sexta-feira, 7 de setembro de 2012

A escolha certa

Excelência, eu estudei com todo o cuidado como foi que essas coisas aconteceram desde o princípio e achei que seria bom escrever tudo em ordem para o senhor. (Lucas 1:3) 

É Setembro, mês da Independência. Tempo de pensar no país; tempo de pensar nos novos governantes. Uma coisa que mais me deixa triste é quando ouço os discursos dos candidatos e não vejo neles o compromisso com a verdade. Quem quer votar na pessoa certa tem que gastar horas pesquisando o passado dessas pessoas. 

Os versos de abertura do livro de Lucas mostram em palavras simples que o autor investigava a história e preocupava em passar a verdade para seus discípulos, com o intuito de que estes não caíssem nos mesmos erros de seus antepassados. Os escritos de Lucas são tão consistentes e precisos que os historiadores modernos têm grande respeito por eles e os usam na vida secular. 

Os estudiosos da Bíblia não têm certeza se Lucas era judeu ou gentio, mas seu evangelho certamente demonstra uma sensibilidade especial para com os gentios, os pobres e os pecadores. Lucas, provavelmente, teve formação médica. (Colossenses 4: 14) 

Mas Lucas falou muito pouco sobre si mesmo. Ele não tinha o objetivo de se engrandecer, mas de tornar o nome de Jesus Cristo conhecido e confiável de modo que muitos decidissem segui-lo. É isto que os escritos de Lucas nos deixam de mais precioso. Em um mundo onde alguém está sempre tentando nos vender alguma coisa, Deus nos dá a sabedoria para fazermos as escolhas certas. Em um mundo onde as palavras são muitas vezes utilizadas para esconder a verdade, a Palavra de Deus corta a névoa com profundas verdades. Em um mundo onde figuras públicas nem sempre podem ser confiáveis, Deus trabalha por meio dos seus humildes seguidores para restaurar a confiança nele. Em suma, Lucas era uma pessoa confiável que fazia propaganda de um Líder mais confiável ainda, Jesus Cristo, que dá vida em abundância aos que neles confiam. 

Analogamente, é preciso conhecer muito bem os candidatos a cargos públicos, pois a atuação deles como bons executores das políticas de distribuição de renda e de justiça social depende muito do que demonstraram ser no passado. É muito importante pesquisar bem antes de escolher em quem votar. Essa pesquisa pode ser feita nos escritos dos historiadores seculares (revistas, jornais, livros, enciclopédias, internet, etc.) Preste atenção: O passado do candidato fala mais alto que o seu discurso. Por isso, pesquise também no site do Tribunal Superior Eleitoral para saber se o nome do seu candidato não consta da relação de responsáveis com contas julgadas irregulares. Se constar, não vote nele. 

Outra dica é tomar bastante cuidado com os candidatos que gastam "rios de dinheiro" nas campanhas, pois pode haver outra motivação que não seja a boa e única intenção de servir ao país. 

Se todo brasileiro que é exigente com o técnico do seu time de futebol fosse também na escolha dos governantes, certamente não seríamos o país do futuro, nós já estaríamos nele. Paralelamente, é preciso encontrar um tempo para ler a Palavra de Deus, meditar e confiar nela. Temos também que pedir orientação ao Espírito Santo. Se fizermos isso, certamente votaremos nos políticos certos e não nos arrependeremos depois.