sexta-feira, 19 de abril de 2013

Boas finanças!

Sei o que é estar necessitado e sei também o que é ter mais do que é preciso. (Filipenses 4:12) 

Às vezes passamos por momentos de bonança, outras vezes enfrentamos momentos de apertos financeiros. O segredo bíblico para uma vida financeira tranquila está mais na atitude da pessoa do que na crença. Vejamos. 

Devemos ser gratos a Deus por tudo. Não devemos nos queixar nem sentir autopiedade, mas antes devemos considerar cuidadosamente todas as razões que temos para louvar a Deus. Temos que atentar mais para o que o Senhor nos tem dado e menos para as coisas que queremos possuir. (1 Tessalonicenses 5:18) 

Deus nos dá tanta segurança que podemos nos contentar com qualquer padrão de vida. Paulo estava contente na fome ou na abundância. Por outro lado, as Escrituras estão repletas de advertências contra a ganância e a avareza. Temos a tendência de pensar que todas as coisas que queremos são necessárias e que a dívida que acumulamos ao buscar adquiri-las é perfeitamente aceitável. Mas a Bíblia condena o consumismo. (1 Timóteo 6:8) 

Muitas pessoas tratam das finanças num mundo de sonho, sempre imaginando que tudo dará certo magicamente. Mas fugir de um problema ou negá-lo não ajuda. Ignorar os problemas não os extingue. Lutas financeiras não desvanecem como nuvens, mas precisam ser resolvidas com sobriedade e disciplina. (1 Tessalonicenses 5:6-8) 

Pessoas honestas aceitam suas limitações financeiras e não tentam parecer uma coisa que não são, vivendo num estilo de vida que suas condições não permitem. Pessoas honestas não fazem dívidas que não têm capacidade para pagar. A única dívida que a Bíblia recomenda é o amor. (Romanos 13:8) 

O nosso foco deve estar no Reino Celestial, e não nas coisas materiais, pois somos peregrinos aqui. Não podemos servir a Deus e ao Dinheiro. Aquele que espera morar no céu não faz da prosperidade material uma meta prioritária. (Mateus 6:24-33) 

Enfim, é preciso humildade para admitir erros e corrigi-los. Muitos não administram bem o dinheiro e acabam se endividando demasiadamente. (Tiago 1:21-24). 

Viva dentro dos limites de seu orçamento. A Bíblia adverte sobre a loucura de fazer dívidas: Assim como os ricos mandam nos pobres, quem toma emprestado é escravo de quem empresta. (Provérbios 22:7). A escravidão aos credores é muito penosa; é melhor esperar pacientemente e comprar somente aquelas coisas que se pode pagar. Quem compra à vista não paga juros e tem mais poder de barganha. 

Avalie honestamente sua situação. Encare os fatos. Faça um orçamento e siga-o à risca. Se suas obrigações mensais forem maiores que as disponibilidades, faça o seguinte: Gaste menos, as despesas podem ser reduzidas às mínimas necessidades de comida e lugar para viver; ganhe mais, às vezes há oportunidades para trabalhar mais horas, ter um segundo emprego, ou encorajar os filhos adolescentes ou adultos que estejam vivendo no lar a trabalharem; venda bens, não é irracional vender bens para poder pagar o que deve. (Atos 4:32-37) 

Em todas as áreas da vida, a palavra do Senhor nos fornece a orientação perfeita. Da mesma maneira, no campo financeiro devemos dar ouvidos à sabedoria de Deus revelada na Bíblia. Quando obedecemos aos mandamentos do Senhor, recebemos tanto “a promessa da vida presente” como a da vida “futura” (1 Timóteo 4:8). Tenha uma boa vida financeira!