segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

A Bíblia Não é Uma ‘Colinha’

Ó Senhor Deus, ensina-me a entender as tuas leis, e eu sempre as seguirei. Dá-me entendimento para que eu possa guardar a tua lei e cumpri-la de todo o coração. (Salmo 119: 33-34) 

Meus jovens leitores, eu tenho uma confissão a fazer. Quando eu estava no ensino médio, eu odiava as aulas de Química. Eu detestava os laboratórios e os cheiros daqueles produtos horríveis. As aulas eram sem graça e ainda tinham os trabalhos práticos para serem feitos em casa. Como você pode ver, eu nunca fui um bom aluno nessa matéria. 

Em vez de estudar para as provas, eu preparava as minhas ‘colinhas’. Nos dias dos testes, eu sentava numa posição da sala na qual o bedel não podia me ver. Assim, fui levando a vida até conseguir passar e terminar o ensino médio. Eu pensava comigo: para que sofrer com essa matéria horrível, que não vou usar para nada, sendo que eu posso colar? 

Eu vim a perceber o meu erro logo mais tarde, quando tive que enfrentar o vestibular. Como não havia estudado nos anos anteriores, não sabia resolver nenhum problema de Química. Resultado, fui reprovado, tive que voltar para o cursinho. 

Às vezes nós gostamos de usar a Bíblia como ‘colinha’. Quando o mundo nos confronta com um problema ou dúvida, abrimos a Bíblia de qualquer maneira e gritamos: ‘Veja, a Bíblia diz que não se pode fazer isso..., ou, a Bíblia não diz nada contra, vamos fazer...’ 

A Bíblia é o Livro dos livros, é a Palavra de Deus. Ela não foi escrita para ser usada como uma ‘colinha’ nas horas de aperto. Se não estudarmos a Palavra de Deus como deve ser estudada, não vamos entender por que Jesus disse as coisas que disse. Se lemos a Bíblia sem meditar no que está escrito, sem observar o contexto das passagens, não vamos entender o recado de Deus para nós. Quando fazemos assim, somos realmente maus alunos. 

Tente pensar da seguinte forma: Antes que um médico possa estar apto para curar a doença de um paciente, ele primeiro precisa compreender a doença. Ele tem que entender a sua origem, o que ela afeta no corpo, que tipo de tratamento pode ser ministrado e qual a melhor medicação para o paciente. Se o médico não faz esse diagnóstico antes, ele pode acabar prejudicando o paciente, errando na dose dos remédios. 

Da mesma forma, Deus nos chama para ser médicos para os espiritualmente doentes. Sem entendermos as leis divinas, sem compreendermos o grande amor de Deus expresso nas Escrituras Sagradas e sem sabermos qual é o tratamento que Deus deixou receitado, nós vamos errar a dose. As consequências podem ser duas: ou não salvaremos almas, pois não as faremos verdadeiros discípulos de Jesus, ou as mataremos de vez, não as fazendo compreender o amor de Deus! 

E então, você tem estudado bem o plano de Deus para a salvação da humanidade? Quão frequentemente você estuda a Bíblia Sagrada? Você é um bom médico espiritual? Ou você costuma fazer colinhas bíblicas?

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Ser Servo ou Ser Servido?

Sejam bons administradores dos diferentes dons que receberam de Deus. Que cada um use o seu próprio dom para o bem dos outros! (1 Pedro 4:10)

A organização fundada pelos astros do cinema George Clooney (Conduta de Risco), Brad Pitt (Babel), Matt Damon (O Ultimato Bourne) e Don Cheadle (Crash - No Limite) irá doar US$ 500 mil para o programa contra a fome das Nações Unidas, chamado World Food Program. O mesmo que fez Drew Barrymore (Letra e Música) abrir a carteira depois de uma visita ao Quênia, doando US$ 1 milhão ao programa.

