sexta-feira, 5 de outubro de 2012

O misericordioso

Mas foi por esse mesmo motivo que Deus teve misericórdia de mim, para que Cristo Jesus pudesse mostrar toda a sua paciência comigo. E isso ficará como exemplo para todos os que, no futuro, vão crer nele e receber a vida eterna. (1 Timóteo 1:16) 

Paulo foi um dos apóstolos mais amados de todos os tempos. Seu amor pelo Senhor, preservados no cânon das Escrituras, inspira muitos até hoje. No entanto, este homem extraordinário também era um pecador - de acordo com suas próprias palavras, "o pior dos pecadores". Como pode ser isso? Será que sua frase é exagerada? Ou será que ele quis ser humilde demais? 

Antes da sua conversão ao cristianismo, Saulo perseguira os novos cristãos, pois estes não estavam obedecendo corretamente a Lei de Moisés. Saulo, um zeloso da Palavra, ainda não havia entendido a mudança que houvera acontecido no mundo com a morte de Jesus Cristo na cruz. Mesmo assim, Deus não lhe poupou misericórdia e Jesus Cristo se revelou especialmente a ele, transformando-o imediatamente em um novo homem chamado agora de Paulo. 

Outra história comovente é a de uma pecadora - a mulher com o vaso de alabastro. Interrompendo um jantar na casa de um fariseu, essa mulher chorou sobre os pés de Jesus, enxugou-os com os cabelos e perfumou-os. 

Simão, o fariseu anfitrião, ficou revoltado com essa exibição pública de humildade, especialmente por uma mulher conhecida por ser uma pecadora. Jesus respondeu a sua indignação com a seguinte história registrada em Lucas 7: 41-43: 

Jesus disse: — Dois homens tinham uma dívida com um homem que costumava emprestar dinheiro. Um deles devia quinhentas moedas de prata, e o outro, cinquenta, mas nenhum dos dois podia pagar ao homem que havia emprestado. Então ele perdoou a dívida de cada um. Qual deles vai estimá-lo mais? 

— Eu acho que é aquele que foi mais perdoado! — respondeu Simão. — Você está certo! — disse Jesus. [...] 

Eu afirmo a você, então, que o grande amor que esta mulher mostrou prova que os seus muitos pecados já foram perdoados. Mas onde pouco é perdoado, pouco amor é mostrado. (v. 47) 

Quando pensamos em nossos pecados e falhas, nos sentimos envergonhados. Nós queremos nos esconder de Deus, achando que ele, em sua perfeição divina, nunca poderá nos querer de volta. 

Talvez você esteja passando por um sentimento parecido. Pode ser em relação a Deus ou até mesmo em relação a alguém muito querido. 

Quero dizer-lhe que Deus é surpreendentemente misericordioso e acessível. Quanto maior o pecado, mais Deus está aberto para derramar a sua misericórdia ao primeiro sinal de arrependimento. Quando um pecador se arrepende, há festa no céu (Lucas 15:10). Não importa quantas vezes você pecou ou quão grande é o pecado, Jesus deseja lavá-lo com a sua misericórdia, se você estiver aberto a ele. 

Se há alguém em sua vida que necessita da sua misericórdia e perdão, dê-lhe também!