sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Não tem talento? Seja habilidoso!

Moisés disse: — Ó Senhor, eu nunca tive facilidade para falar, ... Quando começo a falar, eu sempre me atrapalho. Porém o Senhor lhe disse: — Quem dá a boca ao ser humano? ... Sou eu, Deus, o Senhor. Agora vá, pois eu o ajudarei a falar e lhe direi o que deve dizer. (Êxodo 4:10-12)

Certa ocasião, eu ouvi um líder comunicar a um auditório lotado a seguinte resolução: “Este ano, vamos mudar um pouco o critério de nomeação para os cargos da organização. O critério levará em conta o talento da pessoa.” Pensei comigo: e agora? o que acontecerá com aqueles considerados pela organização como "sem talento"? Não terão espaço?

Existem os talentosos, e existem os habilidosos. Habilidade é qualidade de hábil, ou seja, todo aquele que tem aptidão para alguma coisa. Ela poderá ser adquirida ao longo da vida. Com treinamento e disciplina, a pessoa alcançará a habilidade. Poderá, se desejar, com dedicação aprender, por exemplo, a tocar violão e até mesmo se tornar um violonista conceituado, mesmo que nunca tenha se interessado por instrumentos musicais. O mesmo pode ocorrer se a pessoa desejar pintar, fotografar, cantar, cozinhar, dançar etc.

Já o talento é aptidão natural ou inteligência excepcional. É algo que brota naturalmente da pessoa. Além de aprender música, o talentoso poderá improvisar e fazer algo memorável. O habilidoso poderá tirar ótimas fotos, mas o talentoso dará vida a elas, o habilidoso poderá lapidar a pedra, já o talentoso a transformará em bela escultura. O talentoso tem o dom natural, surpreende pela sua ousadia e sempre terá uma solução memorável para superar os desafios.

Mas, afinal de contas, qual deles é mais importante para um trabalho bem feito? Os dois são muito importantes. A diferença é que o habilidoso sabe que terá de usar a sensatez e se dedicar adequadamente à causa, para evoluir e conquistar o que mais deseja. Ele sabe que terá que estar vigilante e jamais poderá esmorecer, sob o risco de nunca ter o sonho realizado.

Por outro lado, o talentoso sabedor de seus dotes intrínsecos, tende a se tornar confiante e até relaxado. Pois, sabe muito bem que diante de qualquer desafio poderá se safar de forma excepcional. Daí, nem sempre está disposto a dedicar-se o suficiente para adquirir novas técnicas.

Em jogos de futebol, não raro, testemunhamos times com maior número de atletas talentosos serem derrotados por adversários mais aplicados. Isso ocorre, pois consciente de suas deficiências, o que conta com menos talento usa a força e a vontade de vencer para superar os desafios.

Daí, se você não é talentoso, busque ser habilidoso. Se preocupe em aprimorar a habilidade adquirida e logo encontrará o sucesso. Porém, se você é talentoso, parabéns pelo dom que nasceu com você. Mas nem por isso poderá achar que o sucesso está garantido, pois precisará cuidar-se para não permitir que as suas conquistas fujam por entre os dedos como se água ou areia fossem.

Moisés, grande líder da nação de Israel, poderia ter se tornado também um grande orador, apesar de não ter este talento natural. Deus havia prometido habilitá-lo, mas ele não tomou posse da bênção. Em vez disso, pediu para Deus enviar outra pessoa no seu lugar. Foi então que Deus, irritado com essa atitude, enviou Arão para ser o orador. (13-16)

Nunca diga que você não vai fazer o trabalho porque não tem talento. Deus pode lhe dar a habilidade. Então, não deixe escapar a sua bênção! É Deus quem capacita! E Ele capacita qualquer pessoa que se dispõe a fazer a  vontade dEle.