A doação feita pela ONG dos astros, chamada Not On Our Watch, será enviada para a luta contra a fome em Darfur, na região do Sudão. Clooney afirmou que sem uma ajuda humanitária imediata, a fome na região não terá solução. A fundação de Clooney já arrecadou mais de U$ 9.3 milhões para Darfur e, ano passado, enviou a U$ 1 milhão para o World Food Program.

George Clooney tem se tornado um grande líder defensor contra a ação de genocídio no Sudão, principalmente após filmar um documentário sobre a crise no ano passado.

Admiro os indivíduos que lutam para fazer do mundo um lugar melhor, principalmente os que possuem grandes talentos individuais. Vamos ver o que diz Palavra de Deus a respeito:

“Sejam bons administradores dos diferentes dons que receberam de Deus. Que cada um use o seu próprio dom para o bem dos outros! (1 Pedro 4:10) ...e quem quiser ser o primeiro, que seja o escravo de todos. Porque até o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida para salvar muita gente.” (Marcos 10:44-45)

Não há nada de errado em ser uma celebridade, nem em perseguir os sonhos de se tornar um cantor, escritor ou atleta famoso. Não é isso que vamos comentar aqui, mas o fato de que Deus também chamou a todos nós para fazermos coisas extraordinárias e maravilhosas, sendo servos um dos outros, ofertando o que temos de melhor - os nossos dons e talentos - aos necessitados e, por tabela, a Deus.

Entretanto, ele pediu anonimato quando disse: “Mas você, quando ajudar alguma pessoa necessitada, faça isso de tal modo que nem mesmo o seu amigo mais íntimo fique sabendo do que você fez.” (Mateus 6:3) É assim que Deus gostaria de nos ver ofertar.

Nossa oferta, por maior que seja, não pode ser feita com a motivação de chamar a atenção para nós mesmos, para nos engrandecer, mas deve apontar para a graça e o perdão de Jesus Cristo. Temos que ter ciência de que os dons nos foram concedidos por Deus para servir e não sermos servidos.

Muitas celebridades servem à humanidade. Algumas publicam as ações que fazem e não sabemos ao certo qual a motivação. A verdade é que as celebridades e suas boas ações vêm e passam, sendo substituídas a cada ano por novos jovens, novos talentos e novas ações. Agora, as ofertas oriundas de um coração piedoso e os esforços sinceros de um verdadeiro servo são atitudes que perduram para a eternidade.

O que você está colocando como oferta diante de Deus? De que maneira esta oferta é vista por Deus? Como você administra os seus dons? Para servir, ou ser servido?

Perdoem!

Perdoa as nossas ofensas como também nós perdoamos as pessoas que nos ofenderam. (Mateus 6:12) 

Muitas vezes encerramos nosso dia recitando a oração que o Senhor nos ensinou e dizemos quase que mecanicamente a frase “...e perdoa-nos as nossas dívidas assim como nós perdoamos aos nossos devedores”. 

Thomas Watson, grande pregador puritano do Século XV, fez o seguinte comentário: “Nós não somos obrigados a confiar em nosso inimigo, mas somos obrigados a perdoar-lhe.” Indo mais longe, ele perguntou: “Quando é que vamos mesmo perdoar aos outros?” 

Quando lutarmos contra todos os pensamentos de vingança. Quando não intentarmos nenhum mal contra os inimigos, mas desejarmos o bem a eles. Quando lastimarmos suas calamidades, orarmos por eles, buscarmos a reconciliação e mostrarmos dispostos a ajudá-los em todas as ocasiões. Este é o evangelho do perdão. 

