terça-feira, 14 de agosto de 2012

Sorte ou pequeno milagre?

Tudo de bom que recebemos e tudo o que é perfeito vêm do céu, vêm de Deus, o Criador das luzes do céu. Ele não muda, nem varia de posição, o que causaria a escuridão. (Tiago 1:17)

Sorte é um termo originado da necessidade de o ser humano nomear um sentimento ao se observar um evento significante e não comum, mas que encontra suporte em objetos investidos de algum poder sobrenatural. Por outro lado, milagres são definidos como atos poderosos de Deus, eventos incríveis e maravilhosos; são "marcas de uma atuação divina" (Easton Bible Dictionary). Então, eu poderia dizer que sorte é um pequeno milagre?

Pequeno milagre é uma intervenção divina que impacta “pequena” área da existência humana. É acontecimento que leva o homem a dizer: “Deus se preocupa com as pequenas coisas”. Um pequeno milagre pode se tornar um grande milagre, depende da fé de quem o recebe.

O Criador ouve as orações de bilhões de pessoas simultaneamente e ama a cada uma delas da mesma maneira. Ele ouve e atende orações aparentemente insignificantes como o pedido de uma criança para o pai ganhar dinheiro para comprar um carrinho de brinquedo. Se a oração for atendida, para a criança isso será um grande milagre, para o pai poderá não ser.

Em uma reunião onde se estudava o livro de Marcos, quando uma pessoa compartilhava sobre a multiplicação de cinco pães e dois peixes que alimentaram cinco mil pessoas, eu admiti que nunca visualizara a cena e compreendera exatamente o seu significado.

Não era questão de vida ou morte de alguém da plateia, porque o ser humano pode ficar até quarenta dias sem comer. O próprio Jesus jejuou no deserto durante 40 dias. Poderia ser que Jesus não quisesse que as pessoas fossem embora e o deixassem falando sozinho – Jesus estava um pouco desacreditado, pois seu precursor de ministério e primo João Batista acabara de ser degolado. Ele também estava sofrendo com a descrença das pessoas, principalmente daqueles da sua cidade natal Nazaré. Poderia ser que Jesus tomasse as dores de uma multidão disposta a renunciar às suas necessidades fisiológicas para ouvir a sua Palavra. O certo é que o Senhor resolveu fazer algo muito significante do ponto de vista daquelas pessoas.

Quando contamos algo que Deus fez por nós, as pessoas ficam maravilhadas, mas não sentem como sentimos porque o evento não tem o mesmo significado para elas. E por isso, muitos tendem a minimizar o milagre chamando-o de “sorte”.

Um colega me contou que perdera as chaves de casa nas últimas férias. Disse que ficara preocupado com a possibilidade de alguém de má-fé invadir a sua residência. Pela estrada rumo à praia ele orara a Deus a respeito. Após haver descarregado seus pertences, notara com alegria as chaves presas no engate do reboque do seu carro. Seu amigo comentara com frieza: – você é um cara de sorte, pois ela poderia ter caído na estrada! – Amigo, isso não é sorte, é um pequeno milagre, respondera!

Na verdade, os eventos de “pequenos milagres” só existem para quem assim os enxergam. Sorte é para quem não crê. Nós precisamos acreditar na Palavra de Deus, conforme escrito em Tiago 1:17. 

Como você vê os eventos de “pequenos milagres”? Você chama-os de “sorte”?