terça-feira, 11 de dezembro de 2012

A fonte da vida

Os meus dias passam mais depressa do que a lançadeira do tecelão e vão embora sem deixar esperança. (Jó 7:6) 

Jó havia perdido todos os bens, família e a própria saúde. Enquanto estava nas profundezas do desespero e se contendia com Deus a respeito da sua situação, Jó proferiu o verso acima, no qual encontramos um interessante jogo de palavras que expressam o caráter passageiro da vida. A palavra hebraica para “esperança” tem dois níveis de significado. Seu significado secundário é “fio”. Assim, tanto a lançadeira do tecelão como os dias de Jó terminariam sem fio ou sem esperança. 

Nada nos envelhece mais rápido que a falta de esperança. Nós somos tão cheios de vida quanto nossa fé, tão próximos da morte quanto nossas dúvidas; tão vivos quanto nossa esperança, e tão mortos quanto nosso desespero. 

Muitas pessoas passam os dias em busca da “fonte da vida”. Frequentam academias para ter um corpo bonito e saudável, os melhores salões de beleza para terem sempre um rosto bonito e sem rugas, e até, quando têm boas condições financeiras, fazem cirurgias plásticas para esconderem qualquer sintoma de velhice. Mas tudo isso de nada adianta se a mente estiver envelhecida pelas angústias, mágoas, ressentimentos e, principalmente, pela falta de esperança. 

Falta de realização em geral e, mais especificamente, sonhos não concretizados criam dor emocional. Com frequência, a dor emocional é interpretada incorretamente pelas outras pessoas. A tristeza de Jó ficou mais difícil de suportar porque seus amigos não o compreenderam. Essa dor deve ser “derramada perante o Senhor”, pois Cristo “tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si” (Isaías 53:4). Quando entendemos esse mistério, a nossa dor é aliviada e a tristeza extirpada. 

Por outro lado, quando nosso coração está alegre, quando nossa fé está viva, quando o amor nos enche a alma de júbilo, então as lutas, as dúvidas e a desesperança não encontram lugar em nós. A esperança é renovada, passamos a viver sorrindo e a felicidade nos rejuvenesce, seja qual for a nossa idade. 

Quando há esperança, não existe desespero. Quando há esperança, não existe frustração. Quando há esperança, não existe tristeza. Quando há esperança, jamais haverá angústia ou derrota. 

A esperança traz confiança e a confiança aproxima-nos do Senhor. Se tivermos Jesus Cristo no coração, teremos confiança, teremos fé, teremos esperança, e a alegria que experimentaremos será uma fonte de vida que nos fará felizes por toda a eternidade. A nossa vida brilhará mais do que o sol do meio-dia, e as horas mais escuras serão claras como o amanhecer. Nós viveremos seguros e cheios de esperança; Deus nos protegerá, e assim dormiremos tranquilos. (Jó 11:17-18) 

Para encontrarmos a fonte da vida, é preciso nunca perder a esperança na vitória e deixar sempre Jesus Cristo ser o nosso Senhor, porque Ele é a fonte da vida. 

Que Deus, que nos dá essa esperança, encha-nos de alegria e de paz, por meio da fé nele, a fim de que a nossa esperança aumente pelo poder do Espírito Santo! (Romanos 15:13)