sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Mulher forte!

Como é difícil encontrar uma boa esposa! Ela vale mais do que pedras preciosas! (Provérbios 31:10)

A passagem de Provérbios 31:10-31 é um poema que louva a mulher virtuosa, literalmente mulher de força. Ela foi escrita na forma de um acróstico, em que cada versículo começa com uma das 22 letras do alfabeto hebraico. Ali está o retrato divinamente inspirado da esposa ideal. É a descrição do tipo de esposa que a mulher deve tentar ser e o tipo de mulher que o homem deve procurar para se casar. Aconselho a leitura.

Mas eu quero nesse contexto tentar encaixar as virtudes da mulher de Jó. A Bíblia mostra, com riqueza de detalhes, as provações de Jó, permitidas pelo Senhor. Boa parte da história é dedicada para narrar o sofrimento também de sua esposa. Felizmente, a história tem um final feliz onde é descrita a providência divina, dando bênçãos mediante as provações.

Os amigos de Jó o abandonaram no seu sofrimento, mas a sua mulher permaneceu com ele até o fim. Injustamente, esta mulher sofre até hoje na boca de algumas pessoas, devido a uma frase inoportuna: “Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa a Deus e morre” (Jó 2:9). 

Jó era um homem integro e reto, que temia a Deus e se desviava do mal, era realmente digno de ser chamado de varão de Deus. Como todo homem que depende do Criador, a sua esposa deveria corresponder aos princípios determinados ao povo de Deus. Mas ela também era dotada de sentimentos humanos como todos nós. Não estava isenta da dor e do sofrimento. E como se sabe, a mulher é muito mais emotiva do que o homem.

Seu casamento foi um exemplo. Sua maneira de criar os filhos foi motivo de orgulho para seu marido, pois dar à luz e manter dez filhos não é fácil. Além de tudo isso, quando não estava governando a casa, estava dando toda atenção a Jó. Essa mulher deveria ser exemplar em todas as suas particularidades, pois ela só fez o que fez porque dentro dela houve um grande amor reservado ao seu marido.

A família de Jó tinha tudo, riquezas, respeito, consideração e principalmente comunhão; até que um dia Satanás foi se apresentar a Deus e questionar a vida de Jó. E a partir daí começou o sofrimento dessa mulher. Ela tinha tudo e de um momento para o outro passou a ver os bens indo embora. Mesmo assim continuou reta diante de Deus. 

Mas a vida, ao invés de melhorar, piorou: Foi quando ela recebeu a notícia de que todos os seus filhos haviam morrido. Não consigo imaginar o tamanho do sofrimento dessa mulher ao perder aqueles entes queridos que foram gerados e educados por ela. Se somente um morresse já seria motivo de muita tristeza, imagine todos.

Acredito que na sua memória passava-se toda a infância, todos os detalhes, todas as diferenças de cada filho. Mesmo depois de tudo isso, já estando sem forças ela encontrou ainda um motivo para viver, tinha que continuar a vida ao lado de seu marido.

Sofrendo com a morte de seus filhos e vendo o sofrimento de seu marido, ela começou a se desesperar e, no ápice de sua dor, pronunciou aquelas palavras terríveis. Mas Jó não a condenou, somente comparou as suas palavras como as de uma louca. Ele não disse que ela era louca. Finalmente, ela se arrependeu de ter pronunciado essas duras palavras e, juntamente com Jó, conseguiu vencer. O Senhor abençoou a última parte da vida de Jó mais do que a primeira. (Jó 42:12). Mulher forte!

Há muitos de nós que, à semelhança da esposa de Jó, achamos um absurdo um Deus que permite grandes provações aos Seus fiéis. Para os que assim acreditam, aceitar a Cristo seria como ficar dentro de um campo de força, absolutamente inexpugnável, capaz de proteger de todos os sofrimentos. Segundo esta crença, nada tem o poder de nos atingir: nem doença, nem desemprego, nem assaltos, nem injustiças. Segurança garantida.

Nosso Senhor, que inspirou o relato do livro de Jó, não apoia a doutrina da superproteção do homem. Pelo contrário, a qualquer que se aproxima Dele, Sua promessa é bem clara: "no mundo tereis tribulações". E isto porque, como o mundo odeia a Cristo, quem quer que ame o Senhor passa a ser alvo das maldades do mundo e do Maligno. É preciso, porém, não se esquecer das duas promessas essenciais de Cristo. Primeira: "Eu estarei com vocês todos os dias". Segunda: "Eu venci o mundo". 

A história de Jó é para ser aceita do princípio ao fim. No princípio, provações permitidas pelo Senhor. No final, bênçãos dadas pelo Senhor. Na realidade, muito mais bênçãos no fim, do que provações no início. A esposa permaneceu firme ao seu lado, suportando as aflições junto com ele, perdendo os filhos e as posses. Mas no final se tornou novamente mãe de outros dez e lindos filhos.

Você continua firme nas promessas do Senhor? Como são as suas palavras diante das tribulações? São palavras abençoadoras? Aguente firme as provações e vença! Deus tem bênçãos em dobro para você.