quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Paciência, orgulhoso!

A pessoa paciente é melhor do que a orgulhosa. (Eclesiastes 7:8b) 

Muitos conhecem a história de Abrão, pai da nação de Israel. Certo dia Deus disse a Abrão: — Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa do seu pai e vá para uma terra que eu lhe mostrarei. Quando Abrão passava por aquela terra, Deus apareceu a ele e disse: — Eu vou dar esta terra aos seus descendentes. Certa noite, Deus levou Abrão para fora da sua tenda e disse: — Olhe para o céu e conte as estrelas se puder. Pois bem! Será esse o número dos seus descendentes. 

Sarai, a mulher de Abrão, era estéril. Ela possuía uma escrava egípcia, que se chamava Agar. Um dia Sarai disse a Abrão: — Já que Deus não me deixa ter filhos, tenha relações com a minha escrava; talvez assim, por meio dela, eu possa ter filhos. Abrão concordou com o plano de Sarai. Então, Abrão teve relações com Agar, e ela ficou grávida. Quando descobriu que estava grávida, Agar começou a olhar com desprezo para Sarai, a sua dona. 

Aí Sarai disse a Abrão: — Por sua culpa Agar está me desprezando. Eu mesma a entreguei nos seus braços; e, agora que sabe que está grávida, ela fica me tratando com desprezo. Que Deus julgue quem é culpado, se é você ou se sou eu! 

Naquela época, quando uma mulher não podia ter filho, ela era desprezada pela sociedade. O marido evidentemente também era criticado de alguma forma. Então, o grande pecado do casal aqui descrito chama-se orgulho, pois tentaram à sua maneira uma solução para acabar com o desprezo e a crítica. 

Depois desse episódio, Deus fez um novo pacto com Abrão e Sarai, mudando-lhes os nomes para Abraão e Sara. Na Bíblia, quando Deus mudava o nome de alguém significava que essa pessoa estava mudando de vida. O abençoado casal havia acabado de abandonar o pecado do orgulho para receber a virtude da paciência. 

Abraão se tornou efetivamente pai da grande nação de Israel e Sara aparece na Bíblia como o modelo de perfeição para a mulher casada. Sua experiência como mãe oscila de sentimentos de ceticismo, embaraço, inveja e crítica cruel para um sentimento de intensa alegria e êxtase. Mesmo que Sarai tenha caído em pecado, Deus manteve fielmente a promessa de que ela seria ‘mãe de muitas nações’ (Gêneses 17:16) 

Orgulho e paciência são opostos entre si. O orgulho procura a satisfação instantânea, mas a paciência é semelhante à humildade. O sábio escritor de Eclesiastes disse que a paciência é melhor porque ela é sinal de perseverança. Esta, por sua vez, é fruto da fé. E quando se tem fé, se consegue agradar o coração de Deus. Já o orgulhoso acha que não depende de Deus. 

Paciência é a capacidade de suportar males, incômodos e dificuldades com tranquilidade. Significa não tentar encontrar solução para os nossos males como se fôssemos Deus. As circunstâncias adversas pelas quais eventualmente passamos não podem nos tirar a tranquilidade. Devemos nos sentir felizes quando passamos por todo tipo de aflições, pois sabemos que, quando a nossa fé vence essas provações, ela produz perseverança. E a perseverança deve ser perfeita a fim de nos tornar maduros e corretos, não falhando em nada! 

O solução que Sarai encontrou para satisfazer o seu orgulho e a sua falta de paciência foi considerado um pecado diante de Deus. O seu plano para obter um herdeiro era, em última análise, poligamia, que é uma violação do plano do Criador para o casamento. (Gênesis 2: 24; 1 Timóteo 3) Mas quando Sara passou a esperar no Senhor, ela se tornou uma ‘santa mulher’ que viveu de acordo com a Sua vontade, sendo humildemente submissa aos planos divinos para ser grandemente abençoada. 

Paciência, orgulhoso! Se você está orgulhosamente buscando solução para os seus problemas, saiba que precisa esperar pacientemente em Deus. Mostre agora a sua fé fazendo uma oração colocando diante dEle a sua inquietude.