sábado, 10 de dezembro de 2011

Sabedoria

O homem sábio pensa antes de falar; por isso o que ele diz convence mais. (Provérbios 16:23)

Existem quatro virtudes cardeais para se viver bem. São elas: sabedoria, justiça, coragem e temperança. Vamos focar hoje na “sabedoria”.

Sabedoria (em grego Σοφία, "sofía") é o que detém o "sábio" (em grego σοφός, "sofós"). Desta palavra derivam várias outras, como por exemplo, φιλοσοφία -"amor à sabedoria" (filos/sofia). É um conceito diferente de "inteligência" ou de "esperteza". Mesmo para "sophia" há conceitos diferentes: muitos fazem distinção entre a "sabedoria humana" e a "sabedoria divina" (teosofia).

Certa vez uma professora pediu para um adolescente desenhar a imagem da sabedoria. Ele desenhou um homem velho, enrugado, meditando sozinho em uma barraca isolada. Esse é um entendimento errôneo da sabedoria. A verdadeira sabedoria de um homem é a capacidade de aplicar o seu conhecimento nas situações da vida real.

Esta semana eu li a história de um cristão oriental chamado Ephrem que viveu na Síria no Século IV. Sua língua nativa era a sírio-caldeu, a mesma de Jesus. Filho de pais cristãos, Ephrem desenvolveu uma sede pela Palavra de Deus logo no início da vida. 

Ephrem tinha um profundo conhecimento das Escrituras. Ele escreveu inúmeros poemas, hinos e homilias que glorificavam a Deus. Diferentemente da maioria dos escritores, ele era muito objetivo e nunca pareceu estar perdidos no meio das palavras. 

Em alguns aspectos, Ephrem parecia com o velho desenhado pelo adolescente, porque ele vivia como um eremita. Mas Ephrem dificilmente se isolou. Muitas vezes ele escreveu para instruir as pessoas confusas com relação ao objetivo da vida e desempenhou um papel ativo na juventude de sua época.

Um dos mais famosos usos de seu talento poético veio em resposta a uma heresia que se espalhou entre a comunidade local na forma de músicas populares. Ele observou muitos jovens se afastando da busca de uma vida piedosa influenciados pelas mensagens pervertidas contidas nas letras das músicas. Em resposta, Ephrem compôs várias melodias no mesmo estilo popular, mas com letras que ensinavam o amor. Finalmente, suas músicas se tornaram muito populares e os jovens passaram intuitivamente a colocarem em prática as mensagens. O amor de Ephrem pela Palavra de Deus inspirou também muitos poemas. 

Ephrem frequentemente ajudava a sua comunidade. Ele era amado por muitos e sua obra foi conhecida mundialmente. Ephrem era um homem sensível, conhecido por chorar de alegria com os que se alegravam e chorar de tristeza com os que choravam. Infelizmente, ele morreu de fome aos 60 anos, após presenciar o sofrimento de sua comunidade com uma crise que assolou o seu país.

Mas o legado de Ephrem continua ressoando no mundo moderno. Ele viveu numa época e lugar não muito diferente do nosso, rodeado por guerra, confusão, tristeza e rebeldia. Ele poderia ter lavado as suas mãos e ter dito: "Que diferença pode fazer um poeta nesse mundo pervertido?" Mas não. Ele sabiamente empregou os seus dons e sua sabedoria para envolver as pessoas ao seu redor. 

Como você tem influenciado as pessoas ao seu redor? Você tem influenciado para o bem? Como você tem usado a sua sabedoria e o seu talento? O mundo está feliz com a sua contribuição para a humanidade? Como está o seu poder de convencimento e persuasão?