segunda-feira, 18 de julho de 2011

Quem é Mais Importante?

Alguns discípulos de João Batista se juntaram e foram dizer a Ele: — Mestre, aquele homem [Jesus] que estava com o senhor no outro lado do rio Jordão está batizando as pessoas. Todos agora estão seguindo-O. Ouvindo isso, João respondeu: — Vocês são testemunhas de que eu disse: Eu não sou o Messias.

Embora João Batista tivesse plena certeza de quem ele era, os seus discípulos não tinham a mesma segurança. Eles estavam em crise existencial porque não sabiam se continuavam seguindo seu mestre João Batista, em fim de carreira, ou se passavam a seguir o Mestre dos mestres Jesus Cristo.

Para acabar com a confusão na cabeça deles, João Batista disse: Ele [Jesus] tem de ficar cada vez mais importante, e eu, menos importante. (João Batista – João 3:30)

O homem não pode ser mais importante do que Jesus. Mesmo se for excelente pregador e líder. Jesus é o Noivo. Num casamento, o noivo é aquele a quem a noiva pertence. O amigo do noivo está ali, e o escuta, e se alegra quando ouve a voz dele. Quando o homem quer ser mais importante do que Jesus Cristo, significa que ele não optou pelo cristianismo, e sim pelo existencialismo. A doutrina do cristianismo vem de Deus; a do existencialismo vem do homem.

O existencialismo possui sete doutrinas que alimentam o orgulho e dão aos outros a falsa impressão de que aquele homem é um verdadeiro discípulo de Cristo. Elas impedem que Cristo apareça na vida do homem. O homem tem uma facilidade enorme de assimilar essas doutrinas porque elas engrandecem o ego. São elas:

Formalismo: A pessoa frequenta a igreja assiduamente, mas os ensinamentos que lá aprende têm pouca influência na sua maneira de viver. No formalismo, a pessoa critica as outras e é impaciente com quem não tem o mesmo compromisso com a igreja.

Legalismo: A pessoa cumpre na íntegra as regras que ela mesma (ou outro) criou. Ela sente-se orgulhosa e fica arrogante. Por isso, despreza os outros que não seguem seus padrões. Não há alegria na vida dessa pessoa porque não existe a graça e a misericórdia. Por outro lado, ela não tem o que comemorar porque não está fazendo nada além da obrigação de cumprir as suas próprias regras.

Misticismo: A pessoa está engajada na busca de uma experiência sobrenatural. Então, para essa pessoa, não importa se ela está procurando Deus ou outra divindade qualquer. Se uma divindade não atende os seus desejos místicos, ela não reluta em procurar outra.

Ativismo: A pessoa reconhece a natureza missionária da igreja e está apaixonadamente envolvida em apresentar solução para o problema do mundo corrompido. Então ela faz de tudo para ‘trabalhar para Cristo’ e faz até coisas que Deus não pediu para fazer. Quando chega o final do dia, a pessoa está mais satisfeita com a sensação do dever cumprido do que propriamente com a presença de Cristo. É o clássico exemplo bíblico de Marta e Maria.

Biblicismo: A pessoa conhece tudo da Bíblia. Ela sabe tudo o que Deus ensinou e acha que o evangelho de Cristo é só conhecê-la. Então, ela passa anos e anos nos bancos da igreja e chega a criticar quem não a conhece. O problema é que a pessoa não consegue colocar em prática os mandamentos de Deus.

Terapeutismo: A pessoa sabe tratar muito bem das almas emocionalmente feridas, apresentando-as, corretamente, que o amor de Cristo é a solução para todos os traumas emocionais. Ocorre que muitos problemas emocionais são causados pelo pecado – ira, falta de perdão, inveja, etc. e isso não é mostrado aos doentes. Eles não são confrontados. Assim, os doentes não mudam de vida e por isso não são curados definitivamente.

Socialismo: A pessoa idolatra o ambiente de comunhão e as amizades que encontra na igreja. Alguns chegam até ao ridículo de idolatrar o templo (edifício). O problema aqui é que o corpo de Cristo substitui o próprio Cristo na vida da pessoa e a propagação do evangelho, que deveria ser expandida pelo mundo, é reduzida a uma pequena rede social cristã ou a um clubinho de fraternidade.

Pelo que se pode concluir, a doutrina do cristianismo é infinitamente mais importante, pois glorifica o Rei Jesus Cristo. As doutrinas do existencialismo exaltam o homem e o seu ego. Portanto, procure seguir a doutrina de Cristo. Aquele que vem de cima é o mais importante de todos, e quem vem da terra é da terra e fala das coisas terrenas. Quem vem do céu é o mais importante de todos. (João 3:31)


Você está seguindo a doutrina do cristianismo? Ou está tendente para umas dessas doutrinas do existencialismo? A quem você quer exaltar?