sexta-feira, 4 de novembro de 2011

A máscara

Deus disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o Senhor não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o Senhor, o coração. (1 Samuel 16:7) 

Albert Delpit escreveu: “O mundo julga-nos, não pelo que somos, mas pelo que parecemos ser”. 

Houve um escândalo em Roma por volta de 60 a.C. Pompéia vivia muito sozinha, enquanto o marido Júlio César passava meses com seus exércitos. Nesse cenário perfeito para as fofocas surge Clódio, um nobre admirador da mulher. Numa noite, para conseguir se aproximar de Pompéia, ele entrou no palácio disfarçado, mas acabou se perdendo pelos corredores e sendo descoberto e preso. 

O jovem foi levado ao tribunal e o próprio César convocado para prestar esclarecimentos. César declarou ignorar o que se dizia sobre sua mulher e a julgou inocente. O penetra foi absolvido, mas Pompéia não se livrou do ostracismo e do repúdio do marido. Para quem o acusava de estar sendo contraditório, ao defender a mulher no tribunal e condená-la em casa, ele teria afirmado: “Não basta que a mulher de César seja honrada, é preciso que sequer seja suspeita”. Daí surge a máxima da mulher do imperador César: “Não basta ser honesta, tem que parecer honesta” 

Essa afirmação é usada em palestras de marketing para dizer, por exemplo, que um restaurante que tem comida de qualidade e bom atendimento não pode parecer uma espelunca. Na política, usa-se para dizer que os governantes, além de serem honestos, precisam agir como tal. 

Deus tem um critério especial para julgar os homens. Ele se preocupa com o interior. O Senhor Deus queria um novo rei para Israel que fosse íntegro. Então, pediu ao profeta que ungisse uma pessoa, mas não disse quem. Samuel julgou que o futuro ungido seria um homem alto e de boa aparência, foi quando Deus disse “Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o Senhor não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o Senhor, o coração.” 

Por causa dos padrões criados pela sociedade, algumas pessoas têm preocupações exageradas com a aparência. Outros, na tentativa de esconderem seus defeitos, apelam para soluções nada saudáveis – a máscara. Gastam-se tanto tempo tentando mostrar o que não são que perdem a oportunidade de aceitarem-se como são. E aí, deixam de construir verdadeiras amizades. 

A preocupação com a aparência é sadia somente quanto não se tem a intenção de enganar ao outro, nem a si mesmo. Para um mascarado, o triste momento é quando ele tira a máscara. A falta de espontaneidade o impede de viver a vida com naturalidade e ser feliz ao lado das pessoas. 

Não vale a pena tentar ser o que não é. Para aumentar a sua auto estima, procure aceitar a si mesmo. Isso é fundamental para ser feliz. Deus está vendo o seu coração e sabe o quanto você precisa ser agradecido pela maneira que Ele o criou! Deus fez cada um de maneira especial.