terça-feira, 21 de agosto de 2012

Você quer você pode

Jesus estava andando pela beira do lago da Galiléia quando viu dois pescadores. Eram Simão e o seu irmão André, que estavam no lago, pescando com redes. Jesus lhes disse: — Venham comigo, que eu ensinarei vocês a pescar gente. Então eles largaram logo as redes e foram com Jesus. (Marcos 1:16-18)

A cada dois dias, após o expediente, Jonny vai à academia de ginástica para se exercitar um pouco. Ele ama fazer isso. Acha que é uma ótima maneira de permanecer saudável e acabar com o stress ao mesmo tempo. A sua rotina é muito simples. Começa correr em uma esteira, depois faz levantamento de peso e finalmente dá umas voltas a nado na piscina confortavelmente aquecida. Quando acabam os exercícios, ele sempre se sente cansado e dolorido, mas feliz por ter completado o treino.

Certo dia ele estava exercitando o levantamento de peso. Seu colega chegou de repente e colocou mais cinco quilos para cada braço. Imediatamente Jonny parou e ficou inseguro se conseguiria prosseguir com a musculação, pois nunca levantara mais do que três quilos. Em vez de dizer algo, ele se preparou, encheu os pulmões e, com toda sua força, conseguiu mover os oito quilos. Para sua surpresa, ele não sentiu tanto peso assim, apesar de ter realizado um esforço fora do habitual, mas percebeu que os exercícios contínuos o fizeram mais forte. A partir desse dia ele não subestimou mais a sua força.

Nós podemos dizer o mesmo com relação à fé. Assim como o nosso organismo responde positivamente com força quando exercitamos, nosso espírito responde positivamente ao alimentá-lo com a leitura da Palavra de Deus. Ao exercitarmos nossa fé por meio da oração, o Espírito Santo encontra liberdade para atuar, tornando o nosso espírito mais forte e saudável.

Mas muitas vezes subestimamos nossa capacidade de seguir os mandamentos de Jesus ou atender ao seu chamado. Simão e André, pescadores, simples e provavelmente iletrados, não ficaram em dúvida quando Cristo lhes disse que os fariam pescadores de gente. Após três anos sendo preparados pelo Mestre, Simão Pedro pregou em praça pública e naquele dia mais cinco mil almas arrependeram-se dos seus pecados e aceitaram o chamado de Cristo.

Há! Mais eles foram discipulados pelo Mestre dos mestres, diriam os céticos! Mas vejamos o exemplo do casal Áquila e Priscila em Atos 18: Eles eram apenas fazedores de tendas, a mesma profissão de seu mestre Paulo. Se alguém teria uma desculpa para pensar que não estava pronto para o ministério seriam eles. Em vez disso, deram o que tinham, serviram como podiam, abriram as portas de sua casa e Deus fez coisas incríveis por meio deles.

Portanto, não pergunte a si mesmo se está pronto para servir a Deus. Em vez disso, pergunte o que você poderia fazer já para trabalhar para o Reino Celestial. O problema de muitas pessoas é que passam a vida toda aprendendo a pescar e nunca saem para pegar um peixe.

Reserve agora um momento para rever seus pontos fortes e analise como eles podem ser úteis para servir a Deus. Os dois mandamentos que todos devem cumprir são estes: amar a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a si mesmo. Isso inclui mostrar ao próximo o caminho da salvação. Se você quer você pode ser um pescador de gente para fazer parte do Reino Celestial. Grande será a sua recompensa. Ore agora e peça a Deus uma orientação.