Meus queridos irmãos, nunca se vinguem de ninguém; pelo contrário, deixem que seja Deus quem dê o castigo. Pois as Escrituras Sagradas dizem: “Eu me vingarei, eu acertarei contas com eles, diz o Senhor.” (Romanos 12:19) 

Tomem cuidado para que ninguém pague o mal com o mal. Pelo contrário, procurem em todas as ocasiões fazer o bem uns aos outros e também aos que não são irmãos na fé. (1 Tessalonicenses 5:15) 

Desejem o bem para aqueles que os amaldiçoam e orem em favor daqueles que maltratam vocês. (Lucas 6:28) 

Não fiquem contente quando os seus inimigos cairem na desgraça, (Provérbios 24:17) mas amem-os e orem pelos que lhes perseguem. Se virem o boi ou o jumento do seu inimigo andando perdido, leve-o de volta para ele. (Exodo 23:04) 

No que depender de vocês, façam todo o possível para viverem em paz com todas as pessoas. (Romanos 12:18) 

É ótimo quando temos paz com todas as pessoas em nossa volta, mas nem sempre isso é possível. Portanto, façamos com que a nossa batalha para exercitarmos o perdão esteja sempre embasada em conselhos bíblicos. Esse é o caminho do sucesso nesse assunto tão difícil.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Tenham Paciência!

Vejam como o lavrador espera com paciência que a sua terra dê colheitas preciosas. Ele espera pacientemente pelas chuvas do outono e da primavera. Vocês também precisam ter paciência. (Tiago 5:7-8) 

Todos nós sabemos que ter paciência não é fácil, nem divertido. O que é fácil é o caminho dos sábios. Estes sim preferem esperar no Senhor. 

Recentemente eu passei a ter uma nova percepção sobre o valor da paciência e da razão, atitudes altamente valorizadas na Bíblia. 

Quem já assistiu à serie de TV Lost pode perceber que ela é repleta de exemplos de falta de paciência. Logo no início, um dos personagens diz ao outro que “paciência é o que lhe falta para ser líder.” Paciência? Qualidade de um líder? Não costumamos pensar em líderes como pessoas que tomam decisões imediatas e não pensadas. Um líder precisa fazer seus liderados sentirem-se seguros, e isso não se consegue com atitudes precipitadas. 

A falta de paciência foi o mal que assolou a maioria dos personagens daquela série. Eles eram tão decididos a fazer, a corrigir, a executar, a salvar e a lutar que muitas vezes não tinham tempo para refletir sobre o próximo passo ou, melhor ainda, esperar que o próximo passo se apresentasse a eles. A falta de sabedoria nas tomadas de decisões e nas ações impensadas não os deixavam lembrar dos milagres e das chances de resgates que lhe apareciam. 

Se tivesse tido paciência e esperado mais em Deus, o povo de Israel não teria passado 40 anos no deserto, mas teria entrado na terra prometida em pouco meses. Aquele povo não conseguiu parar e entender os milagres do maná e do Mar Vermelho. Os israelitas negligenciaram a liderança de Deus e buscaram, por conta própria, soluções improdutivas. Assim como os personagens de Lost, eles foram atormentado pela sensação de que tinha que fazer alguma coisa, qualquer coisa, para assumir o controle da situação. 

Controle é realmente o que precisamos em situações difíceis, mas me refiro ao auto-controle, em vez de controle da situação. Precisamos nos controlar, relaxar e aquietar, só assim Deus poderá assumir o controle do nossos problemas. 

O auto-controle leva à maturidade, à sabedoria, à liderança de si mesmo. Quando esperamos confiantemente no Senhor, nós vemos os milagres acontecerem na hora certa, porque Deus nunca chega atrasado. 

Reflita como está a sua prática da paciência. Lembre-se que Deus começou a realizar o milagre no seu nascimento e a obra dEle não ficará incompleta, não importa o tempo. Espere pacientemente pelo próximo milagre e então você ficará sabendo que Ele é o Senhor e que os que confiam nEle nunca ficam desiludidos. (Isaías 49:23)

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Pare e Descanse Um Pouco!

“Venham a mim, todos vocês que estão cansados de carregar as suas pesadas cargas, e eu lhes darei descanso. Sejam meus seguidores e aprendam comigo porque sou bondoso e tenho um coração humilde; e vocês encontrarão descanso. Os deveres que eu exijo de vocês são fáceis, e a carga que eu ponho sobre vocês é leve. (Mateus 11:28-30) 

Pare! Ouça! Você pode ouvir isso? É a sua vida passando! 

