sexta-feira, 17 de agosto de 2012

O casulo da bênção

Porque é melhor sofrer por fazer o bem, se for esta a vontade de Deus, do que por fazer o mal. (1 Pedro 3:17)

O casulo (ou crisálida) é um invólucro constituído por um material parecido com a seda construído por lagartas e algumas larvas de insetos para ser usado para sua própria metamorfose. Em biologia, metamorfose é uma mudança na forma e na estrutura do corpo (tecidos, órgãos), bem como um crescimento e uma diferenciação, dos estados juvenis ou larvares de muitos animais, como os insetos e anfíbios (batráquios), até chegarem ao estado adulto. Provavelmente a metamorfose ocorre com um “sofrimento” da larva.

Sofrimento. Não deveria ser assunto de um texto devocional, não é mesmo? Afinal, todos nós temos os nossos sofrimentos e somos obrigados a enfrentá-los. O que gostaríamos de ler são palavras que nos impulsionam a começar e a terminar bem o nosso dia; se possível, que cada dia pudéssemos aprender a focar melhor nas coisas boas, em vez de nas dores e nos problemas. 

Mas sofrimento é algo real, apesar de aparentemente não haver nenhuma razão de existir na vida de muitas pessoas. Se não fizeram nada de errado, então porque sofrem? Não é essa a pergunta? Outras acreditam – e eu também – no que está escrito em Isaías 53: “Ele [Jesus Cristo] foi rejeitado e desprezado por todos; ele suportou dores e sofrimentos sem fim [pelos pecados de toda a humanidade]. [...] No entanto, era o nosso sofrimento [de culpa] que ele estava carregando, era a nossa dor que ele estava suportando. [...] Nós somos curados pelo castigo que ele sofreu, somos sarados pelos ferimentos que ele recebeu.” É claro nesse texto que não precisamos mais sofrer por culpa de pecados.

Não obstante, existem outros sofrimentos. Pedro sugere no verso acima que podemos sofrer por fazer o bem, ou por fazer o mal. Por extensão, alguns dos nossos problemas podem ser resultado de nossa própria rebelião, enquanto outros podem ser frutos de uma revolta com a injustiça ao nosso redor, e que ao tentarmos corrigi-la acabamos sendo desprezados e perseguidos. Seja qual for a origem dos nossos sofrimentos, temos que ter em mente que eles nos educam e nos ajudam a amadurecer na fé; são para nos tornar uma bênção. Nós podemos desprezá-los, mas eles estão aí para nos fazer crescer em experiência, estejamos nós fazendo o que é errado ou que é certo. Melhor sofrer pelo que é certo.

A vida é dura mesmo. Qualquer que diga algo contrário está vendendo uma mentira. Mas existe uma terceira via. É a que fornece uma resposta morna para a vida, a abordagem de não se fazer nada, de deixar a vida rolar, de não ser autor da história, de ficar só na plateia. Não é isso que queremos. Pelo contrário, queremos ser autores da nossa história.

Uma linda borboleta em transformação provavelmente deve sentir muita dor e sofrimento dentro de um casulo, mas não permanecerá trancada ali para sempre. O casulo é o local para descansar, ser curada, maturada, transformada, aperfeiçoada para ficar mais bonita e útil. Mas se a borboleta não passar um tempo nele, não seria suficientemente apta e forte para voar. Esse é o casulo da bênção.

Portanto, se você levantou hoje em seu sofrimento, tenha em mente o seguinte: Ele é um companheiro; ele existe para transformá-lo em alguém melhor; ele lhe faz uma pessoa que participa da irmandade e da herança de Cristo; ele lhe dá força e aptidão para seguir em frente e com mais confiança. Cristo foi vitorioso em seu sofrimento e em sua Palavra está escrito que nele somos mais que vitoriosos. Você crê nisso?