sexta-feira, 22 de julho de 2011

O Artesão Divino

Será que eu não posso fazer com o meu povo o mesmo que o oleiro faz com o barro? Vocês estão em minhas mãos assim como o barro está nas mãos do oleiro. Sou eu, o Senhor, quem está falando. (Jeremias 18:6)

Certo homem desceu à oficina de um artesão que fabricava vasos de barros. Chegando lá ele encontrou o artesão trabalhando com o barro sobre a roda de madeira. O homem observava que quando o pote que o artesão estava fazendo não ficava bom, ele desmanchava tudo, amassava o barro e novamente fazia outro, conforme queria, até que finalmente conseguia moldar um lindo e resistente vaso.

Depois saiu dali e foi observar um ferreiro moldar uma flecha. Ele achou interessante a persistência do ferreiro ao forjar o ferro: O ferreiro batia no metal aquecido à alta temperatura, depois mergulhava na água fria, olhava de um lado e de outro, via que não estava bom, colocava pra aquecer de novo, batia...

O homem chegou à conclusão que o trabalho dos dois artesãos levava horas para ficar bom. O interessante no trabalho do ferreiro é que primeiro precisava-se encontrar o tipo adequado de metal; depois, esse metal era submetido ao calor extremo, à pressão para moldar, aos batidos do martelo, a mais calor, a mais elaboração, a mais arrefecimento, até atingir enfim a formação perfeita de uma flecha bem resistente e eficiente.

O mesmo princípio se aplica à formação do caráter do homem pelo Artesão Divino – Deus. A Bíblia está repleta de exemplos da aplicação desses princípios na formação de grandes homens. Moisés vagou por um deserto durante quarenta anos até ser nomeado líder dos Hebreus. Davi guerreou bastante e sofreu várias perseguições antes de ser proclamado rei de Israel. Jó presenciou o desastre total de sua vida familiar e financeira antes de ser nomeado o pai da paciência.

Eu sempre perguntei a mim mesmo por que um Deus tão bom pode permitir que coisas ruins aconteçam aos seus seguidores. Com o tempo eu entendi o porquê. Deus nos ama e quer o melhor para nós, mas ele também quer que seus seguidores sejam fortalecidos e eficientemente preparados para um grande trabalho no Seu Reino, trabalho esse que começa exatamente aqui na terra.

O bom caráter não pode ser desenvolvido no meio de uma vida mansa. Somente mediante a provação e o sofrimento é que a alma pode ser fortalecida, a ambição inspirada e o sucesso alcançado. Se Deus nunca deixar nada de ruim acontecer ao homem, Ele seria injusto com Seu próprio filho Jesus Cristo que sofreu várias perseguições e morte vergonhosa na difícil tarefa de executar o sublime plano celestial de salvação da humanidade.

O verdadeiro seguidor de Deus sabe que a vida cristã não é só de bênçãos. Nem tudo dá certo o tempo todo. O cristão deve sempre ter em mente que haverá momentos em nossas vidas que Deus pode parecer duro ou até mesmo cruel conosco. Pode ser a perda de um ente querido, uma doença, ou talvez um sonho frustrado. Apesar de tudo, o cristão deve lembrar que Deus o ama e nunca vai abandoná-lo.

Permita-se ser moldado para ser a pessoa que Deus quer que você seja. Desse modo, no dia que Ele te chamar para o trabalho no Seu Reino, você será eficiente sendo capaz de atingir o alvo com firmeza.


Tire agora um tempo para orar e meditar no que Deus está fazendo com você. Lembre-se que Ele quer aperfeiçoá-lo. Como uma flecha que acerta o alvo, seja usado por Deus.

8 comentários :

  1. Nossa, era o que eu precisava ouvir! Obrigada! Eu nunca penso que é Deus que me está causando ou permitindo algo, sempre acho que são os meus pecados que estão me tirando da reta. Eu preciso ser moldada verdadeiramente por Deus. É o que quero e espero.
    Te amo Deus! Mais do que tudo! O Senhor é minha vida! O Senhor é lindo! É tudo!

    ResponderExcluir
  2. gostei é o que todos precisamos saber, Deus nunca nos abandona ele quer nos ver crescer em maturidade espiritual, e isso acontece ao passarmor por afliçoes...

    ResponderExcluir
  3. Carlos Roberto23 julho, 2011

    Obrigado por me enviar as devocionais.
    Eu as leio todas e são uma bênção pra mim.

    Gostaria de comentar que não achei pertinente o texto:

    "Se Deus nunca deixar nada de ruim acontecer ao homem, Ele seria injusto com Seu próprio filho Jesus Cristo que sofreu várias perseguições e morte vergonhosa na difícil tarefa de executar o sublime plano celestial de salvação da humanidade. "

    Porque entendo que o motivo dos sofrimentos (o do homem e o de Jesus), são diversos um do outro.

    um abraço,

    Paz...

    ResponderExcluir
  4. Elbem César23 julho, 2011

    Carlos Roberto,
    Agradeço seu comentário que é muito pertinente.
    No entanto, devemos lembrar que Isaías já havia profetizado que Cristo iria sofrer, e que o Seu sofrimento seria para que os homens fossem sarados. ‘Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados’. (Is. 53:5)
    Paulo também reforçou isso: ‘Porque, assim como os sofrimentos de Cristo se manifestam em grande medida a nosso favor, assim também a nossa consolação transborda por meio de Cristo. (2 Cor. 1:5)
    Então, até Cristo sofreu para que os homens fossem aperfeiçoados e tivessem grande chance de passarem por essa vida sem precisar sofrer. O problema é que muitas pessoas não entendem isso e por isso não crêem fielmente na Palavra de Deus. Por isso, sofrem.
    Fique na Paz.

    ResponderExcluir
  5. Carlos Roberto23 julho, 2011

    Boa tarde.

    Explicando melhor...
    O que eu quis dizer é que o homem não sofre pelo mesmo motivo que Jesus sofreu.
    Que ele sofre justamente porque não conhece os motivos do sofrimento de Jesus.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Glórias ao Supremo Oleiro que tanto nos ama!
    Graziella

    ResponderExcluir
  7. www.muchfire.com.br conheça essa comunidade, bjos.

    ResponderExcluir
  8. Sérgio Fernandes03 setembro, 2011

    Muitas pessoas tem procurado a Deus apenas por aquilo que Ele pode fazer. Querem bençãos, não o Abençoador. Querem segurança, não comprometimento. Querem uma religião, não um Senhor. Quando a provação chega, elas rapidamente se afastam do evangelho. E o pior, procuram culpar alguém por não seguir mais a Jesus.

    Há também aqueles que buscam a Deus por aquilo que Ele É. Estes não abandonam a cruz nos momentos de provação, pelo contrário, se regozijam por sofrer pelo nome de Cristo.

    A pergunta inevitável é: que tipo de gente você é?

    ResponderExcluir