Durante as duas semanas que passei em férias eu pude parar, me desligar e observar a vida passar. Foi realmente um presente de Deus poder descansar tanto física como espiritualmente. Pude passear pelas estradas costeiras da Califórnia. Pude conhecer lindas cidades e paisagens. Passei mais tempo com minha esposa. Pude fazer boas compras nas lindas e barateiras lojas norte-americanas. Bons momentos foram esses! 

Eu pude também não me preocupar com o futuro, não me comparar com os outros e nem pensar no que Deus estava fazendo nas vidas deles (e não faz na minha). Enfim, pude em nada me sentir pressionado, nem pelas pessoas, tampouco por mim mesmo. Mas tive muito tempo para falar com meu Deus! Foi uma das melhores férias que eu tive na minha vida. Minha esposa também confirma isso! 

Agora que estou de volta e em plena atividade, porém, sinto saudade do que eu fiz nessas duas semanas e gostaria muito de poder incorporar aqueles passatempos na minha vida normal. Com um pouco de criatividade e planejamento, eu acho que posso. Por exemplo, eu posso: 

Desligar o celular. Desligar a TV. Deixar de desperdiçar tempo em redes sociais. Fazer com que os meios de comunicação não sejam meu patrão. É verdade que as pessoas são importantes, mas eu posso retornar mensagens e corresponder com elas outro dia. Agendar um dia de folga. Passear com meu cachorro. Fazer nada. Ficar em silêncio. Ficar com o Senhor e meditar nas suas Palavras. 

Uma coisa que me estressa muito são os noticiários. Corrupção, violência, revoltas. Noventa por cento das reportagens são desagradáveis e não me edificam em nada. Pelo contrário, parecem que me colocam um pesado fardo sobre as costas, quando me sinto na obrigação de tentar convencer meus filhos de que o sistema mundano está todo errado. Algumas programações de TV beiram ao ridículo. Então porque perder tempo com essas coisas? 

É bem verdade que o texto bíblico acima foi dito por Jesus aos crentes que estavam sofrendo por causa dos pesados deveres que os líderes religiosos impunham sobre eles. Mas trazendo para o contexto de hoje, se você está se sentindo pressionado pelo sistema materialista reinante, faça um exame introspectivo e veja o que você precisa deixar de fazer para entrar no descanso que o nosso Pai nos oferece. Os deveres que Ele exije de nós são fáceis, e a carga que Ele põe sobre nós é leve. Portanto, pare e descanse um pouco! 

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

O Segundo Mandamento

Jesus respondeu: — “Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma e com toda a mente.” Este é o maior mandamento e o mais importante. E o segundo mais importante é parecido com o primeiro: “Ame os outros como você ama a você mesmo.” (Mateus 22:37-39) 

Eu amo Futebol. Gosto de assistir aos jogos do campeonato brasileiro. É emocionante assistir à uma final de torneio e ver a alegria dos jogadores campeões, mesmo quando o campeão não é o meu time favorito. É mais fácil torcer para o ganhador, entretanto, sinto pena do time vice-campeão, com seus atletas desconsolados, cabisbaixos e largamente ignorados pela platéia. 

Fazendo uma analogia, parece ser mais fácil obedecer o primeiro mandamento de Deus. Afinal, Deus não nos incomoda quando deixamos de obedecê-Lo! O difícil é obedecer o segundo mandamento, igualmente ordenado por Ele. Somos craques em esquecer que para amar a Deus é preciso amar os outros! Infelizmente, quando desprezamos o segundo mandamento, isso demonstra que ainda não compreendemos bem a Palavra de Deus e, portanto, estamos despreparados para dar respostas aos conflitos do mundo. 

A Bíblia diz que a homossexualidade é um pecado, mas o que acontece quando um membro da família confessa ser gay? A Bíblia diz que o divórcio deve ser desencorajado, mas o que você diria a um amigo que acabou de flagar sua esposa na infidelidade? A Bíblia diz para ajudar os pobres, mas e se eles gastarem o dinheiro com drogas e álcool? 

