sexta-feira, 5 de agosto de 2011

As Baladas de Fim de Semana

Eu não entendo o que faço, pois não faço o que gostaria de fazer. Pelo contrário, faço justamente aquilo que odeio. Assim eu sei que o que acontece comigo é isto: quando quero fazer o que é bom, só consigo fazer o que é mau. Dentro de mim eu sei que gosto da lei de Deus, mas vejo uma lei diferente agindo naquilo que faço, uma lei que luta contra aquela que a minha mente aprova. Essa lei me torna prisioneiro do pecado que age no meu corpo. 

Como sou infeliz! Quem me livrará deste corpo que me leva para a morte? Que Deus seja louvado, pois ele fará isso por meio do nosso Senhor Jesus Cristo! Portanto, esta é a minha situação: no meu pensamento eu sirvo à lei de Deus, mas na prática sirvo à lei do pecado. (Carta do apóstolo Paulo aos Romanos 7:15;21-25) 

Fim de semana é de Balada! Geralmente os fãs desse tipo de divertimento não dispensam um convite para uma festa com os amigos, com danças, regada por bebidas e outras coisas mais... A hora de voltar para casa não é problema, pois a noite é uma criança e não se pode perder nenhum lance. Não há nada para se preocupar. O importante é relaxar, afinal ninguém é de ferro! 

Engraçado, já observou que lá pelas tantas horas, até uma piadinha sem graça se torna motivo de gargalhada? Tudo é diversão! O problema aparece no dia seguinte, quando não se tem disposição para nada. Aquele porre, aliado à noite mal dormida, deixa a pessoa numa ressaca! Muitos até se arrependem do que fazem e outros chegam a cair em depressão. 

Ai vem a segunda-feira e começa tudo de novo... Pronto, passamos o fim de semana e não nos lembramos de Deus! Poxa, deveríamos ter reservado pelo menos um dia para Ele! Por que será que não conseguimos dedicar sequer um tempinho para o nosso Criador e Sustentador? Afinal, sem Ele não existiríamos.

Aqui mora o perigo! Se curtimos a vida adoidado, ficamos exaustos. Como teremos disposição para ir à igreja, congregar com os irmãos, auxiliá-los e ser auxiliados por eles na difícil caminhada cristã? Como teremos disposição para aprender mais sobre Deus? Como teremos disposição para glorificá-Lo com os cânticos que tanto Lhe agradam? Como teremos disposição para fazer essas e outras coisas que são tão importantes para o nosso crescimento espiritual? 

O que espiritualmente precisamos e gostaríamos de fazer, não fazemos. Mas aquilo que a carne quer, isso parece que não dispensamos de jeito nenhum! Percebe o dilema?

Se você passa por esse tipo de dilema, não fique desesperado! O apóstolo Paulo também passou por algo parecido. 

Existe uma verdadeira batalha entre dois entes dentro de nós: espírito versus carne. A vontade de um é diametralmente oposta a do outro. Nessa luta, prevalece aquele que a gente mais alimenta. Se você alimenta mais a carne, satisfazendo os seus desejos, ela vence fácil. O seu destino é a morte espiritual. Agora, se você quer ter uma vida espiritual de sucesso, você deve alimentar mais o espírito. Assim, você será um glorioso vencedor. E a sua recompensa é a vida eterna. 

Paulo sabia que o mais importante era alimentar o espírito. À vezes, os desejos carnais o impedia a isso. Então, ele se lembrava de orar a Deus que, por meio de Jesus Cristo, lhe dava força para mortificar a carne. Jesus Cristo é a solução para o dilema! Ocorre que, para Ele atuar, nós precisamos reconhecer que realmente existe o dilema. Você reconhece? 
Você está lutando contra os desejos carnais? Embora ainda você esteja na carne, você é a habitação do Espírito Santo. Não desista dessa luta! Peça ao Pai Celestial para ajudá-lo a fazer o que realmente é importante para a sua vida eterna. Tenha um espírito forte dentro de você!