terça-feira, 25 de setembro de 2012

Ascendente social

O irmão que é pobre deve ficar contente quando Deus faz com que melhore de vida. (Tiago 1:9)

O rico come caviar / O pobre come angu / Se demorar muito cozinhar / Então comemos cru

Esse poema expressa muito bem uma situação que passei quando criança em uma noite de Natal. Eu não estava preocupado com o presente do Papai Noel, porque sabia que não viria, mas com a fome. Eu e os meus colegas de quarteirão não tínhamos o que comer. Fomos criados em um bairro pobre da periferia de Brasília e nossos pais trabalharam bastante para nos dá o sustento.

Naquela época, recebíamos cesta alimentar dos Estados Unidos, que chegava a nossa casa trazida por missionários americanos, além dos brinquedos de última geração que raramente ganhávamos - lembro como se fosse hoje de uma caixinha de ferramentas de marceneiro, parecia ser de verdade. Mais o melhor presente que recebíamos eram os ensinamentos na Palavra de Deus. Os americanos eram – e são até hoje – muito bem preparados para alimentar o corpo e também a alma de um indivíduo carente. Sou muito grato a eles por tudo, especialmente ao Rev. Paul Smith – guardado com carinho na minha memória.

No Brasil ainda temos grandes diferenças socioeconômicas, apesar de muitas pessoas terem mudado de classe social na última década. Muitas estão com um pouco de dificuldade de se adaptarem ao estilo da nova classe. São os popularmente chamados de ascendentes sociais, entre os quais eu me incluo.

Cristo ordenou tomar conta das suas ovelhas como prova de amor a ele (João 21:15-17), porque pode haver irmãos ou irmãs que precisam de roupa e que não têm nada para comer. Se não lhes dão o que eles precisam para viver, não adianta nada dizer: “Que Deus os abençoe!" (Tiago 2:15-16). Paulo e os apóstolos começaram as igrejas entre aqueles que eram pobres (Atos 9:36; 10:4).

Há muitas maneiras de ser pobre. Jesus disse: — Felizes as pessoas que sabem que são espiritualmente pobres, pois o Reino do Céu é delas (Mateus 5:3). Deus escolheu os pobres deste mundo para serem ricos na fé e para possuírem o Reino que ele prometeu aos que o amam (Tiago 2:5). Às vezes ficamos tristes, outras vezes ficamos alegres. Parecemos pobres, mas enriquecemos muitas pessoas. Parece que não temos nada, mas na verdade possuímos tudo (2 Coríntios 6:10).

Entretanto, é preciso um pouco de cuidado quando se fica um pouquinho mais rico. Essa é a parte mais difícil, literalmente. Jesus disse que é mais difícil um rico entrar no Reino de Deus do que um camelo passar pelo fundo de uma agulha (Lucas 18:25). Quem ama a sua vida não terá a vida verdadeira; mas quem não se apega à sua vida, neste mundo, ganhará para sempre a vida verdadeira (João 12:25). Tiago escreve: “Por acaso, não são os ricos que exploram vocês e os arrastam para serem julgados nos tribunais?” (Tiago 2:6-7). Portanto, o amor ao dinheiro não é apenas a fonte do mal, mas também de depressão e de insatisfação.

Em vista disso, só é possível concluir que os ricos têm muitas necessidades espirituais, se não mais do que os pobres. Quem pode ser generoso para com eles? Quem vai falar-lhes do amor de Deus? Quem irá treiná-los a doar com alegria o seu dinheiro para serem repartidos aos pobres? Quais as viagens missionárias eles poderão bancar? Quais missionários eles poderão sustentar? Percebe como os pobres podem também ajudar os ricos?

Qual é o seu caso? Você ainda se considera pobre? Você era pobre e agora está melhor de vida? Você já nasceu rico? Seja qual for a sua classe social, você deve ficar alegre e contente com Deus. Em todas elas há oportunidades para sermos generosos, porque o mundo todo está carente do amor de Deus. Se você é um ascendente social pode agora muito mais ajudar as pessoas. Não perca tempo!