Jesus disse aos seus discípulos: o que vocês fazem ao mais humilde dos meus irmãos, é a mim que fazem. Se esquecemos essa recomendação, nossas respostas às perguntas mais difíceis da vida tornam-se frias, individualistas e até mesmo cruéis. Assim, acabamos trocando a ação de amar a Deus pelo desejo de amar a Deus. Ficamos só na vontade! 

Somente quando entendemos que amar a Cristo significa amar o próximo é que nós nos tornamos instrumentos eficazes para servir a Deus. Caso contrário, estamos enganando a nós mesmos! 

Peça a Deus ajuda para obedecer o segundo mandamento e então obter respostas às perguntas difíceis deste mundo!

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Pode Ser Aquilo Que Você Quer!

De onde vêm as lutas e as brigas entre vocês? Elas vêm dos maus desejos que estão sempre lutando dentro de vocês. (Tiago 4:1)

Vocês já pararam para ver uma turma de crianças desembrulhando os seus presentes de Natal? Aparentemente é difícil para muitas delas mostrarem o bom humor quando percebem que ganharam um presente indesejado. Existem crianças que jogam o presente longe e ficam bravas! Algumas ficam de olho no presente alheio e chegam a arrancá-lo das mãos da outra. Aí começa a briga... Parece algo tão infantil, mas não é! Eu fico reparando tudo isso e pensando nas palavras do Apóstolo Tiago:

“De onde vêm as lutas e as brigas entre vocês? Elas vêm dos maus desejos que estão sempre lutando dentro de vocês. Vocês querem muitas coisas; mas, como não podem tê-las, estão prontos até para matar a fim de consegui-las. Vocês as desejam ardentemente; mas, como não conseguem possuí-las, brigam e lutam. Não conseguem o que querem porque não pedem a Deus. E, quando pedem, não recebem porque os seus motivos são maus. Vocês pedem coisas a fim de usá-las para os seus próprios prazeres. Gente infiel! Será que vocês não sabem que ser amigo do mundo é ser inimigo de Deus? Quem quiser ser amigo do mundo se torna inimigo de Deus.

Não pensem que não quer dizer nada esta passagem das Escrituras Sagradas: O espírito que Deus pôs em nós está cheio de desejos violentos. Porém a bondade que Deus mostra é ainda mais forte, pois as Escrituras Sagradas dizem: Deus é contra os orgulhosos, mas é bondoso com os humildes.” (Tiago 4:1-6)

Certamente não há nada de pecaminoso em ter desejos na vida. Deus nos criou para ter desejos. Há muitas coisas boas para se desejar: ter uma alimentação adequada, ter vestuário e abrigo, ter um casamento feliz, conseguir uma promoção no trabalho, comprar um bom carro... Não há nada de errado com isso!

Os problemas surgem quando os desejos, mesmo bons, se transformam em cobiça. Essa palavra significa desejo desenfreado. E isso se torna mau porque a pessoa passa a ser controlada pelo desejo. Em outras palavras, um desejo por uma coisa boa fica tão ardente no coração, que acaba se tornando mais importante do que Deus.

Sempre que isso acontece, temos um comportamento pecaminoso. E esse pecado é o mesmo que o pecado da idolatria. Idolatria ocorre sempre que o culto ao verdadeiro Deus é substituído pelo culto aos deuses desse mundo, o materialismo, por exemplo.

Felizmente no verso 6 Tiago diz que Deus é bondoso com os humildes. Ou seja, aqueles que humildemente se submetem aos desejos de Deus e confiam nEle como o provedor de todas as coisas são cheios de graça. A graça aqui é a capacidade de confiar em Deus com o coração antecipadamente agradecido. Esses humildes são capazes de receber qualquer presente, seja um carro novo, seja uma escova de dente.

Peça a Deus para revelar todos os desejos que controlam o seu coração para que você possa humildemente submetê-los à soberania dEle e prepare-se, pois o seu presente pode ser aquilo que você quer!

