terça-feira, 8 de janeiro de 2013

O caminho mais excelente

Por isso se esforcem para ter os melhores dons. Porém eu vou mostrar a vocês o caminho que é o melhor de todos. Eu poderia falar todas as línguas que são faladas na terra e até no céu, mas, se não tivesse amor, as minhas palavras seriam como o som de um gongo ou como o barulho de um sino. (1 Coríntios 12:31; 13:1)

Semanas atrás escrevi sobre o dom de ser solteiro. É um ótimo dom, sem dúvida. Mas hoje, eu quero mostrar um caminho mais excelente, uma trilha que está acima de todos os dons, até mesmo dos melhores. Quero escrever sobre o casamento. 

Há muitas palavras negativas a respeito do casamento. Elas são suficientes para deixar qualquer pretendente à beira de um ataque de nervos. Mas será que essas observações merecem crédito? Se merecem, porque merecem?

Na nossa cultura existem tantas histórias de relacionamentos quebrados que se listássemos algumas ficaríamos estarrecidos. Muitos desses relacionamentos foram totalmente destroçados e deixaram marcas horríveis e profundas impingidas nas almas. Mas se lembrarmos que esses relacionamentos foram iniciados numa trilha recheada de romantismo, sonhos e promessas de um grande amor, perceberemos que o erro não é conceitual. Algo que não estava nos planos das almas gêmeas impediu que o sentimento amoroso prosperasse e se tornasse uma realidade.

Quando dois pombinhos chegam ao altar, eles invocam para o seu matrimônio algo muito sublime – o amor – atributo que pertence somente a Deus. Muitos talvez não percebam a grandeza do momento no qual estão prestes a começar a exercer a mais alta representação da verdade espiritual – o ato de amar.

"Dia 27 de abril de 2013 será um dia muito especial para nós. Com a presença de Deus e das pessoas mais queridas, celebraremos o nosso casamento. Será um dia de muita alegria e de muita festa."
Visite nosso site.
(Ana Carolina e André)

Amar é a principal atitude de Deus. Aliás, Deus é amor. O amor é o seu caráter; é a sua essência. Obviamente, Deus precisa estar presente na estrutura conjugal, naquela que por ele foi criada no Jardim do Éden. Desconectá-lo da sua própria criação é condenar essa criação ao fracasso, é jogá-la no buraco negro da existência. É como arrancar a flor do caule da roseira, aniquilando-lhe a sustentação, a vida. Sem Deus, não existe o amor.

O ser humano só é capaz de amar, porque Deus o amou primeiro, e colocou dentro dele, pela graça, a sua seiva, a sua essência. Não é possível continuamente exercer o amor afastado da sua fonte, do seu manancial. Mas alguns tentam amar desconectados da fonte. Eis aí a razão de tantas frustrações com relacionamentos que começaram tão bem, dentro das melhores intenções, mas se perderam pelo caminho!

Enfim, os desafios para o casamento feliz não são novidades para ninguém. Não é um caminho fácil, mas pode se tornar o caminho mais excelente para aqueles que se dispõem a trilhar os planos originais traçados na fundação do mundo. Não é um conto de fadas! Nunca existiu e jamais existirá a perfeição num corpo corrompido como o nosso. Entretanto, viver o casamento e poder levá-lo até que a morte o interrompa é uma missão sublime. 

Existe esperança para todo relacionamento: Cristo. Com ele, certamente o casamento é uma testemunha de amor. Com Cristo, o caminho é mais alegre e prazeroso. Experimente!