdeu a fina sintonia de oração com o Pai Celestial. Ele resistiu a Satanás que não deixou de tentá-lo só porque era Deus. 

Cristo deve ser seguido. Ele é a nossa esperança de vitória. Ele é quem nos fortalece. Nele podemos enfrentar todas as tentações. Fora dele somos vulneráveis, falhos. Longe dele perdemos o respeito pelos seus mandamentos. É ele que não nos deixa cair em tentação. 

Jesus teve como maior triunfo a sua morte e ressurreição. No entanto, em cada dia que viveu, ele lutou contra e triunfou sobre as tentações da luxúria, da inveja, da ganância, do orgulho e outras mais. Cristo foi tentado como nós somos, mas em nenhum momento foi traído pelas paixões. Ele é, e deve ser, o nosso único herói. Se ele venceu, nós também podemos, desde que permaneçamos em fina sintonia com ele. (João 8:31)