segunda-feira, 4 de julho de 2011

Oremos!

Nas suas orações, não fiquem repetindo o que vocês já disseram, como fazem os pagãos. Eles pensam que Deus os ouvirá porque fazem orações compridas. Não sejam como eles, pois, antes de vocês pedirem, o Pai de vocês já sabe o que vocês precisam. Portanto, orem assim: “Pai nosso, que estás no céu, que todos reconheçam que o teu nome é santo..." (Mateus 6:7-9)

Sabemos que Deus se preocupa com algo tão pequeno como um pardal, porque ele diz isso. Mas será que ele se preocupa com a nossa qualidade de vida? Se Deus já sabe de tudo que precisamos, porque devemos orar? Sobre o quê devemos orar?

Certamente eu não vou responder a todas essas perguntas no espaço de uma devocional, mas vou falar um pouco sobre o modelo de oração que Cristo nos ensinou. Sem dúvida, Deus quer que oremos. Deus já sabe o que precisamos, mas Ele quer a nossa atenção e confiança.

Primeiramente, temos que crer que estamos orando ao nosso Pai, não a uma divindade qualquer. O Pai ama seus filhos e cuida bem deles. Temos que ter isso em mente.

Em seguida, Deus quer que oremos para que todas as pessoas reconheçam que Ele é santo. Isso é essencial para os humanos. Ser santo significa ser separado do mundo, ou seja, ser separado da iniquidade, da imoralidade, da violência e de tudo de ruim desse mundo. Sem esse reconhecimento, nós não podemos agradar a Deus. E sem agradá-Lo, é impossível ser atendido por Ele.

Devemos pedir para que a vontade dEle seja feita e que Ele seja soberano na nossa vida. Não é a nossa vontade que tem que ser feita, mas a dEle. Então, o nosso pedido deve estar encaixado na vontade dEle expressa na Bíblia. Se pedirmos algo fora, certamente não receberemos.

Vamos pedir o que precisamos para hoje e somente com relação ao alimento, que significa sustento, aí incluídos o abrigo e o vestuário. O resto é supérfluo. Também não precisamos pedir para amanhã, pois o amanhã pertence a Deus.

Tendo em mente a obrigação de perdoar as pessoas, devemos pedir que Deus perdoe os pecados que cometemos no dia, a cada dia. Não deixe para perdoar e nem para pedir perdão amanhã; faça isso hoje.

Como a carne é fraca, devemos pedir a Deus para não nos deixar pecar quando vier a tentação. Devemos também pedir para que Ele nos livre da maldade que está solta pelo mundo.

Lembre-se: A oração deve ser diária. Não podemos nos esquecer disso. Devemos ficar alertas e vigiando sempre porque o nosso inimigo, o Diabo, anda por aí como um leão que ruge, procurando alguém para devorar (1 Pedro 5:8). Então não se descuide.


Viu como é fácil orar? A melhor maneira de aprender a orar é orando... Comece agora mesmo!

7 comentários :

  1. Marcio Amorim04 julho, 2011

    Muito bom.
    Obrigado.
    Abc

    ResponderExcluir
  2. Ola Elbem,

    Eu ja te disse q gosto muito de suas mensagens, mas vc pode me esclarecer o q é devocional?
    Eu entendo q é o tempo q vc separa do seu dia p ler a Palavra e orar, é isso? Pode ser qualquer hora ou tem q ser no início do dia?

    Obrigada

    ResponderExcluir
  3. Odaque,
    Voce está certa!
    O momento devocional pode ser a qq hora, de preferência pela manhã, antes de vc iniciar as atividades do dia.
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Deus o abençõe, sempre!
    Abraços,

    ResponderExcluir
  5. Que Deus abençõe voces por estas mensagens

    ResponderExcluir
  6. Pr. Sérgio Fernandes14 julho, 2011

    Filipenses 4:6 - Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.

    A obra de Cristo na cruz do Calvário tirou a inimizade que havia entre Deus e o homem, por causa do pecado (Rm 5.11). Agora que fomos reconciliados com o Pai, temos plena liberdade de estar em Sua presença e conversar com Ele.

    Diferente da velha aliança, que possuía sacerdotes que intercediam a Deus pelo povo, a Igreja é o sacerdócio real (1 Pe 2.9). Cabe a nós interceder pelo povo do Senhor e pela salvação do mundo. A oração, portanto, é o nosso exercício diário desta missão.

    Por isso, negligenciar esta disciplina é abrir mão da vocação que Deus nos deu e, pior ainda, é fazer pouco caso daquilo que Jesus fez por nós ao nos reconciliar com o Pai Celestial através de seu sangue derramado em nosso favor.

    ResponderExcluir
  7. Pr. Olavo Feijó21 dezembro, 2011

    Antes de ensinar a Oração Dominical, Jesus disse aos discípulos: “o seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de o pedirem (Mateus 6:8).

    O texto parece uma contradição. De um lado, Jesus ensina o roteiro certo das nossas orações. Por outro lado, Ele dá a entender que nossas orações são desnecessárias. Na verdade, o Senhor não tem nenhuma necessidade das nossas orientações e conselhos humanos, quando se trata de nos abençoar. As pregações que insinuam serem a oração dos crentes tão poderosas, ao ponto e “obrigar” o Senhor a nos abençoar, não são bíblicas. O Senhor é absolutamente soberano. Sua vontade será cumprida, quer oremos, que não oremos. Por isso, diz a Bíblia: se não testemunhar-nos, as pedras clamarão.

    É importante sabermos do papel da providência divina em nossa vida. É importante saber que nossas necessidades são perfeitamente conhecidas pelo Pai, antes até de nós as verbalizarmos em oração. Todavia, mesmo sem cair na tentação de concluir pela desnecessidade da oração, vale a pena salientar que a grande bênção da oração é a de propiciar nossa comunhão com o Senhor. Oramos para cultivar intimidade com o Pai. Oramos para agradecer pela maneira como o Senhor cuida de nós.

    ResponderExcluir