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Mantendo As Melhores Coisas Como Prioritárias

O que eu peço a Deus é que o amor de vocês cresça cada vez mais e que tenham sabedoria e um entendimento completo, a fim de que saibam escolher o melhor. (Filipenses 1:9)

Muitas vezes nos entregamos à tirania da frase ‘isso é urgente!’ e então, saímos por aí fazendo as coisas de qualquer maneira!

Lembremos a história de Marta e Maria... (Lucas 10:38-42) Muitos andam como Marta, na correria, preocupados em 'trabalhar para Deus', em vez de se acalmar aos pés de Jesus, como fez Maria.

Uma dona-de-casa, quando prepara um jantar delicioso, pode ter a sensação de estar servindo a sua família, sem saber que seus filhos podem estar querendo que ela fizesse outra coisa, além de ficar em cima do fogão. Por exemplo, quando uma criança pede à mãe para fazer cafuné, isso naquele momento poder ser mais importante do que o jantar. Ao cuidar do jantar, a mãe pode estar perdendo uma oportunidade de demonstrar o amor para com seu filho.

Marta estava cheia de boas intenções, porém, ela inverteu a ordem: o ato de servir, que deveria ser o meio para demonstrar o amor, tornou-se o fim em si mesmo. Naquele momento, o que interessava ao Senhor era a companhia, tanto de Marta, quanto de Maria. Foi por isso que Jesus disse ‘mas apenas uma [coisa] é necessária! Maria escolheu a melhor de todas, e esta ninguém vai tomar dela.’

Sentar e ouvir a Jesus ou meditar nas Suas Palavras não é a mesma coisa que não fazer nada. Satanás sussurra nos ouvidos dizendo que esse tempo poderia ser melhor empregado fazendo outras coisas. Aí a 'tirania do urgente' assume. Mas os nossos atos, por mais sublimes que sejam, não valem nada se não forem feitos com amor (1 Coríntios 13). Para aprendermos isso, só gastando tempo aos pés de Jesus.

O amor leva às obras, e não o contrário. Eu não posso discernir o que é melhor se não tiver a orientação de Jesus. Minha oração diária deve ser para que eu sempre me concentre em Jesus e demonstre o meu amor por Ele. Em seguida, Ele me mostra o que fazer. Então, sempre caminharei seguro pois estarei focado no amor.

Reavalie seus compromissos e certifique-se de que você está reservando um tempo para se sentar aos pés de Jesus e ouvir o seu comando, antes de iniciar qualquer atividade.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Você precisa plantar

Porque cada pessoa deve carregar a sua própria carga... Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá. (Gálatas 6:5 e 7)

Um professor de ensino médio chegou para seus alunos e disse:
– O que vou dizer vai ser lembrado por vocês para o resto das suas vidas: A lição de casa hoje vai ser muito fácil, mas prestem atenção: Vocês não precisam fazer nada que não queiram fazer!

Na mesma hora, um dos alunos replicou e começou um diálogo com o professor:
– Certo. Eu posso dizer então que não quero fazer a lição de casa hoje!
– Sim, você pode! Mas o que acontecerá se não fizer?
– Bem, eu vou ter que mentir para os meus pais quando eles perguntaram se eu já fiz o dever de casa. Acho que vou ficar sem graça na hora que outros estiverem entregando a lição pronta. E também não estarei preparado para fazer a prova na semana que vem.
– Então, pelo que você está dizendo, você tem motivos suficientes para fazer a lição de casa, não é?
– Sim! Professor! É mesmo!

Isso é o que chamamos de livre-arbítrio. Esse conceito de livre-arbítrio é aquele negócio que nossos pais e professores sempre tentaram colocar nas nossas cabeças, quando nos falavam para sermos mais responsáveis.

Para aquele adolescente, a lógica de responsabilidade estava baseada em dois conceitos: vontade e motivação. Quando a consequência da vontade de não fazer a lição de casa foi colocada contra ele, ele pensou melhor e percebeu que havia motivação para não deixar de fazê-la.

