terça-feira, 27 de março de 2012

Maranata – parte II

Mas nós somos cidadãos do céu e estamos esperando ansiosamente o nosso Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que virá de lá. (Filipenses 3:20) 

Na devocional Maranata – parte I escrevemos que não devemos ficar preocupados com o fim do mundo, mas preparados para a volta de Jesus Cristo! Na verdade, devemos ansiar pela volta de Cristo. A resposta de João no final de Apocalipse deve caracterizar o coração dos homens em todas as épocas: “Amém! Vem, Senhor Jesus!” (Apocalipse 22:20). A graça de Deus nos ensina a abandonarmos a descrença e as paixões mundanas e a vivermos neste mundo uma vida prudente, correta e dedicada a Deus, enquanto ficamos esperando o dia feliz em que aparecerá a glória do nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo. (Tito 2:12-13) 

Mas será que as pessoas de fato aguardam ansiosamente a volta de Cristo? Quanto mais as pessoas se virem enredados nas coisas desta vida e mais negligenciarem a comunhão genuína com Cristo, tanto menos ansiarão por sua volta. Por outro lado, muitas pessoas que enfrentam sofrimentos e lutas, ou as mais idosas e enfermas, e aquelas que andam diariamente com Cristo de maneira viva e profunda, terão um anseio mais intenso por sua volta. 

De certa forma, portanto, o quanto realmente aguardamos a volta de Cristo mede a condição espiritual de nossa vida no momento. Isso também mede, de certa forma, até que ponto vemos o mundo como realmente é, conforme Deus o vê: escravizado ao pecado e em rebeldia contra Deus, subordinado ao poder do maligno. (1 João 5:19) 

Mas isso significaria que não devemos empreender projetos em longo prazo? Se um cientista aguarda ansiosamente a volta de Cristo, deve entrar num projeto de pesquisas que leve dez anos? Ou alguém deve começar um curso de três anos num seminário teológico ou numa faculdade? E se Cristo voltar na véspera da formatura, antes que tenha alguma oportunidade de empenhar tempo significativo no ministério ou na profissão propriamente dita? 

Com certeza devemos envolver-nos em atividades de longo prazo. É exatamente por isso que Jesus não nos permite saber a verdadeira hora de sua volta: ele quer que estejamos ligados a ele, em obediência, não importa o ritmo de nossa vida até o momento de sua volta. Estar “apercebido” para a volta de Cristo (Mateus 23:44) é obedecer-lhe fielmente no presente, empenhando-se ativamente em qualquer trabalho para o qual ele nos tenha convocado. 

Pela natureza da situação, uma vez que não sabemos quando será sua volta, sem dúvida, naquele dia partirão para o campo missionário pessoas que jamais chegarão ao seu destino. Haverá pessoas no último ano de faculdade que jamais empregarão seus conhecimentos. Haverá pesquisadores às voltas com tese de doutorado, frutos de anos de estudo, que jamais serão publicadas e jamais influenciarão o mundo. Mas a todas essas pessoas, Jesus dirá: “Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu Senhor” (Mateus 25:21) 

Algumas podem discordar a respeito de pormenores específicos sobre o que acontecerá logo antes e logo depois da volta de Cristo. Mas não importam as discórdias quanto aos detalhes dos sinais dos tempos, todos os que têm a Bíblia por autoridade final concordam que a consequência definitiva e última da volta de Cristo será o julgamento dos incrédulos e a recompensa final dos que crêem e que os que crêem viverão com Cristo, por toda a eternidade, num novo céu e numa nova terra. Deus Pai, Filho e Espírito Santo reinará e será cultuado num reino eterno em que já não haverá pecado, dor ou sofrimento. 

Você já faz parte desse reino representado por um novo céu e uma nova terra? Se você crê nisso, divulgue, se ainda não tem certeza, ore para que Deus tire toda dúvida do seu coração.