terça-feira, 19 de março de 2013

Sinais dos tempos: O igrejismo

Por isso Jesus também morreu fora da cidade de Jerusalém para, com o seu próprio sangue, purificar o povo dos seus pecados. Portanto, vamos para perto de Jesus, fora do acampamento, e soframos a mesma desonra que ele sofreu. (Hebreus 13:12-13)

Por meio de Jesus Cristo, ofereçamos sempre louvor a Deus. Esse louvor é o sacrifício que apresentamos, a oferta que é dada por lábios que confessam a sua fé nele. Não deixem de fazer o bem e de ajudar uns aos outros, pois são esses os sacrifícios que agradam a Deus. (v. 15-16)

Se observarmos os versículos anteriores, o capítulo de Hebreus começou narrando sobre os animais que são queimados fora da cidade. Ele narra que o sangue dos animais, o sangue do cordeiro que era oferecido no antigo testamento, era oferecido no altar, mas o cordeiro tinha que ser queimado fora da cidade. E aí o autor diz que, por causa disso, Jesus Cristo foi sacrificado fora dos portões da cidade. (v. 10-12)

É importante ressaltar que o sangue de Jesus Cristo não foi derramado no altar do templo, porque ele não estava no templo. O sangue de Jesus Cristo foi derramado num altar preparado desde a eternidade para receber o sangue do Cordeiro de Deus que salva o mundo do inferno. E foi fora da cidade de Jerusalém, tornando-se mais um motivo de desonra para Jesus.

Jesus Cristo foi desonrado. Ele era tido como profeta por muitos do seu povo, mas ele foi desonrado. Ele foi sacrificado e morto como assassino. E isso aconteceu fora dos muros da cidade.

Após esse relato, a Palavra nos convida a louvar ao Senhor fora do templo, onde Jesus está, mesmo que para isso tenhamos que suportar a desonra que ele suportou. Louvar a Cristo é identificar-se com ele. É por isso que a Palavra diz que louvor é sacrifício. O sacrifício de confessar o nome de quem foi desonrado para quem ainda o está desonrando. Isso é custoso mesmo! Não pode ser algo que não custe nada. A respeito de pagar esse preço o Rei Davi foi muito claro quando foi adorar a Deus. (2 Samuel 24:24)

Mas, infelizmente, por comodismo que Cristo não teve, o que vemos hoje é o "igrejismo", que significa simplesmente a tentação de nos fecharmos dentro do templo sem nos incomodar com os problemas lá fora, no submundo do pecado. É a tentação de ficarmos só no meio do grupinho aconchegante e não encararmos o desafio do "Ide". Jesus não ficou fechado no templo em Jerusalém, mas andou no meio do povo, e vieram os frutos, e as consequências disso.

Nós temos que fazer o mesmo, sair para o meio do povo, ou distribuir a Palavra por qualquer que seja o meio de divulgação, em tempo e fora de tempo. Só assim nos identificaremos um pouco com Cristo e seremos seus verdadeiros imitadores. E onde estivermos reunidos em seu nome, ali ele está. (Mateus 18:20)