A Palavra de Deus diz: Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá. Nessa mensagem, Deus está nos dizendo que a motivação de plantar ou fazer algo deve ser baseada naquilo que se quer colher no futuro.

O que você quer colher no futuro? Você quer comprar um lindo carro esportivo! Você quer ter um futuro feliz? Você quer ser um Missionário? Você quer ter uma família? O que você quer?

Responda você mesmo!

Uma coisa é certa: para conseguir o que você quer, você tem que começar a plantar hoje! Dependendo da sua resposta, você vai perceber que muita coisa que você tem que começar a plantar hoje, pode não ser exatamente aquilo que você está com vontade de fazer! E aquilo que você está com vontade de fazer hoje, pode não dar exatamente o fruto que você quer colher no futuro!

Pense nisso!

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Não Se Preocupem!

Entreguem todas as suas preocupações a Deus, pois ele cuida de vocês. (1 Pedro 5:7)

Alguns dias atrás, eu estava dirigindo de volta para casa quando cheguei a um semáforo. Já era tarde, eu era o único carro na avenida, e para ser honesto eu não estava prestando muita atenção. De forma automática, eu fiz a curva à direita para pegar a rua de casa e, de repente, pelo retrovisor, eu vi um flash. Eu senti um frio na barriga e pensei: Porque será que câmera disparou? Será que fui multado?

Uma coisa tão simples, mas eu fiquei preocupado com isso alguns minutos: Será que vou receber uma multa pelo correio? Quanto é que eu terei que pagar? Será que vou ter pontos negativos na habilitação? É incrível como deixamos o medo e a insegurança governar nossas vidas. Se algo tão pequeno como uma multa de trânsito pode azedar nosso dia, como poderemos lidar com uma eventual tragédia? Surpreendentemente, muitos ainda não sabem como lidar com suas preocupações!

A Palavra de Deus diz: ‘Não se preocupem com nada, mas em todas as orações peçam a Deus o que vocês precisam e orem sempre com o coração agradecido.’ (Filipenses 4:6) Apesar disso, às vezes hesitamos em colocar nossos problemas diante de Deus. Isso acontece porque não queremos parecer que estamos lamentando ou porque achamos que a nossa oração não garante que as coisas vão sair do jeito que queremos.

Mas há algo mais a fazer do que simplesmente pedir a Deus uma solução para os problemas: Deus quer que confiemos nele completamente, mesmo nas piores circunstâncias. Quando entregamos nossas preocupações a Ele, somos lembrados de que Ele nos ama e está no controle de tudo.

Acho que em breve eu vou ter que pagar a multa por ter passado no sinal vermelho, mas por colocar a minha preocupação diante de Deus, eu sou capaz de aceitar a situação e seguir em frente.

Portanto, não deixemos que as preocupações da vida nos derrubem. A frase mais comum na Bíblia é ‘não temas’.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Corações de Pedra

Jesus usou parábolas para ensinar muitas coisas. Ele disse: — Escutem! Certo homem saiu para semear. Quando estava espalhando as sementes, algumas caíram na beira do caminho, e os passarinhos comeram tudo. Outra parte das sementes caiu num lugar onde havia muitas pedras e pouca terra. As sementes brotaram logo porque a terra não era funda. Mas, quando o sol apareceu, queimou as plantas, e elas secaram porque não tinham raízes. Outras sementes caíram no meio de espinhos, que cresceram e sufocaram as plantas. Mas as sementes que caíram em terra boa produziram na base de cem, de sessenta e de trinta grãos por um. (Mat. 13:3-8)

Um amigo estava me contando sobre um indivíduo que recentemente se converteu a Cristo, sem antes nunca ter ouvido falar sobre as Boas Novas. A verdade é que, apesar de tantas igrejas existentes hoje nos países abertos ao Evangelho, muitos ainda nunca ouviram falar de Jesus porque algumas pessoas estão vivendo uma vida espiritual infrutífera, sem darem testemunho genuíno do amor de Deus.

