sexta-feira, 1 de março de 2013

Balançando a teia

Você é o sal para a humanidade; mas, se o sal perde o gosto, deixa de ser sal e não serve para mais nada. É jogado fora e pisado pelas pessoas que passam. Você é a luz para o mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. (Mateus 5:13-14)

“Se você tocar uma teia de aranha, em qualquer lugar, a fará tremer por um todo. Enquanto se move neste mundo, suas atitudes de generosidade, ou talvez indiferença, ou quem sabe hostilidade em relação às pessoas com quem encontra, você também faz a grande teia de aranha tremer. A vida que você toca, para o bem ou para o mal, tocará em outra vida e esta, por conseguinte, em outra e, assim por diante. A teia estará tremendo e você nem saberá em que lugar e em que tempo isso acontecerá.” (Frederick Buechner)

Com palavras de ânimo Jesus decretou que seus discípulos fizessem diferença na humanidade. Ordenou que devessem deixar marcas. Se as atitudes forem boas, influenciarão de maneira positiva; se forem más, a influência será destruidora. 

O apóstolo Paulo também recomendou a seu discípulo Timóteo que fosse um exemplo na maneira de falar, na maneira de agir, no amor, na fé e na pureza. (1 Timóteo 4:12)

É isto que a humanidade espera daquele que se propõe a seguir a Jesus Cristo. Que tenham fé, esperança e amor num mundo em que muitas pessoas estão preocupadas apenas com seus próprios interesses.

Somente podemos fazer diferença se fizermos algo diferente. Ao contrário, se praticarmos o que a maioria pratica, se fizermos algo só porque “todo mundo faz”, jamais conseguiremos balançar a teia. Não seremos influenciadores, mas influenciados. 

Não somente a humanidade, mas Jesus Cristo também espera que possamos contagiar o mundo com o seu amor, com a alegria que têm os que vivem na sua presença, com a perseverança que é comum aos que nele confiam.

Se vivermos de maneira pura e santa, muitos serão impactados. “Se as nossas mãos forem limpas e honestas, muitos se sentirão inibidos de agir fraudulentamente. Se o nosso rosto mostrar sempre um sorriso natural, muitos esquecerão seu mau-humor e seus queixumes.” (Paulo Roberto Barbosa)

Enfim, será que estamos balançando a teia ou sendo balançados por ela? Veja como você pode agir para deixar sua influência neste mundo.