Essas pessoas estão dentro das igrejas, ouvem a Palavra de Deus constantemente, mas seus corações permanecem endurecidos para obedecerem ao 'vão pelo mundo inteiro e anunciem o evangelho a todas as pessoas' (Marcos 16:15). Sem dúvida, isso é uma posição perigosa porque ‘quem é repreendido muitas vezes e teima em não se corrigir cairá de repente na desgraça e não poderá escapar.’ (Provérbios 29:1)

É bem verdade que a paciência e a misericórdia de Deus é imensurável. Diante disso, muitos relaxam e ficam apenas ouvindo os ensinamentos bíblicos semanalmente, sem nunca experimentarem a alegria de uma vida frutífera. Muitas vezes essas pessoas são as que cresceram em uma família cristã e que seus pais as levaram à igreja. Entretanto, nunca tiveram uma experiência real com Cristo.

Então pergunte a si mesmo: Sou um verdadeiro cristão? Cumpro as ordens do Mestre? Ou faço da rotina cristã simplesmente um hábito dominical? A semente da Palavra que cai em meu coração produz frutos espirituais? Ou seja, tenho sido bênçãos para as pessoas que estão próximas?

Não basta ir à igreja e continuar com um coração empedernido, onde caem as sementes que logo secam! Nunca é tarde demais para renovar o seu compromisso com Cristo e experimentar a alegria de realmente ser luz nas trevas que dominam este mundo!

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

O Amor é Uma Ação, Não Um Sentimento

Quem ouve esses meus ensinamentos e vive de acordo com eles é como um homem sábio que construiu a sua casa na rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Porém ela não caiu porque havia sido construída na rocha. (Mateus 7: 24-25) 

Parece que 2011 continuará sendo o ano em que acontecerão várias cerimônias de casamento, pelo menos dentro do meu círculo de amizade. Nos últimos três anos eu tenho assistido a tantos que acho que perdi as contas. 

Nessas belíssimas cerimônias, que mais parecem contos de fadas, eu concentro a minha atenção nos votos matrimoniais, mais do que nos enfeites da festa. As promessas feitas um ao outro, pelos jovens casais, de alguma forma parecem transcender o romance do dia do casamento. A união de duas vidas até a morte é muito sublime! Mas às vezes questiono se esse amor, demonstrado na alegria de terem encontrado a alma gêmea, permanecerá após o término da lua de mel. 

Embora os sentimentos de paixão possam ter alimentado a decisão de se casarem, o sucesso da vida conjugal não depende do capricho dos sentimentos ou das circunstâncias da vida, mas da vontade de construirem um relacionamento duradouro. 

Os votos matrimoniais são feitos em livre e espontânea vontade, e não podem se limitar à cerimônia, mas devem ser renovados todos os dias. Essa ação diária de amar um ao outro, que nem sempre é fácil, combinada com a graça de Deus, permite que duas pessoas construam sua casa na rocha e experimentam uma intimidade que não se acaba com o tempo. Você já deve ter percebido o brilho nos olhos de alguns casais mais velhos quando dizem os anos que estão juntos. Pois é, isso é real! 

Espiritualmente falando, o casamento é um dos símbolos mais importantes da nossa fé cristã. Assim como os nubentes se entregam um ao outro em livre e espontânea vontade, Cristo livremente se entregou, sofreu e morreu por nós. A nossa caminhada na fé começa com uma livre e espontânea decisão de aceitar o sacrifício de Cristo. A aceitação inicial de Cristo, complementada com as decisões diárias de amar a Deus e a Sua Palavra, faz com que a caminhada na fé prospere. 

Talvez possamos estar passando por um momento difícil e Deus pareça estar distante, mas a boa notícia é que não importa o quanto a nossa casa está sendo maltratada pelas interpéries da vida, Cristo continua ao nosso lado como um cônjuge fiel. Sua graça e amor inabaláveis estão sempre disponíveis para nós, pois é nEle, a Rocha, que estamos construindo nossa casa!